Foto de Steven Universo

Créditos da imagem: Steven Universo/Cartoon/Divulgação

Séries e TV

Crítica

Steven Universo - 5ª temporada

Criado por Rebecca Sugar, desenho do Cartoon ressalta amor e aceitação

Camila Sousa
22.01.2019
19h12

[Cuidado com spoilers de todas as temporadas de Steven Universo]

Steven Universo foi lançado no Cartoon Network em 2013 como parte da nova leva de animações da casa. Ao lado de títulos como Hora de Aventura e Apenas um Show, a atração tem a característica de entreter as crianças, ao mesmo tempo em que tem mensagens para os adultos. Mas o diferencial de Steven Universo é que tais ensinamentos saem do básico e atingem outro patamar.

Marcando o final da quinta temporada, "Change Your Mind" ressaltou muito do que Rebecca Sugar tentou transmitir aos seus fãs nos últimos anos. O primeiro ponto é como as falhas fazem parte das pessoas e as tornam completas. No episódio de encerramento, a Diamante Branco retira as falhas de todos e ao fazer isso, cada personagem perde suas cores e características. Todos entram em um padrão de "perfeição" que ignora suas vivências e sentimentos.

A ideia de "se encaixar", aliás, é recorrente na temporada. Um exemplo é quando Steven organiza um baile no Planeta Natal - assumindo um espaço que era de sua mãe - e todos os personagens do local possuem formas geométricas que se encaixam perfeitamente umas nas outras. Não há espaço para espontaneidade, danças ou risos: todos precisam ser "perfeitos" aos olhos da Diamante Branco.

Mas nada retrata tão bem o quanto Steven Universo é importante quanto a fusão, a capacidade que as Gems possuem de se unirem umas com as outras. Essa característica, presente em todas as temporadas, serve como subtexto para vários problemas da sociedade atual. Uma fusão só deve acontecer quando as duas Gems permitem isso, do contrário é considerado uma violência. A descoberta da transformação também é um momento mágico, em que as duas partes entram em harmonia e se tornam uma só. O texto de Rebecca Sugar é tão delicado e poderoso que, mesmo ao colocar algumas "regras", ela mesmo as quebra quando Steven se funde com Connie (uma humana) e Pérola e a Diamante Rosa quase fazem o mesmo, abrindo um questionamento que a criadora esclareceu na CCXP18 - saiba mais.

Acima de tudo, a fusão é descrita como um ato de amor e amizade, que significa algo incrível e belo para quem faz. Garnet, formada por Safira e Rubi, é um grande exemplo disso. Durante as primeiras temporadas, ninguém sabia que a líder das Crystal Gems era formada por duas pessoas, mas essa descoberta trouxe um dos melhores momentos do quinto ano, o casamento entre Safira e Rubi. Até então elas tinham se mantido unidas por serem um símbolo da revolução liderada por Rose Quartz. Ao se separarem, Rubi entende que queria ficar ao lado de Safira não por nenhuma obrigação ou dependência: ela era feliz sozinha, mas escolheu sua companheira para a vida.

Mas mesmo algo tão natural quanto a fusão é visto como uma ofensa pelas Diamantes. Para elas, se fundir é algo impróprio e por isso a ação não é permitida na Terra Natal. Quem faz isso lá é aprisionado e despedaçado: o maior ato de violência contra um Gem, que nunca mais pode retornar à sua forma. Isso quase aconteceu com Steven no final da quinta temporada, mas ao invés de criar ódio pelas pessoas que odeiam a fusão e a liberdade que ela representa, o garoto segue o caminho contrário e mostra porque tantos fãs o amam ao redor do mundo: ele não quer violência ou batalhas, ele quer conversar, trazer entendimento e com isso mudar a percepção das Diamantes sobre a fusão e todo o resto. Todas essas mensagens que Steven Universo passa funcionam porque elas são, ao mesmo tempo, extremamente importantes atualmente, e transmitidas de formas simples e cheias de carinho.

Por enquanto ainda não há nenhum anúncio do Cartoon Network sobre a sexta temporada de Steven Universo. A expectativa dos fãs agora é para o filme animado, anunciado na San Diego Comic-Con - saiba mais. Mas mesmo que a quinta temporada tenha marcado a despedida do seriado, Rebecca Sugar fechou sua história perfeitamente, mostrando o quanto é importante lutar pelo seu lugar no mundo e como o poder da empatia é capaz de salvar a humanidade dos maiores perigos.

Nota do Crítico
Excelente!