Jeffrey Dean Morgan como Negan e Samantha Morton como Alpha em The Walking Dead

Créditos da imagem: The Walking Dead/AMC/Divulgação

Séries e TV

Artigo

The Walking Dead entrega melhor episódio em anos com ação e reviravolta

Com ótima direção e diálogos, capítulo 12 acerta no equilíbrio entre conflitos e surpresas

Arthur Eloi
16.03.2020
14h50
Atualizada em
16.03.2020
15h05
Atualizada em 16.03.2020 às 15h05

Na semana anterior, a 10ª temporada de The Walking Dead deixou a desejar com um episódio filler, que apenas preparava para algo maior. Por sorte a espera não foi muito longa, já que o capítulo da vez é um dos melhores da série em anos.

[Cuidado! Spoilers do S10E12 de The Walking Dead abaixo]

Walk With Us” retoma a batalha de Hilltop, com os sobreviventes sofrendo o peso da ofensiva dos Sussurradores. A comunidade é incendiada e o caos se instaura na tentativa de evacuar e salvar o que for possível do fogo. A cena é frenética e muito bem dirigida por Greg Nicotero, que alterna entre belíssimos planos da destruição e câmera na mão para ver a ação de perto. Há certa semelhança com a Batalha de Winterfell, de Game of Thrones, mas sem tomar um episódio inteiro (e com bem mais visibilidade).

Quando o conflito acaba, na manhã seguinte, o ritmo se mantém. Daryl (Norman Reedus) e Aaron (Ross Marquand) lidam com os feridos e os refugiados, enquanto Carol (Melissa McBride) trama algo sem contar aos demais. O arco dela é um dos mais interessantes da temporada, já que demonstra perfeitamente as consequências do terror psicológico pelos Sussurradores. Apesar de ser uma combatente habilidosa e durona, o luto causado pela morte de Henry (Matt Lintz) consumiu a personagem e lhe afastou do grupo. Agora que estão ainda mais fragilizados, ela se torna uma alvo fácil para a ira dos demais. É isso que torna os momentos finais do capítulo tão importantes para o desenvolvimento de Carol.

Antes é preciso falar sobre o protagonismo de Negan, que tem papel fundamental nesse crescimento. Desde que se juntou à Alpha (Samantha Morton), o personagem deixou os holofotes e virou uma espécie de ajudante (e um estranho par romântico) da líder. Aqui o carismático vilão é colocado em conflito com a Sussurradora, questionando seus métodos de ataque. Essa diferença se agrava quando Negan revela ter seguido as ordens de Alpha e capturado Lydia (Cassady McClincy). Como recompensa, ela oferece um posto no “alto escalão” dos Sussurradores, mas não é o suficiente. Para explicar como não leva a ideia do grupo a sério, ele explica como perder sua esposa para o câncer no passado lhe deixou alguém frio, sem sentimentos: “Essa é minha força. Eu estou morto para esse mundo, mas você? Está apenas fingindo. Você acha que isso te faz forte, dizer que emoções não são reais ou que somos animais. É tudo porcaria, e você sabe disso.

Esse momento é o destaque do episódio, e exalta a habilidade de Nicotero na direção. Em uma cabana, Lydia tenta se soltar da cadeira que está amarrada, enquanto Negan e Alpha caminham em direção ao local. Ambas as cenas são intercaladas, o que cria tensão sufocante no espectador. Ainda mais surpreendente é o desfecho, quando é revelado que Lydia está em um lugar seguro e que Negan preparou uma armadilha para Alpha, assassinando-a logo em seguida. Por ter acontecido o mesmo nos quadrinhos, a cena era esperada, mas poderia facilmente ter ficado para o final de temporada. Tê-la antes cria uma agradável reviravolta na trama, que é levada a outro nível ao mostrar que foi Carol que “encomendou” a morte da personagem. No fim das contas, ela realmente tramava algo pelas costas de seus colegas.

Morte de Alpha nas HQs de The Walking Dead, de Robert Kirkman

A cena da morte de Alpha nas HQs de The Walking Dead, de Robert Kirkman

The Walking Dead (HQ)/Image Comics/Divulgação

“Walk With Us” é o melhor capítulo de The Walking Dead em muito tempo, por ter tudo que a série precisa: ação, tensão e narrativa intrigante. Ajuda também que todos os aspectos foram bem trabalhados, até mesmo arcos secundários como o de Judith (Cailey Fleming). Já se tornou repetitivo exaltar como o programa melhorou nos últimos anos, mas essa semana realmente foi o ápice dessa crescimento.

No Brasil, The Walking Dead é transmitida aos domingos pelo canal pago Fox, às 22h10, e também pelo streaming Fox App.