Mark Hamill como Luke Skywalker em Star Wars: Os Últimos Jedi

Créditos da imagem: Star Wars: Os Últimos Jedi/Divulgação

Filmes

Notícia

Mark Hamill, de Star Wars, atende fã brasileiro e denuncia o canal Mil Grau

Ator de Luke Skywalker novamente seguiu pedidos dos seus seguidores brasileiros no Twitter

Omelete
05.06.2020
12h40
Atualizada em
05.06.2020
13h11
Atualizada em 05.06.2020 às 13h11

Durante a noite da última quinta-feira (4), a comunidade gamer brasileira foi às redes sociais para denunciar o canal XMil Grau, grupo de streamers de jogos acusados de racismo, homofobia, toxicidade e transfobia.

A campanha, que já havia mobilizado denúncias aos representantes do Xbox no Brasil e ao serviço de streaming Twitch, visava retirar o canal do grupo do Youtube, através da hashtag #YoutubeApoiaRacista, que entrou para os Trending Topics do Twitter. Durante a mobilização com apelos aos influenciadores e jornalistas internacionais, os gamers conseguiram que Mark Hamill, o Luke Skywalker de Star Wars, denunciasse o canal na plataforma, graças à um tutorial e evidências com legendas em inglês. Veja abaixo:

"Denunciei isso", afirmou o ator

Pouco após isso, o ator ainda seguiu o pedido de um dos fãs e tuitou a tag #YoutubeApoiaRacismo, acompanhada da bandeira do Brasil e da bandeira da causa LGBTQ+:

Essa não é a primeira vez que Hamill usa sua plataforma para atender pedidos de brasileiros. O ator se manifestou algumas vezes durante paredões do Big Brother Brasil 20, e também postou “Vamo Grêmio” em seu Twitter. Ambas as vezes colocaram o nome de Hamill nos Trending Topics da rede social, além de render notícias em sites (como o Omelete). O ator mais tarde comentou o sucesso entre o público e mídia brasileira, tuitando em português: “A ignorância do ator é de alguma forma considerada interessante”, complementando em inglês com: “Quando você honra o pedido de retuitar uma frase que sequer entende, e a imprensa brasileira escreve artigos sobre sua ignorância.

Já no caso da denúncia ao grupo Mil Grau, Hamill foi acompanhado de outras personalidades internacionais. Além do ator, se manifestaram também nomes da comunidade gamer como Cory Barlog, diretor de God of War (2018), e o jornalista Jason Schreier, autor do livro Sangue, Suor e Pixels.

A mobilização da comunidade gamer contra o grupo Xbox Mil Grau vêm após acusações de um dos participantes ironizar os protestos dos EUA, causados pela morte do ex-segurança negro George Floyd por policiais brancos, através de um meme racista. A campanha fez com que a Microsoft exigisse a remoção da marca “Xbox” do nome do grupo, reforçasse que não há conexão com a marca, e também resultou no banimento do canal na Twitch. Nesta sexta-feira (5), o Youtube afirmou ao The Enemy que removeu os conteúdos da XMG - entenda o caso completo aqui.