Pânico

Créditos da imagem: Reprocução

Filmes

Lista

31 mortes impactantes de filmes de terror

Como tradição, lista especial de Halloween escolhe um filme por dia durante o mês de outubro

Omelete
26 min de leitura

O mês do Dia das Bruxas finalmente chegou e o Omelete já pode começar a sua melhor tradição do ano: a árdua tarefa de recomendar um filme por dia até o Halloween. Depois de listar os títulos essenciais do gênero, as cenas icônicas e os melhores personagens, 2022 veio com um tema nada fácil: as 31 mortes mais impactantes dos filmes de terror.

Seja por personagens queridos, por mortes esdrúxulas ou absolutamente brutais, durante os 31 dias de outubro vamos relembrar alguma despedida marcante da história do gênero mais desgraçado do cinema. Confira - e, obviamente, cuidado com spoilers! 

01/10 - O sacrifício do Padre Karras, em O Exorcista (1973)

O Exorcista
Warner Bros

O mês está só começando, então vamos com uma morte leve, mas definitivamente clássica. Leve porque o nosso querido Padre Karras se sacrificou para um bem maior, e seu destino conclui O Exorcista de modo positivo. Karras é uma das únicas na nossa lista de 31 mortes que, sejamos sinceros, veio para o bem. 

Depois de duas horas de sofrimento da pobre Reagan, possuída pelo demônio Pazuzu, e a morte do Padre Merrin, Damien Karras (Jason Miller) perde a paciência com os meios convencionais e começa a espancar a garota, pedindo que a entidade o possua no lugar da criança. A vontade é concedida, mas assim que Damien começa a exibir as marcas do demônio no rosto ele se joga da janela, morrendo no fim daquela icônica escada. Sua morte marca tanto a conclusão de um arco - porque o padre sofria com uma crise de fé e salvar uma criança de um destino horrível acaba soando como sua redenção - como entrega um desfecho perfeitamente amargo para O Exorcista

Onde assistir: disponível na HBO Max

02/10 - A precoce morte de Casey, em Pânico (1996)

Pânico
Woods Entertainment

Não teria como fazer uma lista de melhores mortes do terror sem citar o assassinato de Casey Becker em Pânico (1996). Além de ser um dos momentos mais brilhantes e mais tensos dos slashers, a primeira morte da franquia se tornou um marco para a cultura pop e continua chocando até quem demorou 26 anos para assistir ao filme.

Para começar, a morte de Casey “acaba” com a participação de Drew Barrymore na franquia em apenas 10 minutos - e de quebra pegou de surpresa quem acreditou que ela seria uma das protagonistas do filme. Apesar de não ser a primeira vítima do Ghostface, toda a jornada da jovem até seu destino final é desesperadora: ela é perseguida pelo assassino dentro de sua própria casa, assiste à morte do seu namorado no quintal, é cruelmente assassinada e ainda por cima é pendurada em uma árvore para que seus pais a encontrem morta na frente de sua casa. Ela até pode não ser a protagonista do filme, mas no quesito morte, com certeza será uma daquelas que nunca vamos esquecer.

Onde assistir: disponível na Globoplay

03/10 - O ritual dos velhinhos de Midsommar (2019)

Midsommar
A24

Para muitos (assim como para esta que lhes escreve), a cena do ritual Ättestupa em Midsommar é uma das sequências mais inesquecíveis do cinema recente. São dois personagens pouco envolvidos na trama, mas o sacrifício dos anciões nesta vila sueca é não apenas absolutamente brutal como marca o começo do fim, a percepção de que esta comunidade aparentemente pacífica e bucólica tem suas sinistras excentricidades. Para a personagem de Dani (Florence Pugh) é aqui que ela é forçada a encarar a realidade da morte e de tudo que se passou com sua família. 

O momento não é apenas gigante narrativamente, como a Ättestupa é também visualmente difícil de esquecer, porque Ari Aster insiste em prolongar a antecipação e focar no resultado fatal da sequência. Como se não bastasse, o diretor se delicia com o velhinho que permanece vivo, e insiste no absurdo com marretadas que, para alguns, acabam em risos nervosos. 

Onde assistir: disponível na Globoplay

04/10 - A explosão em Casamento Sangrento (2019) (cuidado com spoilers!)

Casamento Sangrento
Searchlight Pictures

Talvez, assim como a morte do padre Karras em O Exorcista, a explosão de toda a família Le Domas em Casamento Sangrento (2019) tenha sido um mal que veio para o bem na vida de Grace (Samara Weaving). Afinal, que atire a primeira pedra quem passou por um relacionamento um tanto “complicado” com o parceiro (ou ex-parceiro, depois da cena em questão) e não quis se livrar de tudo isso, incluindo de seus sogros e cunhados com tradições bem peculiares.

