Segunda temporada de The Witcher (Netflix/Divulgação)

Créditos da imagem: Segunda temporada de The Witcher (Netflix/Divulgação)

Séries e TV

Artigo

The Witcher volta para 2ª temporada com universo expandido e Geralt paternalista

Novos episódios exploram ainda mais os sentimentos dos protagonistas

Pedro Henrique Ribeiro
10.12.2021
06h00
Atualizada em
11.12.2021
19h23
Atualizada em 11.12.2021 às 19h23

Quase dois anos após a estreia da primeira temporada de The Witcher, os fãs de Geralt de Rívia finalmente verão o bruxo nas telas outra vez. Essa espera vem acompanhada de muitas expectativas sobre os rumos que a produção vai seguir nos novos episódios, e nos seis primeiros — que o Omelete já viu, temos contato com um Geralt mais paternalista e inteiramente dedicado a cuidar de Cirilla, sua criança surpresa. Com o fim da busca do bruxo pela princesa de Cintra, a série encontrou mais espaço para ampliar seu universo e apresentar novos (e maiores) problemas para os protagonistas.

Durante a primeira temporada, os fãs acompanharam ansiosos o encontro de Geralt de Rívia (Henry Cavill) e a princesa Cirilla de Cintra (Freya Allan), que só aconteceu no último episódio. Muito do primeiro ano girou em torno disso, e agora a trama explora o lado paternal — e paternalista — do Lobo Branco. Todos os passos dele trilham o caminho da proteção, e nada é mais importante, fazendo com que os desejos de Ciri sejam deixados de lado em certos momentos. Esse posicionamento de Geralt influencia diretamente os rumos do segundo ano, com o bônus de conectar o protagonista a personagens secundários.

Mas não espere encontrar sentimentalismo apenas em Geralt. É um momento de muita tensão por todos os lados. Além da guerra em curso, uma ameaça maior que tudo o que os protagonistas conhecem está prestes a se revelar. As emoções estão à flor da pele, mesmo entre os personagens que foram introduzidos na nova temporada. Esses acontecimentos deixam tudo agradavelmente exagerado, para sentimentos bons e ruins.

Isso quer dizer que os fãs podem esperar por uma segunda temporada mais madura e expandida. A série não depende mais exclusivamente das decisões dos protagonistas, e isso parece ter feito a história ganhar muito mais fôlego e apresentar um universo de possibilidades para o futuro da trama. As novidades ainda contam com a evolução das habilidades da princesa Cirilla, além da aparição de novos e aterrorizantes monstros, como o famoso Leshen.

Já Yennefer (Anya Chalotra), uma das grandes protagonistas do primeiro ano, teve seu brilho diminuído nessa temporada. Os passos dela nos primeiros episódios, apesar de importantes, não tiveram o mesmo destaque que os de Geralt e Ciri, mas isso deve mudar no sétimo episódio.

Considerando o que foi apresentado nos primeiros seis episódios, a Netflix acertou em praticamente todas as apostas para a nova temporada. Apesar de a trama estar menos sombria e um pouco mais fantástica do que no primeiro ano, a essência da franquia parece ter sido mantida. Em uma produção como The Witcher, o finale é essencial para a definir a qualidade de cada temporada. Se o nível apresentado nos primeiros episódios for mantido, Geralt tem tudo para cavalgar em direção a mais um ano de acertos.

A segunda temporada de The Witcher estreia no dia 17 de dezembro, na Netflix, com oito episódios de cerca de uma hora cada. Para o segundo ano, personagens — e atores — conhecidos foram adicionados ao elenco, que já contava com Cavill, Allan, Chalotra e Joey Batey.

 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.