Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac no set de Star Wars: A Ascensão Skywalker

Créditos da imagem: Lucasfilm/Divulgação

Filmes

Lista

Daisy Ridley, Oscar Isaac e John Boyega relembram último dia em Star Wars IX

Não são só os fãs que estão emocionados em dizer adeus à Saga Skywalker

Mariana Canhisares
03.12.2019
10h00
Atualizada em
29.11.2019
13h09
Atualizada em 29.11.2019 às 13h09

Se a despedida da Saga Skywalker já emociona os fãs, que aguardam ansiosamente o lançamento de Star Wars: A Ascensão Skywalker, imagina o elenco, que durante anos viveu na pele os dramas da guerra entre Resistência e Primeira Ordem nesta galáxia muito, muito distante.

O Omelete conversou com Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac e companhia em Los Angeles, nos Estados Unidos, para entender como foi o tocante último dia de cada um no set do Episódio IX. Confira:

DAISY RIDLEY

Daisy Ridley em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Entertainment Weekly/Lucasfilm/Reprodução

“Vocês falaram com John [Boyega]? Porque ele terminou de filmar logo antes de mim. Assisti à despedida dele e da Naomi [Ackie] e fiquei acabada, porque foram discursos tão doces. Então, tive que fazer uma pequena cena em que eu podia estar triste. Depois, eu chorei por meia hora enquanto o JJ [Abrams, diretor e um dos roteiristas do longa] falava sobre a minha despedida e eu fazia meu discurso. Não estou mentindo, não lembro o que falei. Contei isso para o JJ e ele disse que foi legal - eu fiquei ‘ai, meu Deus’. Meio atordoada, dei vários abraços…

“É estranho, porque trabalhei de perto com essas pessoas durante sete meses. Filmei basicamente todos os dias. Então foi super emocionante dizer adeus para elas e para o filme. Mas também tinha um food truck de hambúrgueres e tenho quase certeza de que tinha um de milk shakes também com opções veganas. Fiquei bem feliz [risos]”.

JOHN BOYEGA

Elenco de Star Wars: A Ascensão Skywalker na Millennium Falcon
Star Wars: A Ascensão Skywalker/Lucasfilm/Reprodução

“A última cena da Daisy foi depois da minha e parecia que estávamos todos indo, um de cada vez. Oscar [Isaac] olhou para mim e disse ‘babe!’ e eu gritei ‘não! Não!’. Meu último dia foi realmente entender que todo mundo estava indo embora. JJ fez um discurso e meio que todas as memórias voltaram. Porque me lembro da primeira vez que o conheci.

“Fui no escritório dele para encontrar seu parceiro de produção na época, Bryan Burk, e JJ estava saindo de uma sessão de ADR com Tom Cruise. Obviamente, estou olhando para o Tom Cruise - afinal, sou só um ator em Los Angeles tentando conhecer pessoas. Ele sai com esse cara chamado JJ, que me diz ‘te vi em um filme chamado Attack the Block, achei ótimo!’. Respondi ‘ah, obrigado, cara’, e voltei a encarar o Tom Cruise. Então, JJ disse ‘sabe de uma coisa? Temos alguns projetos rolando na Bad Robot [produtora do JJ Abrams], vamos te colocar em algum deles’. Mas não levei a sério, porque eles pegam seu telefone, mas você nunca recebe a ligação, sabe?

“Então, aquele foi meu momento de lembrá-lo disso e dizer o quão obviamente importante a vida dele é, assim como suas conquistas. Como elas afetaram a todos nós. Foi um ambiente meio emotivo com uma galera realmente legal”.

OSCAR ISAAC

Oscar Isaac e John Boyega na Millennium Falcon em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Entertainment Weekly/Lucasfilm/Reprodução

“Meu primeiro dia no filme foi na Millennium Falcon, assim como meu último. O engraçado é que estávamos gravando a mesma cena [risos]. Sim, foi muito emocionante. Todo mundo começou a aplaudir. Eu disse algumas palavras e teria dito mais, mas JJ me interrompeu porque, bem, também era o último dia do Anthony Daniels… então fui ‘desprezado’ por causa do C-3PO [risos]”.

ANTHONY DANIELS

Anthony Daniels como C-3PO em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Star Wars: A Ascensão Skywalker/Lucasfilm/Reprodução

“Um pouco triste. Sabia que estava vindo, mas teria que ser uma pedra para não me emocionar. E realmente me senti assim porque JJ fez um adorável discurso, dizendo coisas bacanas sobre mim. Senti que não merecia aquilo. Quer dizer, claro que merecia, eu trabalhei duro [risos]. Mas ele fez comentários que mostraram que ele realmente entende o que eu trouxe [para a franquia].

"E toda a equipe foi tão amorosa e paciente, entendendo que usar aquele traje significa que coisas vão dar errado. Eles cresceram com o C-3PO, eles o viram nas telas antes de se juntarem à indústria cinematográfica. Eu senti o amor".

BILLY DEE WILLIAMS

Billy Dee Williams em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Star Wars: A Ascensão Skywalker/Lucasfilm/Reprodução

“Acredito que o melhor jeito de descrever é agridoce. Foi agridoce”.

NAOMI ACKIE

Naomi Ackie e John Boyega em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Entertainment Weekly/Lucasfilm/Divulgação

“Minha última cena foi com o John [Boyega] e o Joonas [Suotamo], que também estava indo embora nesse dia. Então, JJ fez um discurso para o Joonas, fez um discurso para mim. É, eu definitivamente chorei muito. JJ tem um talento para as palavras, não sei se vocês sabem disso [risos]. Mas ele me deu muito apoio e foi bem emocionante. E, assim, eu fiz apenas um filme, mal consigo imaginar como foi para vocês, John e Kelly [Marie Tran]”.

KELLY MARIE TRAN

Kelly Marie Tran em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Star Wars: A Ascensão Skywalker/Lucasfilm/Reprodução

“Acredito que tenha sido bem especial para todo mundo. É legal ver como todo mundo está lidando com isso emocionalmente, porque a gente está ciente de que é o último - mas de um jeito bom. Tudo parece potencializado e isso é realmente bonito. Todo mundo está presente o tempo todo, é realmente especial. E, sim, JJ foi incrível”.

JOONAS SUOTAMO

Oscar Isaac, John Boyega e Joonas Suotamo em Star Wars: A Ascensão Skywalker
Star Wars: A Ascensão Skywalker/Lucasfilm/Reprodução

“Foi um dia que estávamos gravando em um palco e lembro que meu filho estava lá. Ele tinha um ano e estava fazendo alguns barulhos muito altos que atrapalharam a cena, mas não acho que importou. Lembro de ter o microfone na mão, fazer um discurso agradecendo a equipe e o JJ pela oportunidade de interpretar esse personagem. Como um pai de uma criança de um ano, minha cabeça estava em dois lugares ao mesmo tempo, sabe? Focando no trabalho, mas também me preocupando com o bem-estar do meu bebê. Então, realmente, nesse último dia eu vesti dois chapéus”.