Música

Lista

Vingadores: Guerra Infinita | 6 curiosidades sobre a trilha sonora

Alan Silvestri foi responsável pelo tema

Julia Sabbaga
07.05.2018
17h00
Atualizada em
29.06.2018
02h47
Atualizada em 29.06.2018 às 02h47

Vingadores: Guerra Infinita estreou no último dia 26 e rendeu muitos sorrisos e lágrimas nos cinemas. Grande catalisador para isso foi a trilha sonora de Alan Silvestri, que retornou ao MCU para tratar dos dois novos capítulos dos heróis, o atual, e Vingadores 4, marcado para 2 de maio de 2019. 

Confira abaixo seis curiosidades da trilha sonora:

6 - O maior compositor do MCU

Vingadores: Guerra Infinita traz o retorno de Alan Silvestri à trilha sonora, que já tinha trabalhado em Capitão América: O Primeiro Vingador, e Os Vingadores. O tema principal dos heróis é de sua autoria, e com a confirmação de sua presença em Vingadores 4, Silvestri se torna o compositor com mais créditos em filmes de MCU, superando Brian Tyler, que fez a música em Homem de Ferro 3, Thor: O Mundo Sombrio e Vingadores: Era de Ultron

5 - Os nomes das músicas

Marvel Studios/Divulgação

Uma das marcas registradas de Silvestri em suas trilhas é usar frases do filme para diversos nomes de músicas. Em Vingadores: Guerra Infinita isso é o caso em algumas faixas, como "What More Could I Lose", "The End Game" e "What Did It Cost".

4 - As dificuldades

Marvel Studios/Divulgação

Alan Silvestri  disse que seu maior obstáculo ao criar a trilha de Guerra Infinita foi a enorme quantidade de personagens e ciclos, que criava mudanças drásticas de tom: "foi completamente diferente de tudo que eu já fiz, no sentido de conseguir equilibrar mudanças rápidas de humor". Ele continuou: "Quando algo trágico acontece, você quer que o público sinta a intensidade emocional. Mas daí no momento seguinte poderíamos estar em uma batalha, com algo engraçado acontecendo. Musicalmente, isto é um desafio enorme". 

3 - A diferença de Wakanda

Marvel Studios/Divulgação

Apesar de trazer a reunião e a culminação de diversos filmes do MCU, Guerra Infinita fez pouco uso de suas composições anteriores, feitas por diversos nomes diferentes. Silvestri explicou que o estúdio fez uma decisão de não incluir os temas antigos: "Na nossa primeira reunião nós questionamos, 'é possível fazer referência à cada um dos temas dos personagens?' Estávamos abertos a isso, mas todos concordaram que até tentar seria uma distração". Mesmo assim, o filme incluiu um toque especial, da trilha de Ludwig Göransson para Pantera Negra.

2 - A escolha dos Guardiões

Marvel Studios/Divulgação

A única música não original do filme veio, é claro, na cena com os Guardiões, e a escolhida fez muito sentido. "The Rubberband Man", faixa da banda The Spinners, foi sugestão do diretor de Guardiões da Galáxia, James Gunn, que selecionou a primeira música que ouviu quando ligou o rádio que seu pai lhe deu quando era criança. Esta história já tem uma certa relação com Peter Quill, que recebeu as fitas Awesome Mix de sua mãe. Além disso, a música é sobre um homem acima do peso e já foi intitulada "The Fat Man", o que também pode ser associado com as piadas que Drax faz com a imagem de Quill. 

1 - As Jóias do Infinito

Marvel Studios/Divulgação

Silvestri chegou a considerar criar temas específicos para cada uma das Jóias do Infinito, como criou para o Tesseract em Capitão América: O Primeiro Vingador, mas achou mais marcante deixar a trilha sonora fluir de acordo com a reação de Thanos a cada uma delas: "Toda vez que ele consegue uma pedra, o momento é significante e muitas vezes emotivo". Sobre a Ordem Negra, Silvestri decidiu manter o tema do vilão maior, e explicou a decisão muito bem: "Eles tem a mesma música de Thanos porque estão apenas executando a sua visão".