Ótimas comédias que tiveram apenas uma temporada horrível

Créditos da imagem: Fox/NBC/Divulgação

Séries e TV

Lista

Ótimas comédias que tiveram apenas uma temporada horrível

Desgaste e problemas de bastidores marcaram negativamente séries quase perfeitas

Nicolaos Garófalo
22.04.2020
19h17
Atualizada em
22.04.2020
19h30
Atualizada em 22.04.2020 às 19h30

Rica em comédias, a programação da TV americana oferece um leque diverso de subgêneros e formatos para telespectadores que querem, no final do dia, se desligar da rotina. Embora o desgaste seja natural para diversos programas que duram mais de cinco temporadas, algumas séries conseguem evitar a fadiga e passam quase todo o seu período no ar entregando episódios divertidos e com humor certeiro.

De vez em quando, porém, até as melhores séries erram e exibem uma leva pouco inspirada de capítulos, que apresentam uma queda gritante de qualidade em relação ao restante da obra.

Abaixo, você confere algumas comédias que poderiam ser lembradas como perfeitas, salvo uma única péssima temporada:

Scrubs – 9ª temporada

Originalmente transmitida pela NBC, Scrubs foi uma comédia hospitalar extremamente popular no começo do século. Equilibrando o desenvolvimento de seus vários personagens com os delírios do protagonista JD (Zach Braff), a série explorava as dificuldades e reviravoltas nas vidas de profissionais da saúde, que diariamente lutavam para salvar seus pacientes.

Após ser cancelada pela NBC por causa de sua audiência mediana, Scrubs foi resgatada pela ABC, que encomendou uma oitava e última temporada da série. Elogiada por críticos e fãs, a comédia foi renovada pela nova emissora, que inexplicavelmente não estendeu o acordo da maioria do elenco principal.

O resultado foi uma confusa nona temporada, que mais parecia um derivado da série original do que uma continuação dos eventos do ano anterior. Diferentemente do elenco comandado por Braff, a nova leva de atores não tinha a menor química, o que levou grande parte dos fãs a abandonar Scrubs. 10 anos depois de seu cancelamento definitivo, a última temporada é vista como o único grande erro na história da série.

Friends – 8ª temporada

Uma das sitcoms mais importantes e influentes da história da TV, Friends move até hoje uma legião de fãs antigos e novos, que se apaixonaram pelas histórias interpretadas por Jennifer Aniston, Courtney Cox, Lisa Kudrow, Matt LeBlanc, Matthew Perry e David Schwimmer. Embora alguns espectadores admitam que certos aspectos da série ficaram datados, existe uma trama que incomoda até os fãs mais apaixonados: o romance entre Rachel (Aniston) e Joey (LeBlanc), que dominou a oitava temporada.

Embora a química entre os dois atores envolvidos seja inegável, o namoro entre seus personagens pareceu extremamente forçado pelos roteiristas. Concebido como trama central da oitava temporada, o relacionamento entre Joey e Rachel foi abandonado após a reação negativa dos fãs, obrigando os responsáveis pela série a escrever novas histórias de maneira apressada.

Essa correção de percurso improvisada ficou marcada ao longo do oitavo ano, que pouco fez para desenvolver seus personagens e se apoiou demais no exagero para arrancar risadas do público. Felizmente, Friends se recuperou em suas duas temporadas finais e entregou um finale considerado por muitos como a conclusão perfeita para a série.

Community – 4ª temporada

Criada por Dan Harmon (Rick & Morty), Community conquistou uma sólida base de fãs logo que começou a ser exibida na NBC. Infelizmente, a relação entre os chefes da emissora e o criador e showrunner se deteriorou ao longo da terceira temporada, resultando na demissão de Harmon.

A saída do produtor e roteirista levou a um quarto ano problemático, muito apoiado nas insinuações racistas de Pierce (Chavy Chase) e piadas sem graça do que no carisma do elenco principal. A queda na qualidade dos roteiros irritou Chase a ponto do veterano armar barracos entre gravações e ser demitido por sugerir que, em breve, os novos roteiristas o fariam usar xingamentos racistas mais baixos para conseguir audiência. O clima com o restante do elenco ficou tão ruim, que o comediante teve que gravar diversas cenas separado dos colegas e nunca mais voltou para a série.

O produto final levou a NBC a recontratar Harmon, que devolveu a qualidade à quinta temporada de Community e abriu caminho para o ótimo ano final, transmitido pelo extinto serviço de streaming do Yahoo.

