Cena de Young Sheldon/ Reprodução/ CBS

Créditos da imagem: Cena de Young Sheldon/ Reprodução/ CBS

Séries e TV

Artigo

Young Sheldon retorna no 2º ano repetindo fórmula de ingenuidade e fofura

Segunda temporada estreou em 24 de setembro nos Estados Unidos

Rafael Gonzaga
26.09.2018
16h46
Atualizada em
26.09.2018
16h58
Atualizada em 26.09.2018 às 16h58

Enquanto o Sheldon (Jim Parsons) adulto encara uma nova fase de sua vida ao começar a 12ª e última temporada de The Big Bang Theory casado com Amy (Mayim Bialik), sua versão mais nova ainda dá os primeiros passos em termos de socialização em Young Sheldon. A série, onde Iain Armitage vive o futuro físico teórico ainda na infância, voltou para uma segunda temporada após seu primeiro ano conquistar números invejáveis de audiência. Em seu retorno, a trama volta em um episódio simples, que repete a fórmula de ingenuidade que marcou o primeiro ano, mas que já demonstra pequenos ajustes para entregar uma atração mais equilibrada.

Um dos elementos que parece ter sido repensado é Connie, a Meemaw. Apesar de ter roubado o protagonismo no primeiro ano da série, a mãe de Mary e avó de Sheldon vivida por Annie Potts participou de forma menos ativa da estreia da nova remessa de episódios. Esse pode ser um indício de que a CBS tenha percebido que é preciso dar mais força às tramas de seu protagonista, que foi constantemente eclipsado pela avó coadjuvante na temporada anterior. Em sua estreia, Sheldon está integralmente no centro da ação e sua família apenas orbita em volta de suas peripécias, como deve ser em uma série que carrega o nome do rapaz.

A estreia mostra Sheldon lidando com as consequências de quando deixa sua excentricidade e sua curiosidade andarem lado a lado. Incomodado com um zumbido da geladeira, inaudível para sua família mas insuportável para ele, Sheldon resolve aprender sozinho a desmontar o eletrodoméstico para resolver o problema. É claro que as coisas não dão tão certo e, após uma reprimenda bastante dura do seu pai, resolve juntar dinheiro por conta própria para repor o dinheiro gasto com o conserto. É uma história singela que reafirma que Young Sheldon é definitivamente uma série sobre amor familiar e os sacrifícios que pais e filhos fazem uns pelos outros.

Ao longo do episódio, o público se diverte com a inabilidade de Sheldon com atividades que demandam esforço físico, já que ele resolve levantar dinheiro trabalhando como entregador de jornal - mesmo sem saber pedalar ou ter coordenação motora para atirar um objeto em linha reta. Como em uma boa fábula, a trama avança até o rapazinho aprender a lição e, é claro, ensinar outra para seu pai. Assim como no primeiro ano, a série segue explorando os extremos da relação de Sheldon com os irmãos - por exemplo, em um momento vemos Missy (Raegan Revord) induzindo o irmão a fazer algo que obviamente lhe renderá problemas, em outro, encontramos a menina consolando o irmão com um abraço carinhoso ao vê-lo triste.

Há dois elementos que marcaram o primeiro ano que aparecem na estreia da segunda temporada: as relações conflituosas entre Sheldon e Georgie (Montana Jordan), seu irmão e extremo oposto, e a superproteção de Mary (Zoe Perry) em relação ao filho. Apesar da série ter sido rapidamente renovada da primeira para a segunda temporada, não se sabe muito do terceiro ano - principalmente porque The Big Bang Theory acabou fundamentalmente pela vontade de Jim Parsons em se desligar do Sheldon após mais de uma década dando vida ao gênio. Em Young Sheldon, Parsons não aparece, mas segue dando voz ao personagem como narrador, logo, pode ser que a trama não siga em frente ou, pelo menos, perca sua voz onipresente. Por enquanto, a fofura segue garantida pela versão divertida e irritante de Sheldon na pele do excelente Armitage.