Séries e TV

Artigo

Lembra desse? Patrulha Estelar

Você se lembra do clássico animê de Yoshinobu Nishizaki e Leiji Matsumoto?

Alexandre Nagado
11.01.2005
00h00
Atualizada em
03.11.2016
11h00
Atualizada em 03.11.2016 às 11h00

Yamato

A equipe central da nave

General Desslock

Wildstar e Lola

O Yamato real...

... resgatado para virar uma nave

Fortaleza Cometa Império

Série III

Yamato: Capítulo final

Great Yamato

A nave Andrômeda

Se houve um canal de TV brasileiro identificado com heróis japoneses, foi, sem dúvida, a extinta TV Manchete, que alavancou manias nacionais puxadas por Jaspion e Cavaleiros do Zodíaco na década de 1990. Alguns anos antes, a emissora havia exibido produções que, se não foram ícones pop como as duas séries citadas, chamaram a atenção do público infanto-juvenil na metade da década de 80, época em que poucos seriados nipônicos eram vistos na TV.

Apresentado pela então estreante Xuxa, o programa Clube da criança tinha como carros-chefe dois animês de ação: Pirata do Espaço e a Patrulha Estelar. Enquanto o primeiro era uma aventura obscura e esquecida em seu país, o segundo era um dos épicos de maior repercussão no Japão, verdadeiro divisor de águas na história da animação japonesa.

O público começou a acompanhar a trama em sua segunda fase, em 1984. Apresentando a batalha da jovem equipe contra o Cometa Império e os Gamilons, o desenho logo ganhou muitos adeptos. Com uma estrutura de roteiro mais adulta, sem muitos alívios cômicos, a saga era grandiosa, sentimental e poética, captando a atenção de um público um pouco mais velho. A música-tema, semelhante a um hino militar e entoado em inglês por um coro imponente, dava o tom dramático logo na abertura.

A versão exibida no Brasil, com alguns cortes, fora primeiro adaptada nos Estados Unidos como Star Blazers. Foi nesse país que as personagens também ganharam nomes ocidentais, como Derek Wildstar (no original, era Susumu Kodai), Nova (no Brasil, ficou sendo Lola e no original era Yuki Mori), Marc Ventury (Daisuke Shima), Sandor (Shiro Sanadá), Cap. Avatar (Cap. Okita), Trilena (Teresa), Desslock (Deslar) e outros. No original, a equipe não tinha nome, sendo conhecida no Japão apenas como a tripulação do Encouraçado Espacial Yamato (ou Uchuu Senkan Yamato), sendo este o verdadeiro nome da nave e da série.

O enredo apresentava heróis nobres e idealistas, como o jovem capitão Derek Wildstar e seus amigos, o cientista Sandor e o navegador Marc Ventury. No entanto, a grande personagem talvez seja o inimigo General Desslock. Frio e calculista, mas também honrado, passou de vilão a herói sem sofrer mudanças de personalidade. Assim como no Japão e nos Estados Unidos, o carisma dos protagonistas conquistou o público brasileiro.

No embalo do sucesso, a terceira temporada foi trazida diretamente do Japão. O tema original, cantado por Isao Sasaki (de Metalder), foi mantido e belas imagens com um colorido mais vivo e com mais efeitos visuais mostraram um salto de qualidade na produção. O que era compreensível, visto que dois anos separavam as duas temporadas.

Depois de algumas reprises no programa Circo da alegria, do palhaço Carequinha, e de ocupar alguns horários tapa-buraco, a série sumiu da TV ainda nos anos 80. Na década seguinte, os primeiros episódios da fase Cometa império chegaram a sair em vídeo, pela Herbert Richers, a mesma empresa que dublou os episódios.

Concebida pelo produtor Yoshinobu Nishizaki e o autor de mangás Leiji Matsumoto, a saga recriava o clima de filmes épicos de guerra em um contexto futurista e ao mesmo tempo retrô. Com uma nave espacial inspirada em um navio, o roteiro contava que o encouraçado Yamato (que existiu de verdade), o maior de todos os tempos, fora resgatado do leito do Oceano Pacífico, onde jazia desde o final da Segunda Guerra Mundial. Remodelado com a tecnologia do ano 2199, foi convertido em poderosa espaçonave, fato que se perdeu na versão para o ocidente com a utilização do nome Argo.

A transformação do navio se encaixa perfeitamente na obra de Leiji Matsumoto, onde a ciência é muito mais próxima da fantasia, sem preocupações técnicas ou verossímeis. Capaz de viajar com saltos no hiperespaço, transportar astro-caças (os jatos Tigres Negros) e armada com o devastador Canhão de Ondas em sua proa, o Yamato é a principal peça das Forças de Defesa da Terra.

