Pete Gardner no clipe de "Gettin' Bi"

Créditos da imagem: Crazy Ex-Girlfriend/CW/Reprodução

Séries e TV

Artigo

Gettin’ Bi: Como Crazy Ex-Girlfriend tratou sexualidade de Darryl com bom humor

Através da música de Adam Schlesinger, série deu visibilidade aos preconceitos enfrentados por bissexuais e os provou errados com sensibilidade

Mariana Canhisares
25.06.2020
10h34
Atualizada em
25.06.2020
13h26
Atualizada em 25.06.2020 às 13h26

“Isso é sem vergonhice", "é só uma fase, vai passar" ou, ainda, "por que você não se assume gay de uma vez?". Infelizmente, não é incomum ouvir frases como essas quando o assunto é bissexualidade. Sentir atração física por homens e mulheres ainda é um tabu, às vezes até mesmo dentro da comunidade LGBTQIA+. Porém, aos poucos, conforme a cultura pop dá mais espaço para personagens de todo o espectro de sexualidades, bissexuais começam a ganhar a visibilidade que merecem e, como consequência, o público passa a se sensibilizar com os dilemas e intolerâncias enfrentados por eles cotidianamente.

Crazy Ex-Girlfriend é um exemplo de série que, nos últimos anos, teve um papel importante nessa discussão sobre diversidade na TV, sobretudo através da jornada do divertido advogado Darryl Whitefeather (Pete Gardner). A princípio, parecia que ele seria resumido ao chefe irritante da protagonista, Rebecca Bunch (Rachel Bloom), um alívio cômico no escritório enquanto ela criava planos mirabolantes para conquistar Josh Chan (Vincent Rodriguez III). Porém, conforme a primeira temporada se aproxima do seu final, Darryl ganha mais desenvolvimento e passa por um momento e tanto de virada: ele, que até então sempre se entendeu como hétero, descobre na meia idade que também gosta de homens.

O processo até ele finalmente compreender e aceitar que é bi não foi nada simples. No primeiro momento, quando conheceu o personal trainer White Josh (David Hull), ele sentiu uma inédita atração, que o tirou do eixo. Por isso, embora criasse pretextos para encontrar o crush, ele usava toda a oportunidade que tinha para se proclamar hétero. Eventualmente, ele admitiu seus sentimentos e chamou o White Josh para sair. No entanto, o advogado escolheu um lugar longe de West Covina para evitar esbarrar com algum dos seus amigos. A decisão magoou o personal trainer, que cancelou o encontro.

Foram muitos tropeços e confusões, desenvolvidos ao longo de três episódios, mas todos eles levaram Darryl a, enfim, se reconhecer como um homem bissexual em “Gettin’ Bi”. Na música escrita pelo brilhante Adam Schlesinger, conhecido também pelo seu trabalho na trilha sonora de The Wonders - O Sonho Não Acabou, o advogado enfrenta seus preconceitos e questiona o senso comum com muito orgulho. Veja:

O título por si só é uma piada perfeita para a ocasião. “Gettin’ Bi” brinca tanto com a falaciosa ideia do “se tornar” bi - afinal, é mais uma descoberta de quem você sempre foi do que uma transformação - quanto com a expressão “get by”, que em inglês significa conseguir viver embora passe por alguma dificuldade. Este último definitivamente não é o caso do Darryl. Nesse momento, ele não tem problema nenhum em admitir que se sente atraído por homens e mulheres. Tanto que chama uma reunião com toda a sua equipe no trabalho para contar justamente isso, dançando e cantando.

Esperta e engraçada, a letra de Schlesinger contesta todos os estereótipos relacionados aos bissexuais, como os mencionados no início do texto, e diz com todas as letras: a bissexualidade é um fato que não se pode negar, é legítima e precisa ser desmistificada.

Considerando a animada e libertadora performance de Pete Gardner, não é de se surpreender que, em 2016, o ator tenha sido convidado a participar da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Los Angeles, cantando essa música. Entre os fãs da série, “Gettin’ Bi” se tornou um hino irreverente e sensível, além de um exemplo positivo sobre o ato de se assumir bi.

Depois desse evento, Darryl não foi resumido à sua sexualidade, nem teve ela completamente ignorada nas temporadas seguintes. Paralelamente ao desenvolvimento dos vais-e-vens do seu relacionamento com o White Josh, o advogado enfrentou dilemas sobre amizade, negócios e até família, quando decidiu que teria mais um filho e o criaria sozinho. Ele, que temia tanto a reação dos amigos, foi acolhido por todos eles, até pelo Jim (Burl Moseley) que, sim, no primeiro momento perguntou se o Darryl não era só gay. Aliás, o relacionamento dele e do White Josh foi tão bem aceito que, quando se separam, o grupo todo tenta convencê-los a reatar - é, alguns limites foram extrapolados. Relembre:

Fato é que, como foi regra nas quatro temporadas de Crazy Ex-Girlfriend, a bissexualidade de Darryl foi retratada com humor, mas de modo algum ridicularizada. Nesse sentido, “Gettin’ Bi” teve um papel crucial. Como a própria criadora da série Rachel Bloom defende, as músicas com esse quê cômico são ótimas maneiras de discutir assuntos sérios, porque criam uma relação emotiva e pessoal bastante únicas, algo difícil de se reproduzir com uma simples conversa. “Gettin’ Bi”, além de bem escrita e um pouco chiclete, definitivamente cumpriu esse papel muito bem: ajudou fãs a se sentirem mais confortáveis a se assumirem bi, ao mesmo tempo que sensibilizou os demais com seu ritmo dançante. Isso sem mencionar as risadas.