Parks & Recreation – 1ª temporada

Criada por Greg Daniels e Michael Schur, de The Office, Parks & Recreation teve um início extremamente conturbado. Gravada no mesmo formato de falso documentário que a série estrelada por Steve Carell, o primeiro ano da comédia foi interrompido pela greve do sindicato dos roteiristas e teve apenas seis episódios exibidos.

A confusão levou a NBC a transmitir a temporada fora de ordem e a produção apressada fez com que os personagens de Parks & Rec fossem vistos pelo público apenas como cópias dos protagonistas de The Office. O primeiro ano recebeu várias críticas negativas, mas a boa audiência atraída pelos nomes de Amy Poehler e Rashida Jones convenceu a emissora a dar mais uma chance à comédia.

Daniels e Schur aproveitaram a oportunidade, dando, já no segundo ano, uma cara totalmente nova à série, que foi celebrada por fãs e elogiada pela crítica até o fim de sua sétima e última temporada.

The Office – 8ª temporada

A saída de Steve Carell no final da sétima temporada de The Office criou um grande problema para os roteiristas da série. Aparentemente perdidos, os responsáveis por contar as histórias da companhia de papel decidiram aproveitar a popularidade conquistada por Ed Helms na franquia Se Beber, Não Case, dando ao seu personagem, Andy, um injusto protagonismo.

Com isso, personagens como Jim (John Krasinski) e Dwight (Rainn Wilson), antes considerados o coração da série, foram deixados de lado para dar lugar a uma trama forçada em que Andy e Robert California (James Spader) brigavam pelo controle real do comando da empresa. Felizmente, as filmagens de Se Beber, Não Case 3 impediram a aparição de Helms em vários episódios da temporada seguinte, forçando os roteiristas do nono ano a devolver o foco aos personagens que o público realmente queria ver em The Office.

30 Rock – 5ª temporada

Embora o quarto ano de 30 Rock já apresentasse alguns sinais de saturação, a queda de qualidade da série estrelada por Tina Fey e Alec Baldwin foi gritante na quinta temporada. Assim como Community, os roteiros da comédia deixaram de explorar a relação de seu elenco principal, que passou a entregar diálogos cada vez mais sem graça e piadas ainda mais exageradas que o de costume.

A diferença para os anos anteriores foi tanta que Baldwin chegou a dizer que não queria mais participar da série, afirmando que a quinta temporada estava muito abaixo do padrão de 30 Rock. Aparentemente, as críticas do ator surtiram efeito, já que as duas temporadas seguintes contêm alguns dos episódios mais elogiados da série e o próprio Baldwin chegou a abrir mão de parte do salário para facilitar a renovação para o sétimo e último ano da comédia.

Seinfeld – 9ª temporada

Apesar de ser reconhecida como uma das melhores séries de todos os tempos, Seinfeld ficou marcada por seu controverso episódio final, que decepcionou tanto fãs quanto críticos quando foi exibido em 1998. Embora esteja realmente abaixo da média em relação a outros capítulos da série, o finale foi apenas um reflexo do que já era exibido ao longo da nona temporada.

A série, que já não contava mais com o roteirista e cocriador Larry David, apelava para um humor mais depreciativo que seus anos anteriores, além de não ter mais trechos das apresentações de stand-up de Jerry Seinfeld, usadas para contextualizar as situações vividas pelo comediante. Além do capítulo final, outro episódio que ficou marcado negativamente da temporada final foi o polêmico “The Puerto Rican Day”, em que Kramer (Michael Richards) acidentalmente queima uma bandeira de Porto Rico. O infame episódio foi tão criticado que passou anos sem ser reprisado na TV e não foi incluído com o resto da temporada quando foi lançada em home-video.

Para a sorte de Seinfeld, o finale roubou praticamente toda a atenção da mídia e dos fãs, que pouco se lembram que a temporada inteira foi medíocre.

That ‘70s Show – 8ª temporada

Outra comédia adorada que teve um final melancólico, That ‘70s Show sofreu com as saídas do protagonista Topher Grace (Infiltrado na Klan) e de Ashton Kutcher, que decidiram focar em suas carreiras cinematográficas. Sem seu personagem principal, os roteiristas colocaram os holofotes da série em Jackie, personagem de Mila Kunis, colocando-a em um relacionamento com Fez (Wilmer Valderrama), com quem nunca teve qualquer proximidade.

Apesar de tentar preencher o espaço deixado por Eric (Grace) com a chegada de Randy (Josh Meyers), os roteiristas de That ‘70s Show nunca conseguiram encontrar um ritmo adequado para as novas circunstâncias da série, que chegou ao fim deixando os fãs com um gosto amargo na boca.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.