A tradição, nesse caso, trata-se de uma maldição que, sempre que alguém da família se casar, o novo membro deverá sortear uma carta para participar de um jogo. Se a carta sorteada for "Esconde-Esconde", o resto da família deverá encontrar o novo membro e sacrificá-lo num ritual antes do amanhecer, ou todos morrerão. 

No caso de Grace, a jovem consegue escapar do ritual e é aí que o banho de sangue começa: um a um da família, começando pela tia ranzinza Helene (Nicky Guadagni), começa a explodir numa cena belíssima e extremamente sangrenta. Alex (Mark O'Brien) ainda tenta se desculpar com a noiva, mas ela anuncia que quer o divórcio e assiste seu então ex-marido explodir bem na sua frente. Não tem como assistir toda a cena sem ficar com um sorriso no rosto, e também respirar aliviado! 

Onde assistir: disponível no Star+

05/10 - A carnificina em Pam de Massacre da Serra Elétrica (1974)

Massacre da Serra Elétrica
Vortex

Leatherface é um dos serial killers mais icônicos do terror, porque seu absoluto desprezo por seres humanos, combinado com seu estilo de açougueiro, é irresistível. No original Massacre da Serra Elétrica, quem sofre mais literalmente com seu estilo de matança é Pam - uma personagem que acaba desvirtuando a nossa lista por não morrer em tela, como a grande maioria. 

Mesmo assim, Pam faz jus às mortes impactantes pelo seu destino no longa de 1974. Terceira a morrer, Pam entra na residência macabra dos Sawyers em busca de Kirk e, depois de se assustar prolongadamente com a decoração bizarra, tenta fugir. É aí que ela é capturada por Leatherface e colocada em um gancho, como carne em açougue. A partir daí só vemos Pam mais uma vez, no refrigerador, ainda viva - para nunca mais aparecer de novo. A teoria é que a garota foi servida naquele jantar da sequência final. Vai dizer que isso não te impactou?

Onde assistir: disponível no Looke, NetMovies e Oldflix.

06/10 - A morte de Charlie em Hereditário (2018)

A24

Uma decapitação sempre será um momento extremamente chocante em qualquer filme de terror. Porém, a cena da morte de Charlie (Milly Shapiro) em Hereditário (2018) é, com toda a certeza, uma das sequências mais marcantes e desesperadoras do cinema recente. A cena em questão mistura tudo o que uma memorável cena de morte deve ter: angústia, choque e a necessidade de precisar de alguns minutos para digerir o que acabou de acontecer - qualidade também presente em Midsommar, outra produção de Ari Aster que já falamos por aqui.

Tudo começa após a garota comer um pedaço de bolo de nozes, ingrediente o qual é alérgica. O que acontece a partir dali é rápido e tenebroso. Ela entra no carro do irmão para tentar chegar ao hospital e, num momento de desespero, coloca a cabeça para fora para tentar respirar. A crueza da sequência é o que deixa quem está assistindo ainda mais impressionado, afinal, Peter (Alex Wolff) tenta desviar de um cervo e acaba arrancando a cabeça da própria irmã ao bater em um poste. O choque é tão grande que ele volta para casa sem nenhuma reação, com o corpo da irmã no banco de trás - e que será descoberto somente no dia seguinte por sua mãe (Toni Collette).

Essa não é a primeira cabeça decapitada no filme (e nem a última, não é mesmo Paimon?), mas com certeza é a que ficará na sua memória por um bom tempo.

Onde assistir: disponível na HBO Max

07/10 - A digestão de Quint em Tubarão (1975)

Universal Pictures/Divulgaçaõ

Por mais que seja (indiscutivelmente, ok?) um filme de terror, o clima dos colegas de barco de Tubarão vira e mexe nos distrai dos horrores que cercam os passageiros daquele barco que precisava ser maior. E é logo após um desses momentos - a noite em que Quint, Brody e Hooper finalmente se dão bem e cantam canções de marinheiro - que a criatura volta para o seu ataque final, que resulta na morte inesquecível do pescador. 

Pode ter sido um momento recompensador pra quem torceu pelo mal do nosso mais carrancudo personagem, mas Quint era o mais experiente do barco, e sua morte não apenas marca o fundo do poço para a jornada de nossos personagens, antes da conclusão final, como é visualmente inesquecível. O jeito que Steven Spielberg capturou a morte de Quint é mais uma comprovação da realização absurda de Tubarão, uma que certamente não seria feita do mesmo modo hoje em dia. Com apenas efeitos práticos e uma criatura que é amedrontadora exatamente por seus "olhos mortos", Quint se vai devorado pelo tubarão em uma cena dramática que merece ser revista várias vezes.

