Séries e TV

Artigo

Com unicórnios e sem férias: 3ª temporada de The Witcher está a todo vapor

Omelete conversou com a showrunner da série, Lauren Schmidt Hissrich

Pedro Henrique Ribeiro
20.12.2021, às 20:22
Atualizada em 24.12.2021, às 13:00
Atualizada em 24.12.2021, às 13:00

Após um intervalo de quase dois anos entre as duas levas de episódios devido à pandemia do novo coronavírus, a equipe de The Witcher conseguiu entregar um trabalho ainda melhor na segunda temporada, já na Netflix. Com personagens mais emotivos e profundos, o segundo ano da série apostou em um caminho mais fantástico e com mais elementos do universo do anime. Todo esse trabalho, entretanto, exigiu muito de muitas equipes e foi coordenado pela mesma pessoa: a showrunner Lauren Schmidt Hissrich.

Lauren tem um currículo extenso na produção executiva de séries de fantasia e/ou adaptações de páginas de HQ. Entre os títulos que ela ostenta estão os aclamados Demolidor, The Witcher: Lenda do Lobo, The Witcher, The Umbrella Academy — todos da Netflix — e mais. O Omelete teve a oportunidade de conversar com a produtora sobre a segunda temporada da série sobre Geralt de Rívia. Além da temporada atual, Lauren também deu alguns detalhes sobre o próximo ano, que deve ser filmado em 2022. Confira o papo completo abaixo sem medo de spoilers:

Omelete: Quais foram os maiores desafios para produzir essa temporada?

Lauren: O maior desafio desta temporada foi de longe a covid. Tenho certeza que é a mesma resposta para qualquer um que está criando televisão ou fazendo qualquer trabalho este ano. Você sabe, na produção, sempre temos que nos adaptar, parte do nosso trabalho é se adaptar a coisas novas que são inesperadas e mudam em algum momento. E isso não era algo que sabíamos como nos adaptar, obviamente. Fechamos no meio da nossa temporada por cerca de cinco meses, o que nos deu a chance de olhar para os roteiros novamente e ter certeza de que estávamos felizes com eles. Mas voltamos e garantimos que nossa equipe se sentisse segura e que ainda podíamos fazer o tamanho da série meio que o escopo do que queríamos, mesmo quando não podíamos viajar, e não podíamos ter mais de 10 pessoas em uma sala às vezes. Foi um grande desafio, mas estou muito orgulhosa do fato de que fizemos isso e acho que fizemos bem.

Omelete: The Witcher possui muitas personagens femininas fortes. Isso é uma preocupação da produção?

Lauren: É uma preocupação de produção com as mulheres fortes? Quer dizer, eu acho que é uma parte maravilhosa da nossa série é que temos personagens fortes que são viris, personagens fortes que são mulheres, personagens fortes têm todos os tipos de raças e culturas, nosso principal objetivo era garantir que todos pudessem se encontrar em The Witcher em algum lugar. E como mulher, isso era muito, muito importante para mim. Eu sentia que nem sempre poderia assistir a programas de fantasia e ver alguém que se relacionasse comigo de uma forma real. E eu acho que Witcher tem isso para muitas pessoas.

Como estão os trabalhos para a terceira temporada?

O trabalho nunca para. E alguém me perguntou antes se eu estava tirando férias agora e eu pensei, ‘O quê? Não’. Acabamos de escrever a terceira temporada, estou incrivelmente orgulhosa disso. Estou tão animada com a adaptação do próximo romance. E vamos começar a filmar com esperança no próximo ano, algum dia, sabe, se o mundo permitir?

Vocês já sabem quantas temporadas pretendem fazer?

Oh, você sabe, eu disse tudo, de sete temporadas a 20 temporadas. Meu objetivo é seguir os livros. Eu acho que na segunda temporada, estamos sempre adicionando enredos ou deixando de lado coisas que não são facilmente traduzíveis para a tela. Mas eu acho que com [Andrzej] Sapkowski, o autor sabia onde ele queria que as histórias terminassem. Então, isso é algo que vamos manter em mente enquanto escrevemos.

Tem algo que você gostaria de ter feito na segunda temporada, mas não conseguiu?

Sim, sempre, acho que é muito normal terminar uma série e pensar: ‘ah, há coisas que eu teria adorado colocar lá’. E mesmo agora, enquanto estamos escrevendo a terceira temporada, há coisas que eu penso, ‘Oh, eu gostaria que tivéssemos feito isso’. Minha maior tristeza na segunda temporada, porém, é novamente, relacionada à covid. Uma das coisas que sempre adoro fazer é ir e filmar na Polônia, de onde vem a série de livros, e não podíamos, não podíamos deixar o Reino Unido. E, para mim, foi muito triste. Foi muito triste não poder filmar no mundo todo e meio que homenagear os livros, a herança polonesa, e voltar lá novamente. Espero que possamos viajar um pouco mais na terceira temporada.

O que você mais gosta em The Witcher?

Bom, eu vou te dar algumas respostas. Eu amo as coisas no centro desta história. Tipo, se você tirar a magia, os monstros e grandes tipos de batalhas medievais, você tem esse trio de personagens que é realmente uma família. E isso é algo que me atraiu para os livros no início. A série inteira não depende desses grandes tropos de fantasia, depende da conexão entre essas três pessoas, entre Geralt, Ciri e Yenn. E isso parece algo que eu poderia escrever o dia todo. Amo escrever sobre família. Mas a outra coisa que acho que adoro em The Witcher, e o que o torna diferente de muita fantasia é que é muito engraçada. Esta temporada é muito séria, eu acho que as apostas estão definitivamente mais altas. Mas a série é autoconsciente, pode zombar de si mesmo, é um pouco estranho. No futuro, vamos apresentar um unicórnio. Quero dizer, ela meio que se permite ser o que é, nem sempre tenta ser muito séria. E acho que isso a torna realmente especial.

O que os fãs podem esperar dessa temporada?

Oh, eu acho que os fãs podem esperar alguns monstros realmente malucos. Estou muito orgulhosa dos monstros desta temporada, eles têm muito mais tempo de tela e mais caracterização. Eles meio que têm suas próprias histórias. Acho que os fãs podem ver que eles vão ter um novo lado de Geralt [Henry Cavill], ele está um pouco mais aberto nesta temporada. Ele é um pouco mais suave em seu relacionamento com Ciri [Freya Allan], o que eu acho que é um lado totalmente novo desse personagem. E eu acho que algumas batalhas muito épicas ao longo do tipo de relacionamento.

O que você diria para convencer alguém a assistir The Witcher?

Eu diria que é diferente de tudo que você já viu antes. Acho que muitas pessoas chegam pensando, ‘Oh, vai ser Game of Thrones, ou oh, vai ser como os videogames’ ou qualquer número de comparações. E minhas críticas favoritas da primeira temporada são quando as pessoas simplesmente dizem que é um pouco selvagem. É um passeio selvagem. Mas é muito divertido. É isso que quero que as pessoas saibam. É certamente seu próprio sabor de fantasia.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.