Filmes

Notícia

O Lobo de Wall Street | Leonardo DiCaprio defende o filme de Martin Scorsese

"Não estamos defendendo esse tipo de comportamento", explica o ator

Natália Bridi
31.12.2013
15h31
Atualizada em
29.06.2018
02h48
Atualizada em 29.06.2018 às 02h48

Em entrevista à Variety, Leonardo DiCaprio defendeu  O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street), sua quinta colaboração com o diretor Martin Scorsese, das acusações feitas por Christina McDowell, uma das vítimas de Jordan Belfort, ex-corretor da Bolsa de Nova York que tem sua vida (e seus crimes) retratados no filme

Segundo McDowell, que precisou mudar de nome depois de ter sua identidade roubada pelo próprio pai, um dos comparsas de Belfort em um esquema de lavagem de dinheiro, o longa glorifica os crimes do corretor e glamoriza a ganância e o comportamento psicopata. Porém, de acordo com DiCaprio, que vive Belfort em O Lobo de Wall Street, o filme pode ser mal interpretado por algumas pessoas: "Espero que as entendam que não estamos defendendo esse tipo de comportamento, estamos o condenando. O livro [de Belfort] é um conto de advertência e se você fica até o final do filme você percebe o que estamos dizendo sobre essas pessoas e esse mundo, pois é [uma realidade] tóxica. Acho incrível que alguém como Scorsese ainda esteja fazendo filmes que são vitais e relevantes e têm um elemento de controvérsia, atraindo as pessoas da minha geração. Crescemos vendo os seus filmes e ele ainda está fazendo coisas que são punk rock. É um feito incrível."

The-Wolf-of-Wall-Street

None

O ator elogiou ainda a coragem de Belfort no retrato do período da sua vida em Wall Street: "É raro alguém que não tem medo de mostrar que foi ao fundo do poço. Com todas essas pessoas de Wall Street, que ferraram tantas pessoas desde 2008, me tornei obcecado em interpretar um personagem que me fizesse entender a mentalidade e a natureza da sedução e ganância de Wall Street. Eu aprecio a honestidade dele".

O longa mostra como o corretor passou 22 meses na prisão depois de se recusar a colaborar, em 1990, com as investigações de um caso generalizado de fraude bancária que envolvia corrupção em Wall Street e até negócios com a Máfia. Jonah Hill vive Danny Porush, que é convencido por Belfort, seu futuro melhor amigo e sócio, a abandonar seu trabalho como vendedor de móveis e entrar no lucrativo, porém inconstante, mercado de ações. O filme narra a história de ascensão e queda da dupla, em meio a escândalos, fraudes e excessos.

O Lobo de Wall Street chega aos cinemas brasileiros em 24 de janeiro. Aproveitando a mídia do filme, o verdadeiro Belfort planeja um reality show, onde ajudaria pessoas como ele a se redimir perante a sociedade - leia mais.

Leia mais sobre o O Lobo de Wall Street

 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.