Onde assistir: disponível na Netflix, Prime Video, Globoplay e Net Now

08/10 - Ashley e Ashlyn sendo queimadas vivas em Premonição 3 (2006)

Divulgação

Premonição talvez tenha deixado uma legião de pessoas traumatizadas (assim como eu) com coisas simples do dia a dia. Desde seu primeiro filme, no início dos anos 2000, os longas apresentaram uma vasta seleção de mortes absurdas, que vão desde ter a cabeça esmagada pelo aparelho de musculação até ser sugado pelo ralo da piscina, mas nenhuma foi tão inesquecível quanto a câmara de bronzeamento em Premonição 3 (2006).

O vilão aqui é apenas o destino, e Ashley e Ashlyn com certeza não tiveram medo da morte quando resolveram se aventurar em uma câmara de bronzeamento questionável. Sem ter como escapar, a dupla é queimada viva após uma bebida causar curto circuito nas camas e uma prateleira trancar as duas dentro do aparelho, que atinge temperaturas mortais. Tudo fica ainda melhor quando os caixões da dupla aparecem lado a lado, assim como o local onde morreram, o que marca a sequência como uma das melhores mortes de toda a franquia.

Onde assistir: disponível na Globoplay

09/10 - A decapitação de Pamela Vorhees em Sexta-Feira 13 (1980)

Paramount Pictures

Pamela Vorhees, a assassina do primeiro Sexta-Feira 13, tem apenas alguns minutos de tela, mas sua simples existência é um ato revolucionário no terror. Ela chega invertendo expectativas do nosso assassino - mesmo pra quem chega décadas depois aguardando a revelação de um Jason - mas infelizmente a psicopata se despede cedo demais. 

O fim de Sexta-Feira 13 funciona perfeitamente bem (melhor que o resto do filme todo, diga-se de passagem), desde a revelação de Pamela até a sua decapitação. Enfrentando Alice na beira do lago do acampamento Crystal Lake, Pamela briga com a motivação de uma mãe vingativa, mas o confronto infelizmente acaba em sua decapitação. Como se não bastasse, seus últimos segundos contam com uma revolta sem-cabeça, expressa apenas pelas suas mãos. 

Onde assistir: disponível na HBO Max.

10/10 - A escolha brutal da armadilha de urso reversa em Jogos Mortais (2004)

(Lionsgate Films)
(Lionsgate Films)

Escolher apenas uma morte entre todos os filmes de Jogos Mortais é uma tarefa árdua. O item dessa lista, por exemplo, quase foi substituído pela morte do policial Sing (Ken Leung) na emboscada planejada por Jigsaw por causa do fator surpresa, mas no final, a clássica armadilha de urso reversa do primeiro longa foi a vencedora.

Dessa vez, a morte em questão não é da vítima capturada pelo icônico assassino, mas da única opção que ele deu para Amanda Young (Shawnee Smith) sobreviver: matar seu colega de cela e retirar a chave que a liberta da armadilha de dentro de seu estômago. Ao mesmo tempo que você acredita que a jovem não terá coragem de matar o homem para sobreviver, sabe pelo olhar da mulher que ela fará de tudo para salvar sua vida nos míseros 60 segundos até a armadilha disparar. É claro que James Wan transformou a cena em um dos momentos mais angustiantes dos últimos tempos, até porque não é todo dia que vemos alguém abrindo a barriga do parceiro a facadas e procurando em suas entranhas a chance de escapar da morte. 

Amanda sobrevive (por enquanto), mas não podemos dizer o mesmo de seu colega e nem de como a cena ficou marcada na memória durante muitos anos.

Onde assistir: disponível na HBO Max e Star+

11/10 - Frank destroçado em Hellraiser (1987)

Film Futures

Existe algo sobre o sangue anos 80 de Hellraiser que é particularmente inesquecível. E Hellraiser, de Clive Barker, tem algumas das cenas mais aflitivas e sanguinolentas da época, por mais que tenha passado por diversos cortes devido à censura. São diversas mortes e uma ressurreição bastante icônicas, mas se tem uma cena que é prolongadamente angustiante é a segunda morte de Frank, na reta final do longa. 

