Elizabeth Tulloch, Tyler Hoechlin, Jordan Elsass e Alex Garfin em arte promocional de Superman & Lois

Créditos da imagem: CW/Divulgação

Séries e TV

Crítica

Primeiro ano de Superman & Lois presenteia fãs com leitura emocionante do herói

Série da CW homenageia passado dos personagens nas telas sem sacrificar a própria voz

Nico Garófalo
20.08.2021
13h34
Atualizada em
20.08.2021
14h12
Atualizada em 20.08.2021 às 14h12

Desde que estreou na pele de Clark Kent/Superman em um episódio de Supergirl, em 2016, Tyler Hoechlin tem conquistado fãs do personagem por sua interpretação leve e encantadora do Homem de Aço. Mesmo fazendo apenas pequenas pontas isoladas na série da prima, o ator conquistou de vez o público do Arrowverse após sua participação no especial da “Crise nas Infinitas Terras” e a recepção positiva à sua versão do herói convenceu a CW a encomendar Superman & Lois, nova série focada no kryptoniano, sua esposa, Lois Lane (Elizabeth Tulloch), e seus filhos Jordan (Alex Garfin) e Jonathan (Jordan Elsass). Embora algumas peças do universo televisivo da DC já mostrem sinais de desgaste, a nova produção surpreendeu por sua qualidade e originalidade, com um retrato mais profundo da vida caseira do maior super-herói de todos os tempos.

A série começa com Clark e Lois passando por uma fase turbulenta: o kryptoniano é demitido do Planeta Diário, que passa por problemas financeiros, e deixa o jornal com a esposa e colega, que pediu as contas em protesto. Para piorar, Martha Kent, um dos pilares da criação de Clark e diretamente responsável pela humanidade do herói alienígena, morre de maneira repentina e deixa de herança para o casal a fazenda em Smallville - e suas dívidas. Os repórteres decidem, então, se mudar com os gêmeos para a cidade do Kansas, com planos de ajudar seus cidadãos e criar os filhos no ambiente que “construiu” o Superman.

Diferente do esperado, Superman & Lois não caiu na armadilha das irmãs mais melodramáticas, focando na leveza e no encanto do mundo dos super-heróis e deixando de lado seus inacabáveis conflitos internos. O drama familiar, inevitável quando consideramos o conceito do seriado, está presente, mas de um jeito muito mais verdadeiro do que é apresentado em Flash ou mesmo em Supergirl. A sintonia entre o quarteto principal da série torna crível que broncas por problemas escolares se misturem com discursos sobre aprender o uso responsável dos poderes kryptonianos, herdados por um dos garotos.

O trabalho do elenco também é bem diferente do tom novelesco que o público se acostumou a ver em séries dramáticas da TV aberta norte-americana. Hoechlin navega com extrema facilidade pelas diferenças entre Clark e Superman, habilidade essencial para qualquer ator que se proponha a viver o Homem de Aço. Mesmo Garfin e Elsass, cujas tramas colegiais são mais propensas a atuações forçadas, entregam performances convincentes e complementares e conquistam a simpatia do espectador sem qualquer dificuldade.

Mas o destaque dessa primeira temporada é sem sombra de dúvidas o trabalho de Tulloch. A atriz traz com naturalidade invejável toda a força e dedicação de Lois Lane, em uma atuação que faz da obstinada repórter uma heroína por si só, que mantém os filhos na linha e seu marido quase divino com os pés no chão. Embora a inspiração na versão da personagem criada por Margot Kidder no final dos anos 1970 seja clara, Tulloch coloca o bastante de sua própria leitura para que sua Lois se eleve, talvez até o mesmo patamar de sua icônica antecessora.

Essa atuação em particular tem grande apoio no bom trabalho dos roteiristas no desenvolvimento das personagens femininas. Fugindo do clichê da rivalidade entre mulheres pelo amor do mesmo homem, Superman & Lois mostra uma amizade verdadeira entre Lois e Lana (Emmanuelle Chriqui), deixando claro que qualquer paixão entre a banqueira de Smallville e Clark ficou no passado. Lana, aliás, também é desenvolvida para além da posição de ex-namorada do protagonista, sendo um dos principais pilares da comunidade da pequena cidade do Kansas.

Com possivelmente a melhor adaptação desses personagens para as telas nos últimos vinte anos, a equipe criativa de Superman & Lois consegue equilibrar homenagens nostálgicas a filmes e quadrinhos do Homem do Amanhã e histórias originais, com easter eggs o bastante para animar os fãs mais apaixonados do herói. O 11º episódio em particular foi feito para emocionar leitores tanto da fantástica fase do Superman escrita por John Byrne quanto da recente Superman Smashes the Klan, HQ de Gene Luen Yang e Gurihiru vencedora de dois Prêmios Eisner em 2021. Seja lutando contra a armadura superarmada de John Henry (Wolé Parks) ou tentando impedir a expansão hostil da empresa bilionária de Morgan Edge (Adam Rayner), o Homem de Aço tem sua essência recriada com um respeito que não é visto nas telas há um bom tempo.

Muito acima da média do que a maioria do Arrowverse tem apresentado nos últimos anos, a primeira temporada Superman & Lois é uma grata surpresa para fãs do herói e uma bela porta de entrada para quem ainda não teve contato com sua mitologia. Emocionante e com um otimismo necessário no cenário mundial atual, a série chega prometendo se tornar mais um belo capítulo no legado do Superman na cultura pop.

Superman & Lois
Em andamento (2021- )
Superman & Lois
Em andamento (2021- )

Criado por: Greg Berlanti, Todd Helbing

Duração: 1 temporada

Nota do Crítico
Excelente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.