Séries e TV

Lista

Stranger Things 4 | As principais referências e easter eggs

Volume 1 já está disponível na Netflix

Omelete
1 min de leitura
Mariana Canhisares e Nico Garófalo
28.05.2022, às 11H00
ATUALIZADA EM 30.05.2022, ÀS 12H04
ATUALIZADA EM 30.05.2022, ÀS 12H04

Stranger Things não seria Stranger Things sem sua tradicional amálgama de referências dos anos 1980. Logo, não é de se estranhar a quantidade de easter eggs e acenos a obras da cultura pop daquela época no Volume 1 da quarta temporada. Confira a seguir as principais delas:

A HORA DO PESADELO

Toda temporada de Stranger Things tem ao menos uma grande referência de filme de terror que vai determinar o modus operandi do vilão, ou o clima geral da série. Dessa vez, os irmãos Duffer escolheram A Hora do Pesadelo e seu Freddy Krueger, e não é difícil de perceber como o assassino pautou esse quarto ano. Vecna, o feiticeiro imortal do Mundo Invertido, ameaça Max (Sadie Sink) e outros adolescentes traumatizados, cria visões aterrorizantes que mais parecem pesadelos e até compartilha as icônicas garras afiadas com o assassino vivido por Robert Englund. Aliás, a própria escalação do ator como Victor Creel aparece como homenagem ao clássico slasher.

HALLOWEEN

Falando em slashers, Michael Myers é citado nominalmente pelo tio do Eddie (Joseph Quinn) quando ele compara o assassinato de Chrissy (Grace Van Dien) à história macabra da família de Victor Creel. Segundo o homem, aquele pai de família era o “bicho-papão de verdade”, apelido que é atribuído também a Michael Myers ao longo da franquia Halloween

IT: A COISA

Outra inspiração bastante perceptível desta temporada é It: A Coisa. O clássico de Stephen King, que chegou aos cinemas em 2017 influenciado pelo sucesso de Stranger Things, aparece em elementos como o intervalo dos ataques do Vecna (enquanto ele demorou 30 anos para voltar, o Pennywise esperava 27), a própria exploração da casa que a criatura toma para si como quartel-general e no gosto em comum dos vilões de provocar suas vítimas antes de matá-las. Mas vale dizer que o tom geral da temporada lembra muito a assinatura do autor estadunidense.

CAÇA-FANTASMAS

Depois que a turma se fantasiou de Caça-Fantasmas no Halloween lá na segunda temporada, não há dúvidas de que essa é uma franquia que está no coração do grupo. Duas temporadas depois, os amigos podem até ter deixado os uniformes para trás, mas um button do filme aparece na mochila que Dustin (Gaten Matarazzo) leva para a casa mal-assombrada da família Creel.

STAR WARS

Tratando-se de uma série ambientada nos anos 1980 e focada em um grupo de nerds, é claro que Stranger Things traria referências a Star Wars. No Volume 1, há pelo menos duas. A primeira aparece quando associam o maior envolvimento de Lucas (Caleb McLaughlin) com o time de basquete com “ser levado para o lado sombrio” da Força. Já a segunda menção acontece no complicado final da saga de Dungeons & Dragons comandada por Eddie, quando Dustin repete a fala de Han Solo e diz "nunca me diga as probabilidades".

SENHOR DOS ANÉIS

A Terra Média e os personagens criados por J. R. R. Tolkien também foram mencionados, é claro. Quando a turma liderada por Dustin reencontra Eddie e explica seu plano, isto é, encontrar um novo portal para o Mundo Invertido e encarar Vecna frente a frente, o líder do Clube Hellfire compara a missão a caminhar até Mordor. E como Frodo, Sam, Merry e Pippin, ele topa.

CURTINDO A VIDA ADOIDADO

A quarta temporada de Stranger Things se passa especificamente em 1986, o ano em que foi lançado este clássico do John Hughes. Então é claro que os irmãos Duffer incluiriam pelo menos um aceno ao filme. Por isso, quando a Suzy (Gabriella Pizzolo) invade o sistema da escola para mudar as notas do Dustin, os criadores da série estão referenciando o momento de Curtindo a Vida Adoidado em que Ferris Bueller altera seu número de faltas enquanto seu professor reclama disso com sua mãe ao telefone.

