White Lotus, Round 6 e Mestres do Universo

Créditos da imagem: (HBO Max/Netflix)

Séries e TV

Lista

Round 6, Mestres do Universo e mais: as melhores séries de TV de 2021

Equipe editorial do Omelete selecionou as produções mais marcantes do ano

A cozinha
21.12.2021, às 11:00
Atualizada em 22.12.2021, às 17:59
Atualizada em 22.12.2021, às 17:59

O ano está chegando ao fim e é hora de despedidas, planos para o futuro e - mais do que tudo - retrospectivas. Em um ano em que grande parte do tempo foi dedicado a ficar em casa, a Marvel estreou suas produções televisivas e a HBO Max chegou ao Brasil, a TV chamou público de toda parte. E é entre estas diversas e variadas produções que a equipe do Omelete selecionou as suas favoritas. Confira abaixo as séries que escolhemos como as maiores de 2021:

Evil

Evil
Paramount+/Divulgação

Evil já era diabolicamente brilhante em sua primeira temporada, mas os criadores Robert e Michelle King liberaram um lado muito mais alucinado de sua história neste segundo ano - e a série só ficou ainda melhor por isso. A mudança (lá nos EUA) da emissora aberta CBS para o serviço de streaming Paramount+ provavelmente teve um pouco a ver com isso, já que deixou os King mais livres para trabalhar em seu conto moral perturbado sem amarras ou censuras. O resultado é uma temporada audaciosa, cheia de episódios com propostas ousadas (incluindo um quase inteiramente mudo), e que passeia confortável e magistralmente entre o horror, a comédia e o drama de costumes. Nessa sua versão evoluída, Evil nem mesmo se digna àquela expressão “fora da caixinha” - ela olha para a caixinha e solta uma daquelas risadas malignas que só o seu deliciosamente mesquinho vilão, Michael Emerson, sabe soltar. Disponível para streaming no Globoplay. - Caio Coletti

Succession

Succession
HBO Max/Divulgação

Após um longo hiato, Succession voltou para sua terceira temporada ainda melhor. A trama criada por Jesse Armstrong para a HBO elevou seu nível ao se aprofundar nos traumas da família Roy e em sua dinâmica profundamente disfuncional, e transformou uma guerra civil em uma verdadeira tragédia familiar. Tudo isso com um texto afiadíssimo e atuações incríveis - Leia a nossa crítica de Succession. - Beatriz Amendola

Arcane

Arcane
Netflix/Divulgação

A Netflix tem produzido algumas das melhores séries animadas dos últimos anos. A exemplo de She-Ra e as Princesas do Poder e O Príncipe Dragão, Arcane surpreendeu não só pelo método de animação único, mas pela história profunda que construiu ao longo de sua primeira temporada. A produção, inspirada no cânone de League of Legends, estourou a bolha do game graças à sua trama emocionante protagonizada por personagens carismáticos e encantadores - Nico Garófalo

The White Lotus

The White Lotus
HBO Max/Divulgação

Com personagens deliciosamente odiáveis e um texto ácido e pulsante, a minissérie da HBO é certamente um título que não vou conseguir parar de pensar por um tempo -- até porque não sei se um dia vou superar Murray Bartlett e seu Armond. Mas, para além das figuras marcantes que habitavam aquele resort enjoado, o constrangimento e a tensão que Mike White criou ao longo de seus seis episódios é realmente um feito invejável - Mariana Canhisares

Mestres do Universo: Salvando Etérnia

Mestres do Universo: Salvando Etérnia
Netflix/Divulgação

Quão madura, filosófica, dinâmica e emocionante poderia ser uma sequência para a por vezes tosca animação He-Man e os Mestres do Universo (1983)? A resposta do showrunner Kevin Smith foi surpreendente com essa nova série animada: “Muito”. Dividida em duas partes, a “continuação espiritual” da produção oitentista repensou os principais personagens da saga, os confrontando com ideias que os redefiniram ao mesmo tempo em que modernizaram, mas sem perder a mão no respeito ao legado da linha de brinquedos da Mattel que inspirou todo esse universo. Cheia de surpresas até o final, ela se revelou um deleite tanto para nostálgicos quanto não iniciados, guardando ecos de Duna, Star Wars, Senhor dos Anéis e até Hamlet ou Macbeth em seu texto afiado - Eduardo Pereira

Only Murders in the Building

Only Murders in the Building
Star+/Divulgação

Se você digitar “conceito, coesão e aclamação” no Google provavelmente vai aparecer Only Murders in the Building como resultado. Brincadeiras à parte, a série traz uma mistura perfeita de mistério e humor, além de entregar uma dinâmica entre Selena Gomez,  Martin Short e Steve Martin que é simplesmente deliciosa de se ver. Tudo isso com direito a alguns plot twists na trama que te deixam investido na produção até o fim. Afinal, todo mundo gosta de acertar quem foi o assassino da história, não é mesmo? - Bruna Liu

Sombra e Ossos

Sombra e Ossos
Netflix/Divulgação

Os fãs de fantasia foram bem servidos em 2021! A aguardada adaptação da série literária escrita por Leigh Bardugo conseguiu atingir o maior dos objetivos do gênero: conquistar o novo público e agradar aos sempre críticos fãs da obra original. Com um universo mágico interessante, personagens carismáticos, visuais incríveis e um elenco de peso — Jessie Mei Li entregou a essência da protagonista Alina, e Ben Barnes deu vida ao icônico vilão Darkling —, a produção da Netflix elevou a história dos livros a outro patamar ao acrescentar mais diversidade e amarrar o roteiro com os outros livros do Grishaverso. Vale destacar o roteiro da série, que ditou um ritmo preciso para a história, deixando os espectadores cada vez mais imersos na trama e oferecendo diferentes núcleos sem ficar confuso. Agora, as expectativas para a segunda temporada estão altíssimas! - Letícia Cangane

Round 6

Round 6
Netflix/Divulgação

Uma das surpresas mais gratas de 2021 certamente foi a série sul-coreana Round 6, ou Jogo da Lula, na tradução do original. Antes de se tornar uma das produções de maior sucesso da era dos streamings, a trama de Hwang Dong-hyuk, distribuída pela Netflix, ficou cerca de dez anos em desenvolvimento até alcançar um resultado excelente. Mesclando diferentes cores e sabores, ela forma uma das obras mais magnéticas dos últimos tempos. Além do seu sucesso individual, Round 6 ainda serviu como referência para popularizar outras produções do leste asiático entre um novo público - Pedro Henrique Ribeiro

Get Back

Get Back
Disney+/Divulgação

Lançado em formato de minissérie no Disney+, Get Back parece mais um “filmão”, mas respeitemos a ordem e vamos categorizar as coisas do jeito que elas gostariam de ser categorizadas. Get Back é o lançamento do ano em todos os aspectos, não apenas por sua realização quase inacreditável - o que Peter Jackson fez com as imagens que tinha é nada menos que espetacular - mas também por mudar crenças históricas do maior grupo musical que já existiu. Get Back deixa com que os Beatles contem sua própria história, de um modo honesto, tocante e inesquecível - Julia Sabbaga

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.