O Hóspede Americano

Créditos da imagem: HBO Max/Divulgação

Séries e TV

Crítica

O Hóspede Americano é experiência didática e burocrática

Produção da HBO dá um passo maior que a perna e soa como a dramatização de um documentário

Henrique Haddefinir
22.10.2021
10h59

O Hóspede Americano, série da HBO Max, retrata um momento específico e peculiar da história. Entre dezembro de 1913 e abril de 1914, o processo de expedição para catalogar os caminhos desconhecidos entre Rondônia e o Amazonas precisava enfrentar um último grande desafio: O Rio da Dúvida. Cândido Rondon (Chico Diaz) já havia feito inúmeras expedições, mas para percorrer o Rio contou com a inusitada companhia do ex-presidente americano Theodore Roosevelt (Aidan Quinn). Desolado depois de perder a eleição de 1912 (que seria sua terceira), o estadunidense resolveu abandonar a carreira política e tentar novas aventuras.

Em entrevistas que deu sobre a criação, o diretor Bruno Barreto contou que o roteiro passou pela mão de Roberto Rios, então executivo de conteúdo da HBO Latina. Teria sido Roberto quem convenceu Bruno a não fazer um filme e sim uma minissérie. É um pedaço da história do Brasil que não faz parte dos currículos escolares e que humaniza figuras que dão nomes a rios, estados, cidades... Cândido Rondon foi uma figura importante na relação entre as expedições e os povos nativos, que ele sempre reconheceu serem os verdadeiros donos do território brasileiro. Em um dos episódios, inclusive, isso é reforçado e justificado.

Contudo, Barreto não disfarça que essa é uma produção sobre o ponto de vista de Roosevelt. O ex-presidente é quem tem seus núcleos desenvolvidos, é quem tem seus coadjuvantes situados em suas elucubrações sobre o futuro, o que explica, inevitavelmente, a recepção positiva da história na imprensa americana. É uma produção sobre o Brasil para ter atores brasileiros falando inglês e para ter personagens americanos atravessando a típica redenção a que se propõe a maioria dos roteiros que são desenvolvidos nessa dinâmica.

“Isso é uma Dramatização”

Em quatro episódios, O Hóspede Americano se divide entre as sequências da expedição, os planos de Roosevelt e suas posições políticas. As duas linhas temporais são pautadas por sequências feitas em estúdio na sua maioria, o que faz com que o objetivo da realização - a aventura pelo desconhecido amazônico - fique perdido pelo caminho. Durante a expedição, que durou meses, muitos perigos e situações limítrofes foram enfrentadas pelos envolvidos, mas, sem o orçamento necessário para fazê-las críveis, os roteiros foram escapando pela tangente e produzindo diálogos e mais diálogos estáticos, em ambientes fechados, o que de certa forma trai a proposta do desbravamento.

Aidan Quinn e Chico Diaz seguram as pontas, dando a Roosevelt e Rondon a humanidade e vulnerabilidade que eles precisam. Com sequências externas tão limitadas e efeitos especiais tão mal acabados, os dois atores mantêm o resultado final digno da marca da HBO; sensação que é perdida, inevitavelmente, quando os episódios descambam para os núcleos paralelos. Tudo é tão esterilizado e superficial que é como assistir a uma dramatização de documentários históricos. Chega a ser penoso ver Dana Delany enfiada em mais um projeto irrelevante e atores brasileiros como Arieta Corrêa e Luisa Rosa cumprindo uma cota de brasilidade.

O “Rio da Dúvida” não tem seus mistérios explorados e a sensação de perigo é impossível diante de sequências visivelmente precárias (como a única em que eles enfrentam corredeiras). O espectador não parece estar diante de uma narrativa orgânica e sim burocrática, como se alguém estivesse lendo o capítulo de um livro didático, em que a informação é importante, mas incapaz de te fazer sentir qualquer coisa.

Pensando nisso, talvez tivesse sido melhor manter a ideia de um longa-metragem. Algumas histórias têm muito potencial para mais tempo de tela, mas precisam de mais que só paixão e vontade. Do contrário, o resultado pode ser ironicamente inóspito.

O Hóspede Americano
Encerrada (2021-2021)
O Hóspede Americano
Encerrada (2021-2021)

Criado por: Bruno Barreto

Duração: 1 temporada

Nota do Crítico
Regular

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.