Séries e TV

Lista

The Bear | Por que você deve assistir a uma das grandes séries de 2022

Série usa drama e comédia na medida e tem elenco envolvente

Omelete
3 min de leitura
12.11.2022, às 12H00
ATUALIZADA EM 14.11.2022, ÀS 12H47
ATUALIZADA EM 14.11.2022, ÀS 12H47

O Urso, ou The Bear, foi uma das séries que entrou tímida no catálogo do Star+, mas conquistou o público e recebeu elogios da crítica. Não se engane achando que a primeira temporada, com apenas oito episódios de 30 minutos cada, seja algo despretensioso; a trama é daquelas que vai te prender do começo ao fim e te deixar com o coração na boca.

Com uma segunda temporada confirmada, O Urso é de longe uma das grandes séries a que você precisa assistir. Veja os motivos: 

Uma grande panela de pressão

FX/Divulgação

A trama acompanha Carmen Berzatto (Jeremy Allen White), um renomado chefe de um dos maiores restaurantes do mundo que sai de Nova York e retorna para Chicago, sua terra natal, para lidar com uma lanchonete deixada por Michael, seu irmão, em seu testamento. Nesse ambiente familiar, Carmen precisa encarar os desafios de administrar a desordem do lugar com dívidas, funcionários desalinhados, cozinha caindo aos pedaços e falta de suprimentos, enquanto ele e os personagens sofrem com a morte inesperada e as mudanças que chegam.

Logo no começo do primeiro episódio, O Urso nos apresenta a grande panela de pressão que é: caótica, barulhenta, dinâmica e volátil. Você sente que a qualquer momento haverá uma explosão devido aos conflitos que estão presentes e os novos que vão surgindo, o que é um ingrediente extra que nos deixa vidrado para saber o que vai acontecer.

Elenco envolvente

FX/Divulgação

Os cozinheiros que trabalham no restaurante são ímpares: Richie (Ebon Moss-Bachrach) era quem administrava o lugar antes e age de forma estúpida e mais atrapalha do que ajuda; a jovem aspirante Sydney Adamu (Ayo Edebiri) tem grandes planos, mas a pouca experiência acaba dificultando sua performance; Marcus (Lionel Boyce) é um confeiteiro tímido que busca fazer o melhor, e Tina (Liza Colón-Zayas) é uma veterana do lugar que se recusa a receber ordens do novo chefe.

Apesar das divergências que geram atritos, a série consegue construir ligações entre os personagens de forma orgânica e única. Eles são complexos, e carregam um quê de humanidade que faz despertar tanto raiva quanto afeto.  

Há dois episódios que merecem a atenção: o sétimo que é quase um plano-sequência impecável que mostra um acontecimento inesperado e coloca à prova a atuação do elenco e sua química - além de um deslumbre de direção e fotografia. E o oitavo e último, em que o protagonista tem um monólogo de quase sete minutos que deve colocar White para concorrer ao Emmy ou outras premiações.

Temática vasta

FX/Divulgação

O Urso vai além de retratar o universo da gastronomia de Ratatouille ou a busca estafa pela perfeição como em Whiplash (2014). Ela fala sobre luto, família (a de sangue e a além da biológica), esgotamento, compaixão, companheirismo… É tudo isso e mais um pouco.

A série não tem nada de extraordinário de sua temática comparada a outras grandes produções que marcaram o ano como os fantasiosos O Senhor dos Anéis: Os Anéis dos Poder, A Casa do Dragão ou Sandman. É simples, porém, bem executada, o que a torna visceral e marcante por si só. 

Dirigido por Christopher Storer (Oitava Série), a dramédia consegue dosar os momentos de tensão e humor, sendo um prato cheio para quem assiste.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.