Paralelo à série de TV, onde escreveu a trama, desenhou storyboards e cuidou da direção-geral, Matsumoto também produziu o mangá, com enredo diferente, e que gerou três volumes encadernados. O sucesso que viria depois ninguém podia imaginar.

Anime boom

Revolucionária em seu tempo, a saga da Patrulha Estelar causou o primeiro Anime Boom, uma onda de fanatismo sem precedentes no Japão. Tal fenômeno não ocorreu quando a primeira temporada foi exibida originalmente entre 1974 e 75, mas ao ser resumida e editada na forma de um longa-metragem para cinema em 1977. Apesar da produção precária, a exibição em cinema valorizou o roteiro épico e a brilhante trilha sonora de Hiroshi Miyagawa, conquistando um público grande e fiel. Veio então um longa para cinema em 1978, que fez do Yamato um grande e merecido sucesso.

O renome chamou a atenção da imprensa para o poder dos animês, que passaram e gozar de mais prestígio e maiores platéias. O design de Matsumoto também influenciou várias produções, sendo referência até hoje. Com enorme sucesso na TV e especialmente no cinema, a saga ganhou adaptações em mangá fiéis às animações, romances, games e uma infinidade de produtos derivados, mesmo depois de seu encerramento, em 1983.

Em 1994, foi lançado pela Voyager Entertainment o primeiro de quatro episódios feitos diretamente para vídeo com um projeto estilo nova geração, chamado de Yamato 2520. Mesmo com uma nave desenhada pelo renomado Syd Mead (projetista de Blade Runner), a tripulação de Yamato 2520 acabou não fazendo muitos fãs.

Turbulência nos bastidores

Considerado um dos maiores mestres da história do mangá, o autor Leiji Matsumoto é famoso em seu país por ter criado também as séries Galaxy Express 999 e Capitão Harlock, cujo longa animado de 1983 foi lançado em vídeo no Brasil e também exibido em partes na TV Manchete. O mestre, ainda em plena atividade aos 66 anos, ganhou ainda mais projeção mundial em 2003 por ter se associado aos franceses do Daft Punk na produção dos clipes musicais que compõem o animê Interstella 5555.

Alguns anos atrás, Matsumoto entrou em briga na justiça com o ex-parceiro Nishizaki pelos direitos da criação. O desenhista realmente criou todo o universo, personagens, visual e enredo, mas foi por encomenda de Nishizaki, que na condição de produtor executivo, disse ter lançado a idéia básica. Eles não chegaram a um acordo sobre a divisão dos direitos e, num certo momento, o ilustrador perdeu a briga, sendo impedido de trabalhar com a série. Mas Nishizaki não pôde comemorar, pois fora preso por envolvimento com drogas e armas e ficou com a saúde precária. No final, entre tantas idas e vindas, Matsumoto conseguiu lançar sua versão da história, mesmo com Nishizaki tendo anunciado a pré-produção de Yamato re-birth.

Retomando a franquia, Matsumoto produziu o mangá Dai Yamato, uma saga passada no ano 3199. O título serviu de base para a nova série Dai Yamato Zero-Goh (Grande Yamato - Número Zero, de 2004) lançada diretamente em DVD. Com visual rebuscado, o novo Yamato foi uma tentativa de recriar a magia do original, mas não tem obtido grande repercussão. Ao menos, entre tantos remakes e novas versões que vez por outra aparecem, o novo Yamato ao menos foi feito pelo mesmo autor da versão original. Versão esta que, a despeito da produção datada, é ainda um clássico absoluto.

TODAS AS AVENTURAS (série clássica)

Patrulha Estelar - Fase I (A busca por Iskandar)

Sinopse: Condenado à destruição por uma catástrofe natural, o distante planeta Gamilon é liderado pelo General Desslock. O ditador declara guerra à humanidade, decidido a ocupar a Terra para transferir seu povo. Mas Star-sha, do planeta gêmeo de Gamilon, Iskandar, oferece aos seres humanos o Cosmo Cleaner, capaz de limpar a radiação das bombas de Gamilon. Para a dura viagem, o capitão Okita lidera a jovem tripulação do Cruzador Espacial Argo, onde se destaca o impulsivo Wildstar. Incapaz de atacar Star-sha por amá-la, resta a Desslock tentar impedir que a Patrulha chegue em Iskandar, gerando uma infinidade de batalhas.

Título original: Uchuu Senkan Yamato

Formato: Série de TV

Total: 26 episódios

Estréia no Japão: 06/10/1974

Produção: Office Academy

Adeus, Encouraçado Espacial Yamato - Guerreiros do amor

Sinopse: Atendendo a um misterioso alerta vindo de Trilena, do distante planeta Telezart, Wildstar lidera a tripulação da Argo em uma missão não-oficial. Descobrindo a ameaça do Cometa Império, cuja fortaleza segue para a Terra oculta sob um gigantesco cometa, a Patrulha ainda tem que enfrentar o vingativo Desslock. O Cometa Império mostra-se capaz de dizimar toda a frota da Terra, liderada pela nave Andrômeda, obrigando a Patrulha a realizar uma missão suicida. Clássico do cinema japonês, o filme impulsionou o fanatismo pelo desenho, mas o final trágico não dava margem para continuação, o que obrigou os autores a reformularem a trama visando dar continuidade à franquia.