KARATÊ KID

Outro filme que é mencionado indiretamente na série é Karatê Kid. O primeiro filme da franquia saiu em 1984, e sua sequência dois anos depois, ou seja, a jornada de Daniel LaRusso marcava presença na cultura pop da época. Não à toa, o Murray (Brett Gelman) se dedicou tanto ao esporte — e também por isso que seus colegas na aula eram todos pré-adolescentes.

TOP GUN

Outro lançamento de 1986 que foi lembrado nessa temporada de Stranger Things foi Top Gun. Quando Nancy (Natalia Dyer), Robin (Maya Hawke) e Steve (Joe Keery) estão elaborando o plano sobre como vão falar com Victor Creel, é possível ver no quarto da irmã mais velha do Mike (Finn Wolfhard) um grande pôster do Tom Cruise como Maverick. E faz sentido que Top Gun tenha conseguido um espaço no quarto de Nancy: lá na primeira temporada, sua paixão por Tom Cruise já era assunto com o agora ex-namorado.

CHEECH & CHONG

Universal Pictures/Reprodução

Uma franquia em especial ganha destaque quando Dustin, Max e companhia tentam descobrir o paradeiro de Eddie durante sua investigação na locadora: as comédias do duo Cheech & Chong. Embora não sejam muito conhecidos no Brasil, eles foram um sucesso nos Estados Unidos nas décadas de 1970 e 1980, falando sobre os hippies e, claro, sobre maconha. Logo, não é de se estranhar que Reefer Rick seja tão fã deles.

MAIS E MAIS FILMES

Robin e Steve trabalham em uma locadora nesta temporada. Logo, esse novo cenário é um prato cheio para caçar os filmes que estavam bombando em meados do século passado. São bastante visíveis, por exemplo, pôsteres de O Último Dragão e Férias Frustradas II, ambos de 1985. No entanto, o longa que Steve usa como pretexto para flertar é Doutor Jivago, de 20 anos antes.

EDDIE VAN HALEN

O nome do líder do Clube Hellfire é, por si só, uma referência, e seus cabelos compridos e seu amor pela sua guitarra não deixam negar: o personagem de Joseph Quinn é uma homenagem ao guitarrista e cofundador do Van Halen, Eddie Van Halen.

OZZY OSBOURNE

Eddie é também responsável pela menção a outro músico, Ozzy Osbourne. Em uma conversa cândida com Steve sobre o apreço de ambos pela opinião do Dustin, o metaleiro admite que o antigo garoto mais popular da escola é, sim, muito legal. Na verdade, tão legal que a maneira como ele derrotou os morcegões no Mundo Invertido é comparável a ninguém menos que o vocalista do Black Sabbath, que notoriamente arrancou a cabeça de um morcego no palco na base da mordida.

MÚSICAS

Aliás, a trilha sonora dessa temporada de Stranger Things está cheia de músicas escolhidas a dedo para casar com a trama. Por exemplo, não é à toa que “Separate Ways (Worlds Apart)”, do Journey, tenha tocado já no trailer: era o anúncio de que a turminha, dessa vez, viveria a nova aventura dividida. Já “Psycho Killer”, do Talking Heads, toca no momento em que Jason (Mason Dye) determina que Eddie é um assassino e, por isso, eles precisam caçá-lo. Outra menção importante é “Running Up That Hill”, da Kate Bush, que salva Max das garras do Vecna.

DEMONIZAÇÃO DOS JOGOS DE FANTASIA

Netflix/Divulgação

A série mostra que Dungeons & Dragons virou alvo de polêmica nos anos 1980 depois que o jogo foi associado ao satanismo e, convenhamos, essa reação é um easter egg à parte. Não pelo D&D em si, que é tão parte do DNA de Stranger Things que dita até seus vilões, mas pela demonização da fantasia. Historicamente, a mídia tem a tendência de fazê-lo. No Brasil, nos anos 2000, por exemplo, teve o emblemático caso envolvendo o anime Yu-Gi-Oh!, que gerou uma onda de pânico entre os pais muito semelhante ao que se viu em Stranger Things. No ano passado mesmo, Death Note virou o novo alvo. Infelizmente, isso é muito comum e definitivamente não é de hoje.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.