Rachel Keller como Syd em Legion, da Marvel

Créditos da imagem: Legion/FX/Divulgação

Séries e TV

Entrevista

Legion | Rachel Keller fala sobre a identidade única da série da Marvel

"Explorar essa história mostra a sensação de estar em um ciclo de transtorno mental", diz atriz de Syd ao Omelete

Arthur Eloi
29.10.2019
13h21

Para acompanhar o cinema, a televisão também tem uma vasta quantidade de séries de heróis, mas poucas chegam ao nível da originalidade e bizarrice de Legion. A criação de Noah Hawley (Fargo) é levemente baseada nos quadrinhos dos X-Men, mas faz com ritmo e identidade própria. O programa foi concluído em agosto nos Estados Unidos mas só agora estreou no Brasil pelo Fox Premium 2. A emissora convidou o Omelete, junto com outros jornalistas da América Latina, a conversar com Rachel Keller - que interpreta Syd - sobre o que faz o seriado se manter único em seu meio.

O Universo Marvel tem muito amor, experimentação e humor. Nós utilizamos isso, mas também estamos falando sobre poder, amor próprio e conexão em uma bela narrativa”, compara a atriz. Segundo ela, muito do potencial vêm de usar essa abordagem para tratar de temas mais tensos, como transtornos mentais. “Explorar essa história, que mostra a sensação de estar em um ciclo de transtorno mental, para poder ver como é estar em um ponto baixo. É interessante explorar isso dentro do Universo da Marvel. Há diversão, mas também muito respeito e compaixão pelas pessoas que passam por isso em suas cabeças sem conseguir controlar.

Como forma de representar essas alucinações, Legion brinca bastante com diferentes realidades e linhas temporais - consequência direta dos poderes do protagonista David Haller (Dan Stevens). Se é confuso para o público, os atores sofrem dobrado, brinca Keller: “Não conseguimos ficar a par da narrativa. A coisa boa é que não seguimos uma trama linear, então não há certo ou errado - especialmente com viagem no tempo, em que tudo pode ser desfeito.

Falando em David Haller, o personagem que dá nome ao programa foi cedendo espaço e protagonismo à Syd. No ano final, ela já é uma figura central da trama, considerando que a relação entre os dois fica bastante problemática. “Alguém que ela amava se aproveitou dela, o que é uma situação complexa e real. Com sorte estamos lidando com o tópico de abuso de forma que se pareça tão complicado e cheio de camadas quanto é realmente. Penso que exploramos o que é se sentir bravo e frustrado mas ainda ter um profundo amor por alguém.

A história que estamos contando é uma experiência subjetiva de David”, continua. “Vemos todas as versões de Syd pela visão das experiências de David, mas ela vai aprendendo mais sobre si própria. É uma jornada interessante para ela fazer [...] Vemos que Syd terá uma enorme responsabilidade em tentar impedir a pessoa que ela ama de destruir o mundo. O que vemos é uma grande exploração do significado de sacrificar algo pelo bem maior”, conclui.

Legion é transmitida no Brasil toda sexta, às 22h30, pelo canal pago Fox Premium 2.