Séries e TV

Entrevista

Unidade Básica volta falando sobre saúde em meio à pandemia do coronavírus

Série brasileira retorna com a segunda temporada em maio

Camila Sousa
28.04.2020
13h29

Em fevereiro de 2019, ninguém poderia prever que 2020 seria palco de uma pandemia por conta do novo coronavírus. Na época, Ana Petta e Caco Ciocler estavam finalizando as gravações da segunda temporada de Unidade Básica, série da Universal TV que mostra o dia a dia de profissionais de saúde que trabalham pelo SUS em todo o Brasil. Apesar disso, chega a ser curioso que a produção retorne no próximo dia 3 de maio, exatamente em um momento que todo o país (e o mundo) voltam seus olhos para a área da saúde.

O set, montado em um bairro na Zona Norte de São Paulo, utilizou uma estrutura já existente para reproduzir uma unidade básica de saúde brasileira, sem nenhum luxo e mostrando as precariedades que fazem parte do sistema de saúde. Neste ambiente, retornam os protagonistas Dr. Paulo, interpretado por Ciocler, e Dra. Laura, feita pela atriz e criadora da série, Ana Petta. Em entrevista ao Omelete durante uma visita ao set em 2019, Petta revela que a ideia de Unidade Básica veio da vontade de ter uma série médica situada no Brasil.

“Vemos muitas dessas produções nos EUA, mas há poucas que mostram a nossa realidade. Minha irmã Helena [Petta] já tinha trabalhado em uma UBS e tinha essa vivência. A UBS é diferente de uma emergência ou séries mostrando grandes hospitais”.

Desde a primeira temporada, Unidade Básica utiliza histórias reais como base para as tramas, com algumas poucas adaptações e alterações. Para Caco Ciocler, que também dirigiu episódios da segunda temporada, isso faz com que a série traga histórias com temáticas reais. “A grande diferença desta temporada é que, além de serem casos interessantes isoladamente, eles refletem uma discussão bastante pertinente na sociedade brasileira. A grande maioria dos casos reflete questões mais amplas”. 

Um deles, adianta Petta, é a questão da saúde da mulher, que será abordada na temporada e mostrará como sua personagem é melhor do que Paulo na compreensão disso: “A 2ª temporada tem questões femininas e de saúde da mulher muito fortes. Por ser mulher, ela tem um compreensão que ele não tem. Emocionalmente aqui ele está mais frágil do que ela”.

Evolução na frente e atrás das câmeras

A primeira temporada de Unidade Básica foi lançada em 2016 e, desde então, muita coisa mudou na vida dos personagens e atores. Petta afirma que se baseou em estudantes de medicina para fazer Laura na primeira temporada. Isso é refletido tanto no visual da personagem, quanto em suas atitudes, segundo a atriz, de ter uma ideia fixa de que o profissional de saúde se preocupa apenas com a parte biomédica, sem levar em conta questões emocionais dos pacientes.

“Depois da primeira temporada, que transformou muito a Laura e trouxe uma visão mais ampla, minha referência se tornou a própria Helena. Além do laboratório que fizemos na UBS, incluindo as visitas domiciliares e tudo, há uma aproximação grande com a Helena. Sempre pergunto como ela falaria algo para algum paciente”, diz a atriz citando sua irmã e também criadora do seriado.

A participação feminina em toda a equipe de Unidade Básica também chama a atenção. Em nossa visita ao set, foi possível ver que a produção tinha mais mulheres nos bastidores, exercendo todos os tipos de funções. “Isso realmente faz diferença. Percebo isso em cena, que há uma torcida pela Laura. Desde o figurino, cabelo, o pessoal da arte, há uma construção de fortalecimento das mulheres. Isso está nos bastidores, mas também aparece em cena, porque são muitas mulheres juntas”, completa Petta.

Ainda atrás das câmeras, uma das maiores mudanças foi para Ciocler, que assumiu também a direção de alguns capítulos. Ele afirma que dirigir sempre foi um desejo e que a maior dificuldade é quando ele está em cena em um episódio que está comandando. “Sinto que prejudica mais o ator. Como diretor, o que acontece é que às vezes não tenho tempo de assistir, mas é mais louco para o ator, porque eu dirijo enquanto estou em cena, olhando as câmeras, corto a cena no meio, dou ‘ação’ no meio. Mas é uma experiência interessante, eu saio daqui muito empolgado, mais cansado, porém mais revigorado”.

O ator também acredita que seu personagem Paulo tem camadas e é falho, algo que será abordado no segundo ano, e isso o torna mais interessante. “O estudo que fiz para a nova temporada foi não ter medo das aparentes contradições, que é uma coisa que as séries americanas já entenderam. Os grandes personagens são contraditórios. No Brasil ainda temos um pouco de medo de ‘mas ele não é do bem? Por que agiu de tal forma?’. Mas o ser humano é assim (...). A dramaturgia americana nos ensinou que os grandes personagens são aparentemente extremamente contraditórios. E eu gosto disso”.

A segunda temporada de Unidade Básica estreia no Universal TV em 3 de maio, às 23h, com transmissões de dois episódios todos os domingos.