Séries e TV

Artigo

Life is Strange | Por que o game é tão importante quanto 13 Reasons Why

Jogo episódico traz abordagem diferente aos mesmos temas do seriado da Netflix

Arthur Eloi
05.05.2017
18h01
Atualizada em
07.05.2017
13h16
Atualizada em 07.05.2017 às 13h16

[Cuidado! Spoilers da trama de Life is Strange abaixo]

Imagine a situação: trailer e imagens são divulgados na internet sobre uma nova obra, mas pouca gente dá importância. Algumas semanas depois, aquela obra vira fenômeno na internet, que fica repleta de discussões pertinentes sobre suicídio, bullying e escolhas difíceis. Pensou em 13 Reasons Why, certo? Mas isso aconteceu em 2015 e com um videogame.

Life is Strange

O jogo em questão é do estúdio Dontnod e atende pelo nome de Life is Strange. Com toda a conversa sobre o seriado, muitos fãs associaram os tópicos ao game e é uma boa hora para relembrar ou conhecer o jogo episódico que toma uma abordagem diferente dos mesmos temas vistos no recente sucesso da Netflix.

Em Life is Strange, o jogador assume o controle de Max Caufield, uma jovem que retorna à sua cidade natal, a fictícia Arcadia Bay, para ingressar em uma das melhores faculdades de fotografia dos Estados Unidos. Por acidente, um dia ela acaba presenciando um assassinato no banheiro, decide intervir e descobre ter a habilidade de voltar no tempo e refazer suas ações e escolhas para mudar o futuro.

Mesmo com a premissa sobrenatural, o jogo é calcado no desejo humano de poder consertar seus erros. É pensando nisso que o game introduz a subtrama de Kate Marsh, uma garota que é vítima de bullying por vários outros alunos da universidade, levando-a a depressão e, eventualmente, suicídio.

Durante "Out of Time", o segundo episódio, Max perde momentaneamente seus poderes e consegue apenas se colocar no telhado com Kate durante seu trágico fim. As duas começam a conversar e, sem a possibilidade de voltar no tempo, o jogador deve tentar impedir o ato apenas com o diálogo.

Existe toda uma construção para isso: você é apresentado à condição da garota logo cedo e em diversas vezes pode dar apoio e tomar o seu lado, e isso importará nos seus momentos finais. Agora, caso você tenha ignorado ou menosprezado Kate durante as horas anteriores, não há o que fazer. Você é parte do problema e ela nota o quão artificiais são as suas palavras.

O efeito dessa cena é duradouro, principalmente para o jogador. Quando Kate pula, é impossível não pensar em todos os momentos em que você poderia ter feito a diferença na vida dela. Para o jornalista Henrique Sampaio, em um artigo do Overloadr, isso é o que muda tudo: "Essa talvez seja a maior diferença entre 13 Reasons Why e Life is Strange. Enquanto um, em sua forma passiva, nos permite apenas testemunhar uma história sinistra de injustiças e abusos, o outro, em sua forma ativa, nos permite agir contra essas mesmas injustiças, ainda que dentro de certas restrições."

Apesar das abordagens distintas, ambas obras merecem sua atenção pelas discussões de temas altamente relevantes. Ter dois produtos comerciais de qualidade e que dialogam com o público jovem pode ser responsável por gerar questionamentos, debates e, quem sabe, até mudar comportamentos nocivos.

Vale ressaltar que Life is Strange está disponível para Xbox One, Xbox 360, PlayStation 4, PlayStation 3 e PC. O primeiro episódio é gratuito em todas as plataformas.