Título original: Sarabá Uchuu Senkan Yamato - Ai no senshi tachi / Arrivederci Yamato

Formato: Longa para cinema

Duração: 150 minutos

Estréia no Japão: 05/08/1978

Produção: Toei Animation e Office Academy

Patrulha Estelar - Fase II / O Cometa Império

Versão para TV com enredo alterado do filme do Cometa Império. A semideusa Trilena aparece mais humanizada e se envolve com o navegador Ventury. E Desslock reconhece a nobreza de seus adversários, sem cometer suicídio (coisa que fez na versão original), partindo com seus subordinados para reorganizar o império. Outra mudança foi que o capitão Gideon, do Andrômeda, fora visto originalmente comandando o Yamato no longa original. A saga, exibida no Brasil, foi resumida posteriormente em um novo filme para cinema.

Título original: Uchuu Senkan Yamato 2

Formato: Série de TV

Estréia no Japão: 14/10/1978

Total: 26 episódios

Produção: Office Academy

Encouraçado Espacial Yamato - A nova viagem

Sinopse: Após uma agonizante espera, chega o fim do planeta Gamilon, que é presenciado por Desslock. A catástrofe deixa o planeta-gêmeo Iskandar à deriva no espaço. Desslock e sua frota espacial tentam salvar os únicos moradores do planeta: Star-sha, seu marido Alex e sua filha Sasha. No entanto, o mundo é alvo dos Golbas, império conquistador vindo dos confins da galáxia. A Patrulha oferece ajuda a Desslock e, juntos, eles enfrentam o novo inimigo.

Título original: U. S. Yamato - Aratanaru tabidachi

Formato: Longa para TV

Duração: 114 minutos

Estréia no Japão: 31/07/1979

Produção: Office Academy

Be forever Yamato

Sinopse: Em busca de vingança, o Império Golba ataca a Terra e conquista o planeta. Entrando em ação, a Patrulha dirige-se para o mundo-base dos Golbas. Na tripulação, além do novo capitão Yamanami, está a sobrinha de Wildstar, Sasha, que teve crescimento acelerado graças à sua fisiologia alienígena. Lola cai em poder dos Golbas e se torna escrava de um oficial inimigo. Emocionante e grandioso, um filmaço digno de ser visto no cinema.

Título original: Yamato yo towani

Formato: Longa para cinema

Duração: 145 minutos

Estréia no Japão: 02/08/1980

Produção: Office Academy

Patrulha Estelar - Fase III (As guerras de Polar)

Sinopse: Nos confins do Universo, a guerra entre a Federação Polar (ou Bolar) e o novo Império Galman-Gamilon de Desslock provoca um acidente cósmico. Um míssil interplanetário desvia-se de sua rota e atinge o Sol, provocando uma reação em cadeia que aniquilará a vida na Terra em um ano. Sem alternativa, a Patrulha parte em busca de um novo planeta para a humanidade. Logo, porém, seu envolvimento na guerra das superpotências obriga a equipe a tomar partido. No fogo cruzado, o culto de uma lendária deusa desperta a atenção dos tiranos espaciais. Na nova tripulação, os jovens oficiais Domon e Ageya (Ageha, no original) assumem papel decisivo nas missões. Assim como as outras, esta série ganhou também um resumo para cinema. O público brasileiro ficou sem entender algumas imagens que apareciam durante o tema de encerramento, com citações aos filmes inéditos por aqui.

Título original: U. S. Yamato III

Formato: Série de TV

Estréia no Japão: 11/10/1980

Número de episódios: 25

Produção: Office Academy

Encouraçado Espacial Yamato - Capítulo final

Sinopse: Vindo de outra dimensão, o Império Dinguil usa como arma o planeta Aquarius, totalmente composto de água. Movido por um sistema de teleporte, Aquarius se aproxima do mundo-alvo e a atração gravitacional desloca gigantescos vagalhões que fluem pelo espaço e causam destruição. Com a volta do Capitão Avatar, antes dado como morto, a tripulação parte para o ataque, numa missão que custará dolorosos sacrifícios. A beleza das imagens supera qualquer estranhamento com o excesso de licença poética. Melancólico e contemplativo, foi o filme que encerrou a saga da equipe original.

Título original: Uchuu Senkan Yamato - Kanketsu Hen

Formato: longa para cinema

Duração: 158 minutos

Estréia no Japão: 19/03/1983

Produção: West Cape Corporation