Séries e TV

Notícia

Fugitivos | Jeph Loeb explica que não quer fazer crossovers sem motivos

"Temos que ter bastante cuidado em termos do que seria realista", diz presidente da Marvel TV na NYCC 2018

Aline Diniz e Arthur Eloi
05.10.2018
17h35

Com diversas séries da Marvel se passando no mesmo universo, a chances de crossovers - ou pelo menos referências - são altíssimas. Só não espere que Fugitivos, do Hulu, tenha participação nos eventos de séries como Demolidor.

Fugitivos/Hulu/Divulgação

Falando durante a New York Comic Con 2018, Jeph Loeb explicou ao Omelete. "Levando em conta que Fugitivos se passa em Los Angeles, não vamos abordar o que acontece em Nova York. É um questão de pontos de conexão. Para nós na Marvel Television, não faria sentido: pense que você é de um grupo de seis adolescentes (e um dinossauro), que acabaram de descobrir que seus pais assassinaram alguém."

"Se você está fugindo, não há tempo para pensar 'hm, o que será que o Demolidor está aprontando?'", brincou Loeb. "E isso é bem verdadeiro quando você conversa com crianças no ensino médio [...] Temos que ter bastante cuidado em termos do que seria realista quando se trata dos interesses dos personagens e com quem eles gostariam de se juntar."

Assim, o crossover mais lógico seria com Manto e Adaga, série adolescente da Freeform que atinge a mesma faixa etária e também protagonistas jovens lidando com problemas menores do que os dos Defensores. "Com certeza há essas duas pessoas em Nova Orleans que tem problemas parecidos mas em situações diferentes. Então acho que a resposta definitiva é: 'quem sabe?'."

Fugitivos, série de TV criada por Josh Schwartz e Stephanie Savage, criadores de Gossip Girl, acompanha um grupo de seis adolescentes que são forçados a se unir quando descobrem que seus pais são parte de uma organização do mal.

O seriado da Marvel retornará em 21 de dezembro, com todos os 13 episódios inéditos sendo lançados de uma vez. A primeira temporada foi exibida no Brasil pelo canal Sony e está disponível na Netflix - confira a nossa crítica.