Filmes

Artigo

Painel As Aventuras de Tintim | Comic-Con 2011

Steven Spielberg e Peter Jackson discutem a adaptação de Hergé em San Diego

Érico Borgo
22.07.2011
21h12
Atualizada em
29.06.2018
02h47
Atualizada em 29.06.2018 às 02h47

Momento histórico na Comic-Con 2011. Steven Spielberg, o mais importante cineasta para a cultura pop, veio a San Diego para a maior celebração desse gênero do planeta para mostrar seu novo filme, As Aventuras de Tintim.

As Aventuras de Tintim

None

As Aventuras de Tintim

None

As Aventuras de Tintim

None

Introduzido por um clipe com cenas clássicas de seus filmes, Spielberg, depois de uma sessão de aplausos, começou explicando como entrou em contato com o universo de Tintim pela primeira vez. O diretor disse que desconhecia completamente a história em quadrinhos, até que leu uma critica francesa de Os Caçadores da Arca Perdida na ocasião do lançamento da aventura. O texto comparava os dois bastante e ele se interessou pelos álbuns.

Spielberg disse a seguir que a decisão de realizar o filme através de animação por captura de performance aconteceu há seis anos. "Acho o resultado incrível. Não se vê o rosto do ator, mas se reconhece cada nunace de seu trabalho".

A seguir, o cineasta informou que mostraria um teste de animação antigo. No telão 3D surgiu então Peter Jackson, produtor do filme, todo paramentado como o Capitão Haddock. No "teste" de elenco o diretor de O Senhor dos Anéis dizia que era enorme fã da HQ e que queria viver o personagem. Atrás dele, o cachorrinho Milu, criado por computação gráfica, pulava e tentava chamar atenção - até cair no rio.

Quando as luzes fora acesas, Peter Jackson estava sentado ao lado de Spielberg. Uma nova ovação se seguiu. "Eu lia histórias sobre ele, acompanhava seus filmes e estava ansioso pelo filme de Steven de Tintim. Foi inacreditavel quando ele me chamou. Tive que pensar por dois, taltvez rês segundos, para tomar a decisão de produzir e criar o filme com ele", começou. "Foi o impacto de Jurassic Park que fez com que eu me interessasse por computadores. Então juntei algum dinheiro e comprei meu primeiro sistema, para pesquisar o que eu poderia fazer ele no cinema. É maravilhoso como age o destino, já que estou agora justamente ao lado do homem sem o qual nada disso teria acontecido".

Jackson disse que, para ele, "a HQ de Tintim começa com uma qualidade escapista interessante. Depois, quando você é adulto, começa a entender mensagens sociais que estão inseridas ali e a ironia, as paródias... percebe-se as influências de Charlie Chaplin, Buster Keaton e a antiga Hollywood também", comentou.

Os cineastas explicaram que quiseram começar a história de Tintim com algo que mostrasse o primeiro encontro de Tintim e Haddock. "Pegamos um trecho de outro álbum e o colocamos dentro de O Segredo do Licorne, que é um dos mais divertidos e tem grande relevância para o passado de Haddock por tratar de sua herança. Fez sentido que começassemos por aí", disse Jackson.

Para Spielberg, o maior desafio foi contar a história com o visual dos filmes de Hergé, o criador de Tintim. "Não queríamos colocar atores no elenco que se parecessem com os personagens, ainda que eu ache Jamie Bell o Tintim perfeito mesmo se fosse na vida real. Queriamos honrar Hergé usando imagens que fizessem justiça ao trabalho dele. Nós amamos a arte e queríamos criar um híbrido de alguma forma entre animação e desenho. Queríamos texturas e detalhes que fossem de alguma maneira inacreditáveis para o público".

O diretor exaltou o processo da captura de performance dizendo que "é quase como filmar de verdade, já que podemos entrar no ambiente e mudar a câmera conforme entendermos. O controle é como um controle de PS3, que uso para controlar a ação dentro dela. No monitor eu vejo-os como os personagens e se olho para cima vejo os atores. É como ser um pintor. Posso controlar tudo o que eu quiser na hora. O processo é maravilhoso por permitir ângulos e movimentos de câmeras impossíveis na vida real. Mas não vou dizer que ele seria perfeito para todos os filmes. Mas para esse foi perfeito".

A seguir foram exibidas algumas cenas do filme. A qualidade na tela grande e em 3D impressionou muito mais que os trailers já lançados até aqui. Os diálogos e a atuação parecem absolutamente naturais, meio teatrais até. O clipe terminou com cenas breves de ação, igualmente impactantes.

Jackson e Spielberg disseram também que a parceria entre os dois é quase uma relação de irmãos. "A não ser pela minha relação com Geoerge Lucas, este é o melhor colaboração de minha carreira. A energia em Nova Zelândia é muito diferente da energia de Los Angeles", complementou Spielberg.

O painel terminou com uma sessão de perguntas dos fãs. Leia abaixo os melhores momentos:

  • "Meu filme favorito para fazer ET - O Extraterrestre. Mas por razões muito pessoais. Quanto estamos fazendo um filme nós formamos uma família, que é deixada para trás quando o filme acaba. Mas quando ET acabou eu percebi que gostava tanto de crianças que decidi ter meus próprios filhos. Hoje tenho sete - graças a ET!" - Steven Spielberg.
  • "Um dos projetos que mais gostei de produzir foi a trilogia De Volta Para o Futuro. Mas de todos os filmes que produzi, se eu tivesse que escolher um para dirigir seria Beleza Americana. Não consegui fazê-lo na época, mas ele ficou com a pessoa certa" - Steven Spielberg.
  • "O que produtores deveriam fazer é contratar um diretor e cair fora" - Steven Spielberg.
  • Jurassic Park 4 tem uma história, está sendo roteirizado e espero que ele aconteça nos próximos 2 ou 3 anos" - Steven Spielberg.
  • "Pretendo voltar a fazer filmes de terror eventualmente" - Peter Jackson.

Leia mais sobre As Aventuras de Tintim

Leia a cobertura completa da Comic-Con 2011