Depois de ser atraído ao sótão por Kristy, Frank é subitamente capturado novamente pelos Cenobitas, que o prendem com um gancho inicial em sua mão. Se isso já foi aflitivo, a cena só se intensifica, e rapidamente: nosso antagonista principal é completamente enganchado pelos seres de outra dimensão, que o prendem em todo o seu corpo e seu rosto. "E Jesus chorou", diz Frank, misteriosamente, antes de ser completamente dilacerado no sótão.

Onde assistir: disponível no Prime Video e na MUBI

12/10 - O doloroso assassinato de Dewey em Pânico (2022)

Paramount Pictures

Nunca faltaram mortes brutais em Pânico, mas nenhuma atingiu tanto o emocional dos fãs quanto a morte de Dewey Riley (David Arquette) no longa de 2022. Bem antes do filme ser lançado, já havia a expectativa de que um dos três sobreviventes da franquia tivesse um destino um tanto sangrento, mas ainda assim, ninguém realmente esperava que isso acontecesse — ou pelo menos que Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett não tivessem coragem de concretizar o que era óbvio.

Ao confrontar Ghostface enquanto Sam, Tara e Richie tentam escapar do hospital de Woodsboro, Dewey consegue atirar várias vezes no peito do assassino e faz com que o trio saia do local. Mas, como nem tudo é tão fácil assim, ele lembra de uma regra simples de qualquer filme de terror: se você não atirar na cabeça, é praticamente certeza que o assassino vai voltar.

O que acontece a partir dali é um dos momentos mais doloridos da franquia, com Dewey errando o tiro e sendo esfaqueado pelo Ghostface, que faz questão de cortá-lo pelo estômago e pelas costas. A cena se encerra com Gale (Courteney Cox) chegando ao hospital e se deparando com o corpo de seu ex-marido sendo levado para o necrotério, que com certeza vai te arrancar algumas lágrimas.

Onde assistir: disponível na Globoplay e NOW

13/10 - A cabeça perfurada de Paris Hilton em A Casa de Cera (2005)

*colaboração de Caio Coletti

“Veja Paris morrer!, incitavam pôsteres, camisetas e artes promocionais de A Casa de Cera pouco antes do seu lançamento americano, em maio de 2005. A herdeira da rede de hotelaria Hilton era uma das figuras midiáticas mais ubíquas da época, estrelando reality shows, lançando canções de impacto surpreendentemente duradouro na cultura pop e aparecendo quase diariamente nas capas e páginas iniciais de tabloides físicos e virtuais. Sex symbol, ícone de moda e comportamento… e uma das mulheres mais amargamente odiadas da era da internet.

Quando ela apareceu como coadjuvante de um filme de terror, portanto, não foi o elemento surpresa sobre o seu destino que fez milhões comparecerem aos cinemas. A Casa de Cera sabia que muita gente queria “ver Paris morrer”, seja para exaltá-la como ícone pop ou satisfazer alguma curiosidade mórbida, alguma vontade mesquinha de ver a maior encarnação da alta sociedade reduzida à condição de vítima. O diretor Jaume Collet-Serra entrega tudo o que todas essas pessoas poderiam querer: uma perseguição tensa de quase 7 minutos, que termina em um verdadeiro banho de sangue.

No final, ao se aproximar do corpo de sua vítima, o assassino não consegue resistir a sacar uma câmera do bolso e gravar um vídeo. Quem conseguiria? Ela é Paris Hilton, afinal de contas!

Onde assistir: disponível na HBO Max e no NOW

14/10 - Bob no armário em Halloween (1978)

Celebrando o retorno de Michael Myers aos cinemas com o ótimo Halloween Ends, hoje é dia de um dos mais icônicos serial killers do terror. Além do crime que marca sua história de origem, naquela linda primeira cena de Halloween, existe um ato específico no filme de 1978 que basicamente define o jeitão de Myers, e esta pode ser discreta - mas é certamente uma das mortes mais memoráveis do longa original. 

Isso porque é no assassinato de Bob que Michael mostra toda sua frieza. Logo depois de matar Annie, Michael se encaminha para a casa onde Lynda e Bob se divertem. Lá, ele assusta Bob na cozinha (com um lindo jump scare), e rapidamente enfia uma faca que pendura o jovem no armário. A facada pode ter sido rápida, mas a cena ainda dura algum tempo, com Michael encarando sua obra de arte.

Onde assistir: disponível em streaming no Paramount+, Globoplay e Net Now.

15/10 - Adrien é devorado por Alexia em Raw (2016)

Focus World/Wild Bunch
Focus World/Wild Bunch

Que Julia Ducournau tem um jeito peculiar de te deixar impressionado com seus filmes não dá pra negar, mas bem antes de deixar muita gente chocada com Titane (2021), ela nos presenteou com um filme que particularmente tem o seu lugar nos meus favoritos: Raw (2016). 

