Séries e TV

Lista

Sons Of Anarchy | 10 momentos marcantes da série que completa uma década

Relembre cenas impactantes da obra de Kurt Sutter

Henrique Haddefinir
03.09.2018
17h25

[Atenção! Spoilers de Sons of Anarchy abaixo]

Quando estreou em 3 de setembro de 2008Sons Of Anarchy não foi o tipo de série que causou uma comoção imediata. O trabalho de Kurt Sutter na criação do programa era esmerado e denso, mas por situar a trama num universo muito específico, a audiência acabava sempre migrando para outras produções de "protagonistas amorais perturbados", o que logo delegou a Sons uma atmosfera cult - que ajudou o seriado a se tornar ainda mais respeitado. A série é uma das mais corretas dessa leva de dramas a´lá Sopranos que invadiu a TV no início dos anos 2000.

Sutter foi buscar em grupos como o Hells Angels a inspiração para contar a história de Jax Teller (Charlie Hunnam), o "herdeiro" de um clube de motociclistas chamado SAMCRO (Sons of Anarchy Motorcyle Club, Redwood Original). Seu pai era o Presidente e, após sua morte, Jax encontra em seus diários um homem entristecido, que lamentava a incursão de seu clube no mundo do crime. Ele, então, precisa lutar contra o padrasto Clay (Ron Pearlman) para manter intacto o legado do pai, enquanto sua própria mãe conspira para impedir o fim dos negócios escusos do clube.

A vida de Jax e a de Tony Soprano tem muito em comum, não só no enredo que une violência e maternidade retorcida, mas na maneira como o público é conduzido a uma oscilação emocional constante, em que amar e odiar os personagens é parte essencial daquele tipo de dramaturgia. Ao passo em que se descobre a frieza e a obscuridade daqueles personagens, também se desenvolve um desejo sincero de que Jax consiga escapar do redemoinho de horror que parece inevitável para alguém com as origens dele.

Por sete anos, os momentos de tensão propostos pelo programa foram – em sua maioria – brutais. Para relembrar algum deles, preparamos uma lista que exemplifica muito bem o quanto o espectador de Sons of Anarchy vivia no limite.

O estupro de Gemma

Como em sua primeira temporada o clima ainda estava sendo estabelecido, foi logo no primeiro episódio do segundo ano que o público acompanhou chocado o estupro de Gemma (Katey Sagal). O evento demarcou uma crescente de latências emocionais que foi transformando a personagem numa bomba pronta para explodir. Gemma era tão absolutamente complexa que até mesmo seu fim na série foi diferente de tudo que vimos na TV.

A morte de Donna

Um dos grandes fortes de Sons of Anarchy era a maneira como ela organizava seus roteiros para que eles convergissem em alguma armadilha que obrigava os personagens a matarem os próprios membros e seus entes queridos. A morte de Donna (Sprague Grayden) pelas mãos de Tig (Kim Coates) foi um dos grandes gatilhos para o desabamento progressivo do grupo. E o pior: foi por engano.

Agente Stahl

Cheia de vilões com ares de psicopatas, a série tinha na Agente Stahl (Ally Walker) a sua presidente absoluta. A personagem foi inimiga do clube por um longo tempo e, embora fosse certo que a morte dela era uma questão de tempo, existia a torcida para que ela fosse adiada o máximo possível. Stahl era sádica, fria, cruel, capaz de dar inveja a qualquer membro cativo do SAMCRO. A morte dela no final da terceira temporada foi sentida, mas funcionou como o exemplo derradeiro de que Sons Of Anarchy não era uma série qualquer um.

A história de Opie

O melhor amigo de Jax começou a série no mesmo lugar de redenção em que Jax foi parar depois da quinta temporada. Decidido a fazer coisas melhores pela própria vida, Opie (Ryan Hurst) foi sendo empurrado cada vez mais para o fundo do poço pelos próprios amigos, que mataram sua mulher e forçaram-no a uma narrativa de vingança que terminou numa sequência congelante em que – para salvar Jax - ele é lentamente assassinado na frente dos companheiros.

Participações Especiais

Assim que a série se tornou estabelecida perante a crítica americana, algumas celebridades e artistas começaram a pedir para aparecerem no programa. Além de atores conhecidos por outros papeis na TV, como Drea de Matteo, que vivera a Adriana de Sopranos, Lea Michele (Glee) e até o autor Stephen King fizeram aparições no seriado.

A violência

A lista de mortes marcantes na série é extensa, mas elas não se atêm só aos personagens principais. A forma como as personagens femininas eram agredidas e assassinadas chegava a ser incômoda na maioria do tempo. Os atos faziam parte da dinâmica psicológica daquele meio, mas mesmo assim era desconfortável. A filha de Tig sendo queimada em sua frente, o espancamento de Stahlde Gemma, são alguns exemplos. Há também a sequência em que Jax mata o ex de Tara e os dois transam em frente ao cadáver do homem. É realmente perturbador.

Venus

O ator Walton Goggins trabalhou em The Shield, série policial que tinha Kurt Sutter no time de roteiristas. Mais tarde, ele foi convidado para viver a prostituta transexual Venus, num trabalho de caracterização simplesmente impressionante. A passagem de Venus por alguns episódios foi tão marcante que ela voltou na temporada seguinte e os roteiros deram continuidade ao romance improvável dela com TigA maneira delicada e divertida com a qual a personagem foi escrita acabou colocando-a no set de momentos inesquecíveis do programa.

Gemma mata Tara

A mãe de Jax Teller foi vivida por uma impressionante Katey Sagal, que transformou-a na maior "vilã involuntária" da série. Apoiada no intuito de manter a soberania da família na venda ilegal de armas, ela sacrificou absolutamente todos que cruzaram seu caminho. A relação dela com Tara (Maggie Siff) já vinha numa crescente de tensões insuportáveis, sobretudo porque Jaxseu filho, estava disposto a largar a vida de crimes para criar os rebentos de uma forma honesta. Gemma impede o recuo do rapaz assassinando de uma forma brutal a mulher que ele ama. A sequência é, sem dúvida, uma das mais chocantes do seriado.

Jax mata Gemma

Depois que Jax descobre que foi a própria mãe quem matou sua amada, a sétima e última temporada do programa é tomada pela angústia de saber que o encontro dos dois será categorizado por mais tragédias. Por vários momentos questionamos se Jax terá coragem de vingar-se de Gemma, mas a revelação do crime vem junto com uma outra série de verdades que evidenciam a Jax que foi ela, sua mãe, quem travou suas chances de mudar seu destino. Então, quase como se não houvesse saída, ele acaba com a vida dela numa sequência enervante.

O final

Enquanto Sopranos apresentou um final cheio de pontas metafóricas que precisavam ser interpretadas, Sons of Anarchy preferiu fazer como The Shield e fechou quase que completamente seus arcos. Depois de fazer o possível para salvar os filhos do mesmo legado e manter vivo o clube de alguma forma, Jax encontra a última estrada de uma forma extremamente coerente e poderosa.

Sons Of Anarchy teve um prequel prometido para logo depois da conclusão, mas ele nunca aconteceu. A ótima produção do FX ficou algum tempo no catálogo da Netflix, mas com o fim da parceria entre as duas gigantes a série foi retirada do mesmo. Ainda assim, vale a pena correr atrás. Poucas produções conseguiram o feito de chegarem até o sétimo ano com tanta força e coesão.