Bill Maher faz comentários polêmicos após morte de Stan Lee

Créditos da imagem: Real Time with Bill Maher/HBO/Reprodução

HQ/Livros

Notícia

Bill Maher faz comentários polêmicos após morte de Stan Lee

[Atualizado] Time porta-voz do quadrinista responde: "Dizer que Stan apenas inspirou as pessoas a 'ver um filme' é, na nossa franca opinião, nojento"

Mariana Canhisares
18.11.2018
11h42
Atualizada em
20.11.2018
02h37
Atualizada em 20.11.2018 às 02h37

O comediante Bill Maher escreveu um texto polêmico no seu blog pessoal, comentando a morte de Stan Lee. No artigo, Maher critica a importância dada ao quadrinista da Marvel e às HQs nos últimos anos. Confira o texto na íntegra:

"O cara que criou o Homem-Aranha e o Hulk morreu e os Estados Unidos está de luto. Profundo luto pelo homem que inspirou milhões a, não sei, assistir a um filme. Acho. Alguém no Reddit postou 'sou incrivelmente grato por ter vivido em um mundo que incluía Stan Lee'. Pessoalmente, sou grato por viver em um mundo que tem oxigênio e árvores, mas cada um é cada um. Agora, não tenho nada contra quadrinhos - eu os leio agora e lia quando criança. Mas a suposição que todos tinham na época, tanto adultos, quanto crianças, era que os quadrinhos eram para crianças. E, quando você crescia, você passava para os livros de gente grande, sem figuras.

Mas, de 20 anos para cá, alguma coisa aconteceu - adultos decidiram que não queriam largar as coisas de criança. E, então, fingiram que quadrinhos são literatura sofisticada. E, como os Estados Unidos têm mais de 4,5 mil faculdades - o que significa que precisamos de mais professores do que temos de pessoas inteligentes -, alguns idiotas se tornaram professores escrevendo teses com títulos como 'Otherness and Heterodoxy in the Silver Surfer' [Alteridade e Heterodoxia no Surfista Prateado, em tradução livre]. E, agora, quando adultos são forçados a fazer coisas de adultos, como comprar seguro de um automóvel, eles chamam de 'adulting' e agem como se fossem uma luta enorme.

Não estou dizendo que necessariamente nos tornamos mais idiotas. A média dos Joe é mais inteligente em vários aspectos do que quando ele estava, digamos, nos anos 1940, quando uma boa noite envolvia um curta dos Três Patetas e um musical da Carmen Miranda. O problema é que estamos usando nossa inteligência em coisas estúpidas. Não acho que seja exagero dizer que Donald Trump só conseguiria ser eleito em um país que pensa que quadrinhos são tão importantes".

Muitos fãs responderam ao texto nas redes sociais, criticando a postura do comediante. Até mesmo Neil Gaiman se juntou ao movimento e comentou a polêmica:

"Maher está apenas trollando e muitas pessoas estão se equiparando ao troll (Julie Burchill fez melhor há 30 anos com a frase 'Não existem quadrinhos para adultos porque adultos não leem quadrinhos'). Mais pessoas se importam com a morte de Stan Lee do que sobre Bill Maher estar vivo".

[Atualizado 19/11/18] O time porta-voz de Stan Lee respondeu aos comentários polêmicos de Maher (via ComicBook): "Sr. Maher: quadrinhos, como qualquer forma de literatura, são instrumentos de narrativa. Quando bem escritos por grandes criadores como Stan Lee, os quadrinhos nos fazem sentir, pensar e ensinam lições que podem nos tornar seres humanos melhores. Uma lição que Stan ensinou a muitos de nós foi tolerância e respeito e, graças a essa mensagem, somos gratos em poder dizer que você tem direito a sua opinião sobre quadrinhos serem infantis e nada sofisticados. Muitos disseram isso sobre Dickens, Steinbeck, Melville e até Shakespeare.

Mas dizer que Stan apenas inspirou as pessoas a 'ver um filme' é, na nossa franca opinião, nojento. Inúmeras pessoas podem atestar que Stan as inspirou a ler, os ensinou que o mundo não é feito de absolutos, que heróis podem ter falhas e até vilões podem mostrar humanidade no fundo das suas almas. Ele nos deu X-Men, Pantera Negra, Homem-Aranha e muitos outros heróis e histórias que ofereceram esperança para aqueles que se sentiram diferentes e rejeitados, inspirando ao mesmo tempo inúmeras pessoas a serem criativas e sonharem com um futuro melhor", diz a resposta da POW! Entertainment, que termina o comunicado com a famosa frase "com grandes poderes vêm grandes responsabilidades".

Stanley Martin Lieber nasceu em 28 de dezembro de 1922 em Nova York. Mais conhecido pelo apelido Stan Lee, o roteirista e empresário foi um dos mais notáveis criadores de histórias em quadrinhos do mercado, sendo corresponsável por grandes super-heróis e vilões da Marvel Comics, como o Homem-Aranha, X-Men, Quarteto Fantástico, Os Vingadores, Incrível Hulk, Demolidor e O Poderoso Thor leia mais sobre a carreira do artista aqui.