Toda a trajetória de autodescoberta de Justine (Garance Marillier) é magnífica, mas, ao mesmo tempo, extremamente sangrenta, que envolve devorar vários tipos de carne – incluindo o dedo da sua própria irmã (uma cena bem grotesca, por sinal). Mas o dedo não vem ao caso, até porque a cena escolhida é a da morte de Adrien, melhor amigo e possivelmente o amor da vida de Justine.

Ao acordar, a jovem percebe que seu amigo não responde como ela gostaria e logo sente o banho de sangue que está por baixo das cobertas. Ao descobrir o corpo de Adrien, ela o encontra com a perna completamente dilacerada por mordidas e uma ferida causada por um equipamento de esqui nas costas. Ela então entra em pânico com a possibilidade de ter devorado seu colega. O desespero de Justine dura pouco, porque ela logo descobre que foi sua irmã Alexia que acabou comendo a perna do homem, mas o impacto um tanto indigesto dessa cena garantiu um lugar nesta seleta lista.

Indisponível no Brasil.

16/10 - A violenta introdução de Corrente do Mal (2014)

Reprodução
Reprodução

O filme de David Robert Mitchell é um dos mais assustadores do terror recente, e muito de seu apelo está no mistério de sua ameaça. Para simbolizar tudo isso, Corrente do Mal começa com uma sequência absolutamente perfeita, para preparar o terreno. 

It Follows começa com uma jovem assustadíssima, correndo da sua casa e olhando para trás, como se uma ameaça se aproximasse rapidamente - mas, para nós, é impossível ver o que exatamente a persegue. É um começo também sensível, já que assim que chega em um lugar isolado, a garota liga para alguém e compartilha sentimentos. Como se já não estivesse claro, aí temos certeza de que este é um perigo de vida, e a comprovação vem logo depois, porque Robert Mitchell corta subitamente para a jovem absolutamente destroçada. É um começo bem simbólico para um dos mais arrebatadores filmes recentes. 

Onde assistir: disponível na Netflix.

17/10 - A transformação de Frank em morto-vivo em Extermínio (2002)

Há 20 anos, Danny Boyle apresentava um dos filmes que reanimaria o subgênero de filmes de zumbi, trazendo de volta o interesse do público pelos mortos-vivos com o excelente Extermínio

Acordar em uma Londres deserta e dar de cara com o apocalipse zumbi já é uma experiência marcante de se ver nas telas, mas apesar de Cillian Murphy encontrar várias mortes grotescas em seu caminho, a transformação (e morte) de Frank (Brendan Gleeson) continua sendo a mais tocante. O impacto da cena não vem do sangue, entranhas expostas ou nada disso, mas da sofrida despedida do personagem e sua filha Hannah, e de seu final trágico após ser acidentalmente infectado com uma gota de sangue de um morto-vivo que cai dentro de seu olho. A cena em questão tem pouco mais de 1 minuto e termina com Frank sendo alvejado por inúmeras balas, que provavelmente te deixará em profunda tristeza até os créditos finais.

Onde assistir: disponível no Star+

18/10 - O moço cortado ao meio em 13 Fantasmas (2001)

Se você pensou que a nossa lista de 31 mortes impactantes de terror não teria filme ruim, pense novamente - estamos aqui para atestar o valor de uma produção medíocre, que comprova que não é necessário grandes talentos, roteiros ou sustos para marcar um público. 

Lançado em 2001, 13 Fantasmas foi um fracasso comercial e de críticas, mas ele certamente tem algumas coisas que funcionam - e uma delas é precisamente uma morte impactante. O bom é que não é preciso ver muito para chegar nela: depois de introduzir a família que herdou uma casa esquisitíssima de um tio distante, 13 Fantasmas foca no personagem menos gostável de todos, o advogado, que caminha sozinho pela casa até que finalmente dá de cara com uma entidade doida. Bizarramente, não é nem a fantasma nua que lhe ameaça, e sim os labirintos dessa casa cheia de portas de vidro: em seu caminho pelos corredores, o advogado é simplesmente repartido no meio por um vidro, e a câmera faz questão de esperar para que as duas fatias do ser humano deslizem até o chão. Icônico. 

Onde assistir: disponível no Claro Video.

