The Undoing

Créditos da imagem: HBO/Divulgação

Séries e TV

Artigo

The Undoing brinca com memórias e imaginações para criar suspense surpreendente

Série da HBO com Nicole Kidman e Hugh Grant faz espectador suspeitar da própria visão

Julia Sabbaga
23.10.2020
14h43
Atualizada em
23.10.2020
15h01
Atualizada em 23.10.2020 às 15h01

Existem algumas coisas que poderiam aproximar The Undoing, nova série da HBO, de Big Little Lies: seu roteirista e produtor-executivo David E. Kelly, sua protagonista, Nicole Kidman e, claro, o simples fato de estarmos acompanhando novamente o drama dos privilegiados. Mais do que isso, uma das primeiras cenas do episódio de estreia retrata uma reunião de esposas ricas de Nova York recebendo uma nova, humilde e estranha (e morena) adição ao grupo. Mas The Undoing não demora em se apresentar mais desconfortável. Ao contrário do investimento em intrigas e conflitos simultâneos, a minissérie confia na câmera da diretora Susanne Bier para construir uma trama simples, mas enevoada e duvidosa, em que nenhum personagem pode ser confiado. 

Baseado no livro You Should Have Known, de Hanff Korelitz, The Undoing acompanha os desenvolvimentos na vida de Grace (Kidman) depois de uma fatídica noite em que seu marido Mike (Hugh Grant) desaparece após um misterioso assassinato. Focando em reações e desconfianças de todos ao redor do casal - de personagens como o pai de Grace, Franklin (Donald Sutherland), ou o filho dos dois, Henry (Noah Jupe) -, a série da HBO não deixa barato para ninguém. Apesar de aparentar ser retratada através do olhar de Kidman, The Undoing rapidamente intercala memórias e imaginações, fechando portas ou entregando pistas ao seu bel-prazer - e o espectador descobre que não pode confiar no que vê porque as próprias perspectivas dos personagens não são confiáveis. 

Com a fotografia servindo de aliada, iluminando uma Nova York esfumaçada, fria e vazia, Bier constrói a atmosfera ao redor de Grace de modo que, assim como ela, o espectador não tem certeza de suas convicções. Ainda, a transposição do sentimento da personagem para o público é muito bem desenvolvida. Se todas as evidências apontam para Mike, por que confiamos nele? Por que existe o sentimento constante de suspeita do outro? The Undoing é surpreendente exatamente por isso: ela brinca com a expectativa do público e subverte tradições de investigações criminais da TV, em que a narrativa se dá por um ponto de vista “isento” - o olhar clínico do especialista forense - e o culpado é, geralmente, quem mais parece culpado.

A série da HBO ainda não revelou seu fim - o Omelete conferiu com antecedência cinco dos seis episódios da produção, só para deixar o mistério ainda maior - e muita coisa depende da resolução de sua trama principal. Mesmo assim, já se pode dizer que Bier encontrou seu ambiente perfeito. Na série, Sutherland e Jupe brilham ao lado de Grant e Kidman, mas, mesmo rodeada de estrelas, é a câmera que brilha mais forte.

The Undoing estreia no próximo domingo, dia 25, na HBO. 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.