The Boys

Créditos da imagem: Amazon Studios/Divulgação

Séries e TV

Entrevista

The Boys | Karl Urban comenta herogasm, Dredd e “morte por cunilíngua”

Em entrevista ao Omelete, ator se disse dessensibilizado com cenas gráficas - mas admite que poderia “passar o resto da vida feliz sem testemunhar” algumas das atrocidades da série

Omelete
4 min de leitura
Nico Garófalo
31.05.2022, às 19H12
ATUALIZADA EM 31.05.2022, ÀS 19H25
ATUALIZADA EM 31.05.2022, ÀS 19H25

A terceira temporada de The Boys promete ser uma das mais comentadas desde a estreia da série. Desde que o novo ano foi anunciado, a Amazon tem divulgado sem qualquer timidez a adaptação do arco Herogasm, que, nas páginas, retrata uma grande orgia de super-heróis sem qualquer tipo de pudor. Mas, depois de três anos regados a sangue, leite materno e alguns momentos de supersexo, Karl Urban parece já não ser mais afetado pelas atrocidades idealizadas pelos roteiristas. “Nas primeiras temporadas, a gente pegava um roteiro que nos deixava completamente chocados. Já fiquei tão dessensibilizado pela natureza gráfica e pelo conteúdo dessa série que hoje eu fico tipo, ‘tá, é claro que vamos fazer herogasm’”, contou o intérprete de Billy Bruto ao Omelete. “[A cena] é exatamente o que você espera que seja”.

Apesar dessa insensibilidade adquirida ao longo dos anos como Billy, Urban reforçou que aindase surpreende com algumas das ideias mais “criativas” que o showrunner Eric Kripke tem para The Boys. “Eu poderia passar o resto da minha vida feliz sem testemunhar uma morte por cunilíngua”, brincou o ator, em referência a uma das cenas mais chocantes da primeira temporada, quando Lâmina (Brittany Allen) acidentalmente mata um homem que lhe fazia sexo oral. “Eu não precisava ver isso, mas o Kripke achou que todos precisavam, então tudo bem”.

Sem medo de “pular o tubarão”, Urban deixou claro que confia no “radar” do chefe, cuja sensibilidade garante que The Boys siga “testando limites” sem necessariamente passá-los. “Essa terceira temporada é, sem dúvida, a mais ambiciosa. Há mais ação, mais drama e humor. E temos um elemento musical, um elemento de desenho animado”, contou ele, garantindo que jamais sentiu que a produção estava seguindo “uma direção absurda”.

Futuro ambíguo e nebuloso

Esse ano realmente testa os personagens”, comentou Urban. “Testa o quanto eles estão dispostos a sacrificar para atingir seus objetivos. E, no caso do Bruto, a metáfora é basicamente ‘você se tornaria um monstro para derrotar outros monstros? E se você fizesse isso, cedesse aos seus instintos, como você paga por isso?’”. Segundo o ator, os dilemas enfrentados pelos protagonistas na terceira temporada de The Boys mudará dinâmicas e levará a alianças inesperadas que “chocarão e impressionarão a todos”.

Em meio a todos estes questionamentos, há, pelo menos, uma grande certeza neste terceiro ano: Bruto vai descer a porrada em muita gente. A chegada de novos heróis - incluindo o Soldier Boy de Jensen Ackles e da Condessa Carmesim de Laurie Holden - dão ao caçador de supes novos alvos para enfrentar. “Essa temporada tem algumas bundas novas que são chutadas, mas é muito toma lá, dá cá. É uma faca de dois gumes, com certeza”.

Com a série seguindo caminhos bem diferentes dos quadrinhos de Garth Ennis, o próprio Urban não consegue prever os caminhos que The Boys tomará nos próximos anos. Assim como o público, o ator se disse curioso para saber os planos que Kripke tem para a continuidade da série. “O público está realmente ansioso para ver onde isso vai e como a história termina. Qual será a conclusão? Porque o final dos quadrinhos e é incrivelmente sombrio e sei que o Kripke não é muito fã [do final original]”.

Assim como a série, os gibis de The Boys não são exatamente sutis. Mas grande parte dos fãs do título concorda que o trabalho de Kripke e da Amazon ao adaptar os quadrinhos originais tem dado maior profundidade às críticas de Ennis à indústria, além de usar o choque para abordar alguns temas bem pertinentes. Essa mudança de direção faz com que o futuro da produção seja um mistério até mesmo para Urban. “Vai ser interessante ver que elementos dos gibis ele vai escolher para incluir, porque o final original é tão brutalmente sombrio. Assim como todo mundo, estou esperando ansiosamente para ver como essa história termina”.

Coleção de franquias

Embora Billy Bruto seja o personagem mais reconhecido de Urban atualmente, The Boys está longe de ser a primeira grande franquia de sua carreira. Com passagens por O Senhor dos Anéis, Star Trek e pelo MCU, o neozelandês disse que se sentiria honrado se fosse convidado para produções da DC ou do universo Star Wars, embora ele não pense em fazer parte destes mundos fantásticos tão cedo. “Isso seria meio ganancioso, né? Tô fazendo o que, colecionando franquias?”.

Com a expansão de grandes franquias para o streaming, fãs têm, até com certa frequência, pedido para que Urban revisite dois de seus maiores personagens: o Juiz Dredd, de Dredd, e Skurge, de Thor: Ragnarok. Por mais que não goste de pensar em “cenários hipotéticos”, o astro disse que estaria mais do que disposto a usar novamente o capacete do juiz brutal. “Por amor e carinho por uma propriedade muito desvalorizada, eu voltaria a Dredd com certeza”.

Antes de ter a chance de voltar ao capacete do juiz de Mega-City, Urban estrela a terceira temporada de The Boys, cujos episódios inéditos chegam ao Amazon Prime Video a partir de 3 de junho.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.