19/10 - Phillip vira marionete de Freddy em A Hora do Pesadelo 3 (1987)

Além de Pânico, era impossível fazer essa lista sem citar uma outra obra memorável de Wes Craven que marcou o cinema de horror: A Hora do Pesadelo. Para abrir o momento de Freddy Krueger por aqui, a cena escolhida é a angustiante morte de Phillip em A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos (1987).

Durante o pesadelo do jovem, Freddy aparece como um fantoche sinistro e corta os tendões e artérias de Phillip, usando-os como cordas das marionetes que o garoto tanto gosta. No controle do corpo do jovem, o vilão o força a caminhar pelo hospital psiquiátrico até o topo de uma torre, onde seus amigos gritam desesperados para que ele acorde. É claro que nada funciona e Freddy "corta" as cordas que o seguram e fazem com que Phillip caia do topo do local. A morte marca o início do fim desses jovens atormentados por Freddy, e com certeza fará com que você tenha pesadelos imaginando ter os seus tendões arrancados para se transformar numa marionete! 

Onde assistir: disponível na HBO Max

20/10 - A lenta morte contorcida de Olga em Suspiria (2018)

Hoje é dia de deixar fã de Dario Argento bravo, porque o Suspiria original acabou ficando de fora da nossa lista. Podemos começar pedindo perdão? Suspiria de 1977 é icônico e, inclusive, pode até ser nossa recomendação oficial de hoje, mas quem entra na lista de mortes impactantes é a Olga do remake de Luca Guadagnino. 

Isso porque a cena da dança de Suzy - nesse interpretado por Dakota Johnson - que causa a lenta e horrível morte da personagem de Elena Fokina é daquelas que faz a gente parar de comer pipoca e querer tirar tudo da frente. Enquanto a música toca e Suzy impressiona a Madame Blanc, Olga está trancada numa sala, sozinha, sofrendo os efeitos sobrenaturais do que se passa no cômodo ao lado. E é se contorcendo absolutamente inteira, quebrando membro por membro, que a jovem desfalece, em uma das cenas mais difíceis de assistir do terror recente. 

Onde assistir: disponível no Prime Video.

21/10 - O pequeno Georgie no começo de It: A Coisa (2017)

A morte de Georgie no início de It: A Coisa (versão 2017) é outra que não testemunhamos, mas sua captura pelo palhaço Pennywise na cena de introdução do longa é simplesmente arrebatadora - e até entrou para nossa lista de cenas icônicas do terror. 

Isso porque a sequência inicial do filme de Andy Muschietti passa seus primeiros momentos focando na mais pura inocência do garoto, que brinca com seu barquinho na chuva e vive sua vida tranquilamente. E a partir do momento em que o brinquedo cai no bueiro e Georgie começa a falar com o palhaço assassino é impossível não torcer pela sua sobrevivência - por mais que toda a cena tenha um clima de antecipação pelo pior. Ver o pequeno caindo nas garras de Pennywise, que devora seu braço sem nenhuma piedade, é cruel demais, e um baita jeito de começar um filme (por mais que o resto não seja lá tão recompensador). 

Onde assistir: disponível na HBO Max.

22/10 - A criatura saindo do peito de Kane em Alien, o Oitavo Passageiro (1979)

Não seria possível escrever sobre as mortes mais icônicas do terror sem citar aquela que é, também, uma das cenas mais marcantes do cinema em geral. Vai dizer que a cena do jantar em Alien, o Oitavo Passageiro (1978), mais precisamente quando a criatura sai do peito de Kane (John Hurt), não te traumatizou?

Sangrenta e desesperadora, tudo começa após Kane ser infectado por algo que foge do imaginário dos tripulantes da Nostromo. Quando o grupo finalmente se reúne para o jantar, o homem começa a agonizar com o que habita seu corpo. Logo em seguida, Kane tem seu peito aberto pela bizarra criatura, que sai de suas entranhas e parte para destruir (quase) todos os tripulantes do local.

Além de marcar o memorável nascimento de um dos maiores monstros da cultura pop, é impossível não ficar chocado e enojado com tamanha brutalidade! 

Onde assistir: disponível no Star+

 

23 /10 - Caleb é enfeitiçado em A Bruxa (2015)

A nossa lista chega em sua reta final e, é claro, não poderíamos deixar de fora a morte que representa todo o mal-estar que é assistir A Bruxa (2015). E isso não significa algo ruim - muito pelo contrário - essa é talvez uma das mortes mais sinistras e marcantes do terror atual.

Após sair com Thomasin em busca de comida, Caleb acaba se perdendo na floresta e é seduzido por uma bruxa. Na noite seguinte, o jovem retorna para casa, enfeitiçado e prestes a ter seu destino selado com a morte. 

