Neil deGrasse Tyson The Big Bang Theory

Créditos da imagem: The Big Bang Theory/Warner Bros/Reprodução

Séries e TV

Notícia

Cosmos | Neil deGrasse Tyson é investigado depois de novas denúncias de assédio

É a terceira vez que o astrofísico é acusado

Natália Bridi
01.12.2018
08h10
Atualizada em
01.12.2018
21h27
Atualizada em 01.12.2018 às 21h27

Neil deGrasse Tyson, astrofísico e apresentador do revival da série Cosmos, está sendo investigado depois que mais duas mulheres o acusaram de assédio. 

"A crença no coração de Cosmos é seguir a evidência aonde quer que nos leve. Os produtores de Cosmos precisam fazer o mesmo em uma situação assim. Estamos comprometidos com uma investigação completa sobre o assunto e a agir assim que for concluída", declarou a produção da série da Fox/National Geographic ao Deadline.

O astrofísico é acusado pela Dra. Katelyn N. Allers, professora associada de física e astronomia da Universidade de Bucknell, que diz que Tyson a assediou fisicamente em uma festa depois de um encontro de astrofísicos em 2009, e por sua ex-assistente Ashley Watson, que diz ter sido forçada a se demitir depois de investidas sexuais de Tyson.

Essa não é a primeira vez que surgem acusações desse tipo contra o astrofísico. Em 2017, a música Tchiya Amet acusou Tyson de estupro na época em que os dois eram estudantes. Amet chegou a prestar queixa no ano passado, mas como o crime prescreveu não houve investigação (se mais vítimas denunciarem o mesmo acusado é possível revogar o status de prescrição do crime). 

A segunda leva da nova versão de Cosmos tem estreia prevista para março.

[Atualizado] Tyson se pronunciou sobre o caso enviando uma longa carta para a imprensa americana, em que explica detalhadamente todas as acusações (leia aqui). "Sou o acusado, então por que acreditar em qualquer coisa que eu digo", escreveu ao final do texto, "Isso nos traz ao valor de uma investigação independente, o que a Fox/NatGeo anunciaram que farão. Agradeço. Acusações podem danificar reputações e casamentos. Algumas vezes de forma irreverssível. Vejo a mim mesmo como um marido amoroso e um servidor público, um cientista e um educador que serve a vontade do público. Sou grato pelo apoio que recebi daqueles que continuam a respeitar e  valorizar o meu trabalho".