Corona Zombies, comédia de terror sobre o coronavírus

Créditos da imagem: Corona Zombies/Full Moon Features

Filmes

Artigo

Corona Zombies | Conheça o terror trash sobre a pandemia do coronavírus

Tentando monetizar a crise, filme-b é um Tela Class com o dobro da duração e menos da metade do carisma

Arthur Eloi
27.04.2020
13h04
Atualizada em
27.04.2020
13h03
Atualizada em 27.04.2020 às 13h03

O gênero de terror é tão duradouro por estar em constante evolução, para refletir os medos contemporâneos. Nada deixa isso mais claro do que no submundo do Exploitation, filmes baratos, feitos com o objetivo de lucrar em cima de temáticas pontuais com bastante sensacionalismo. Enquanto o mundo passa por um assustador período de incertezas causado pelo coronavírus, a produtora Full Moon Features já encontrou uma forma de monetizar a crise com Corona Zombies.

Lançado um dia antes da Organização Mundial da Saúde declarar estado de pandemia, a comédia de horror exala aura trash logo na premissa, de retratar os eventos atuais como um apocalipse zumbi. A ideia passou pela cabeça de muita gente, especialmente ao ritmo que cenas como shopping-centers reabrindo em meio a pandemia lembram a crítica social de George Romero em O Despertar dos Mortos(1978). Os paralelos são óbvios, mas o resultado é ainda mais inusitado, já que Corona Zombies quase não tem nada de original.

Filmes do tipo não escondem que a produção é apressada para tentar manter a pontualidade da temática, mas o mais surpreendente aqui é que apenas 10 minutos da hora de duração são material gravado para o longa. Isso incluiu a protagonista Barbie (Cody Renee Cameron) conversando com uma amiga no telefone sobre a falta de produtos no mercado, como álcool em gel e papel higiênico, e depois tomando um banho para evitar a contaminação (de roupas, por algum motivo). E quanto aos demais 50 minutos? Bom...

Através do noticiário na TV, a trama explora a origem do vírus e também sua proliferação. Além de usar pedaços de reportagens reais, o filme também combina cenas de Zombies vs. Strippers (2008) e do italiano Os Predadores da Noite (1980). Para unificar tudo isso na temática do coronavírus, o longa redubla os trechos ao estilo Tela Class, icônico quadro de Hermes e Renato, mas com o dobro da duração e sem metade do carisma.

Não é certo se a Full Moon Features teve autorização para usar os clipes de outras obras, mas é bem possível que tenham comprado os direitos do material. O roteiro da redublagem, que é a única coisa original que realmente pode ser avaliada, é medíocre com piadas óbvias e pouco impactantes. Fosse mais curto se sustentaria para assistir ironicamente mas, do jeito que é, cansa rapidamente.

O cinema barato e apelativo sempre vai existir, e merece atenção por suas pérolas, tanto as absurdas quanto as que demonstram qualidade em meio à muita porcaria. Corona Zombies acerta apenas na ousadia, de entregar como produto algo que é apenas um recorte de obras melhores e mais originais, e de brincar com um momento tão sensível e horrorizante quanto o atual. Vai render uma ou outra risada, e as cenas sangrentas de Os Predadores da Noite divertem, mas com tantas opções de trash melhores, o ideal é passar longe - sem sair de casa, claro.