A cena é extremamente claustrofóbica, com todos os personagens reunidos em um quarto minúsculo, e Caleb dizendo coisas incompreensíveis (e o destaque aqui vai para a atuação memorável de Harvey Scrimshaw). O pânico aumenta quando o garoto vomita uma maçã ensanguentada, com uma marca de mordida, que confirma para a família que ele realmente caiu nas garras de uma bruxa. Caleb começa então a agonizar e declamar seu amor por Jesus Cristo, num ato de desespero, e morre na frente de sua família. Vai falar que o longa de Robert Eggers não te deixou com aquele frio na espinha de agonia?

Onde assistir: disponível na Netflix, Prime Video, Globoplay e NOW

24/10 - O enforcamento da babá de A Profecia (1976 ou 2006)

Se o sacrifício do Padre Karras que abriu nossa lista foi para o bem maior, nosso segundo ato de suicídio na lista de mortes impactantes é bem diferente e, apesar de aparentar ter sido em livre-arbítrio ele foi, claro, resultado das ações do capeta.

Quando a babá de Damien decide assustar umas 50 criancinhas no aniversário do pequeno anticristo, ela é taxada como doida e irresponsável, mas a pobre mulher estava sob comando tanto de Damien quanto de satã, presente na figura do rottweiller que surge no jardim dos Thorns naquele dia aparentemente pacífico. Seja no original de 1976 ou no ótimo remake de 2006, o momento "é tudo por você, Damien!" é certamente marcante.

Onde assistir: A Profecia de 1976 está indisponível no Brasil. O remake de 2006 está disponível no Star+.  

25/10 - O castigo de Juno em Abismo do Medo (2005)

Quem viu o ótimo terror de Neil Marshall de 2006, Abismo do Medo, lembra que a personagem de Juno é exatamente aquela jovem moralmente questionável, lutadora, que tem um ponto a provar e poucos escrúpulos para acompanhá-la nesse caminho. E certamente há motivos para odiar a moça que levou o grupo de amigas para uma caverna desconhecida sem o consentimento de ninguém (ai, Juno) - mas é difícil não ficar chocado com o seu destino ao fim do filme.

Durante toda a jornada das amigas, Abismo do Medo circula os conflitos entre Sarah, nossa protagonista, e Juno, amiga que a abandonou no seu ano de luto e agora busca certa redenção com a jornada aventuresca. E mesmo após a ameaça principal aparecer em tela, é difícil prever exatamente qual será o destino destas duas, por mais que fique claro que a maioria do nosso grupo não vai sobreviver. Agora, era difícil imaginar que, no fim, Sarah seria a responsável pela morte de Juno. Depois de passar por um perrengue absolutamente inesgotável (e ficar estilosíssima ao sair da piscina de sangue, diga-se de passagem), Sarah não perdoa Juno pela morte de Beth (e por muito mais), e se mostra vingativa ao ferir a ex-amiga e a jogar para as criaturas. É uma cena cortante, que fecha um filme difícil de esquecer.

Onde assistir: disponível no Prime Video.

25/10 - A morte de Pablo (e toda a sequência final) de [REC] (2007)

Um dos subgêneros mais aterrorizantes do terror é provavelmente o found footage (pelo menos para essa que vos escreve), que além de dar uma visão do que está acontecendo pela perspectiva de um personagem específico, tenta passar a sensação de que aquilo é praticamente real. E é por isso que [REC] (2007) veio para a nossa lista. Apesar de ser por uma cena em especial, vale dizer que o filme de Paco Plaza e Jaume Balagueró possui diversas mortes bizarras que também mereciam estar aqui.

A cena específica é a da morte de Pablo, o cinegrafista que acompanha Ángela Vidal durante todo o filme, e que acaba sucumbindo ao ser atacado pela figura macabra de Tristana Medeiros – a garota portuguesa que foi possuída por um demônio e responsável pela infecção dos moradores do prédio espanhol.

Sua morte não é exatamente mostrada na tela, mas a construção da cena deixa claro através dos movimentos de câmera do personagem, gritos entrecortados graças a um dano do aparelho e a sensação de não saber o que está por vir. E quer uma dica? Assista de luz acesa porque o encerramento do filme não vai te deixar dormir!

Onde assistir: disponível no Prime Video, Paramount+, Looke e Mubi

27/10 - A reviravolta de Barbarian (CUIDADO COM SPOILERS!)

Vamos com foto genérica e título discreto, afinal, Noites Brutais (ou Barbarian, no título original) chegou só ontem no Brasil e tem muita gente que ainda não conferiu o que é, provavelmente, o filme de terror de 2022 (e olha que a disputa está bem acirrada). Então se você leu até agora e não viu Barbarian, faça o favor de sair daqui, ir lá assistir, e voltar logo depois.

Mas uma das coisas mais legais do filme de Zach Cregger é sua absoluta imprevisibilidade, e seu primeiro ato de reviravolta é de um impacto gigantesco. Até lá, parecia que estavamos testemunhando a jornada de uma jovem descobrindo o lado obscuro de um simpático locatário do mesmo Airbnb que ela. Mas lá pela meia hora de Noites Brutais tudo muda, quando Keith decide investigar o tunel encontrado por Tess no subsolo da casa da rua Barbary. A morte de Keith é o que muda todo o rumo de Barbarian, e nos introduz à ameaça principal do filme - além de ser uma cena violenta e sofrida, que prepara o terreno para o que vem por aí.

Onde assistir: disponível no Star+.

28/10 - Glen é engolido pela cama em A Hora do Pesadelo (1984)

Freddy Krueger já tinha dado as caras pela nossa lista há algum tempo, mas não teria como honrar umdos maiores assassinos do terror sem colocar aquela que é a cena mais memorável da franquia A Hora do Pesadelo: a cena em que Glen (Johnny Depp) é engolido por sua cama.

No longa de 1984, logo após Nancy implorar para não cair no sono, o jovem acaba se entregando ao mundo dos sonhos e encontrando mais uma vez o cruel assassino, que o puxa para dentro dos lençóis com suas garras e, em seguida, vemos a cama explodindo em um gêiser de sangue. Essa foi mais uma vitória para a lista de Freddy, e também um momento visualmente brilhante de Wes Craven e do diretor de fotografia Jacques Haitkin, que criaram uma cena totalmente inesquecível.

Onde assistir: disponível na HBO Max, NOW, Oldflix e TNTGo.

29/10 - O trágico fim de Ben em A Noite dos Mortos-Vivos

Reprodução

São tantas camadas que é simplesmente impossível minimizar o impacto da morte de Ben em A Noite dos Mortos-Vivos. É difícil lembrar um personagem tão eficiente, inteligente, controlado, ágil e, nas mais puras palavras, tão herói quanto o interpretado por Duane Jones no filme de estreia de George A. Romero. Por isso, vê-lo sucumbir de um modo tão estúpido no fim do filme é um momento tão ingrato. 

Mas aquela cena é ainda mais impactante por seu contexto, afinal, ter um protagonista negro em 1968, no auge das tensões raciais nos EUA, era um peso gigante (ainda mais no mesmo ano do assassinato de Martin Luther King). Vê-lo sucumbir em pleno apocalipse zumbi, mas não pelas mãos de um morto-vivo e sim por autoridades armadas, é gigante.

Onde assistir: disponível no Looke e na Mubi.

30/10 - Copper tem os braços devorados em O Enigma de Outro Mundo (1982)

Divulgação

Faltando apenas um dia para o Halloween, chegou a hora de lembrar de uma outra morte marcante de um clássico de John Carpenter, e é óbvio que estamos falando de Copper (e toda a cena do desfibrilador), em O Enigma de Outro Mundo.

Após Norris ter um ataque cardíaco, Copper tenta a todo custo revivê-lo, mas suas tentativas são em vão. Copper e seus colegas tentam então usar o desfibrilador, mas ao aproximar o aparelho do corpo desfalecido de seu colega, seu peito se abre como uma boca gigante e devora os braços do físico. Entre gritos de desespero e muito sangue, o homem sucumbe aos ferimentos e vai ao chão para nunca mais ser visto. 

Onde assistir: disponível para aluguel no AppleTV+, Prime Video e Claro Video

31/10 - O banho de Marion Crane em Psicose (1960)

Nossa lista de 31 mortes impactantes guardou para o fim o que é, provavelmente, a cena mais memorável do cinema: a da pobre Marion Crane nas mãos de Norman Bates, na marcante sequência de Psicose. Embalada pelas notas clássicas do compositor Bernard Herrmann, a cena com sangue de xarope de chocolate funciona maravilhosamente bem até hoje.

Lançado em 1960 e pioneiro do gênero slasher, o filme de Alfred Hitchcock subverteu expectativas do público ao assassinar sua suposta protagonista no fim de seu primeiro ato, em uma cena perfeitamente impactante. Os gritos de Janet Leigh, os sons das facadas, a edição e, claro, a figura misteriosa que ataca Marion ficariam marcadas para sempre na história.

Onde assistir: disponível no Star+ e no Globoplay.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.