Cenas de Two and a Half Men, Mom, The Big Bang Theory e Young Sheldon/CBS/Divulgação

Créditos da imagem: CBS/Divulgação

Séries e TV

Lista

O império de comédias de Chuck Lorre

Produtor e roteirista é responsável por séries como Two and a Half Men e Mom

Nicolaos Garófalo
18.10.2019
20h30

Conhecido por criar sucessos como Two and a Half Men e The Big Bang Theory, o produtor Chuck Lorre é um dos nomes mais bem-sucedidos da TV americana. Começando a carreira como roteirista, Lorre passou produções clássicas como Roseanne e My Two Dads antes de chegar ao sucesso com sua primeira série autoral, Grace Under Fire.

De seu primeiro trabalho autoral na ABC ao elogiado O Método Kominsky, conheça os grandes sucessos da carreira de um dos maiores produtores de comédia dos últimos 20 anos:

Grace Under Fire (1993 - 1998)

Foto promocional de Grace Under Fire/ABC/Divulgação
ABC/Divulgação

Primeira série autoral de Lorre, a comédia Grace Under Fire contava a história de uma mulher recém-divorciada de um marido abusivo, vivida por Brett Buttler, que precisava cuidar de seus três filhos ao mesmo tempo em que lidava com sua recuperação do alcoolismo. A protagonista, Grace, se apoiava vizinhos, amigos e colegas para se manter sóbria e dar um bom exemplo para seus filhos na esperança de que eles não cometessem os mesmos erros que ela. A série conquistou o público da classe trabalhadora pelo fato de Grace trabalhar como operária em um oleoduto durante as três primeiras temporadas. Grace Under Fire é também o primeiro crédito de atuação dos gêmeos Cole e Dylan Sprouse, que mais tarde seriam catapultados ao estrelato com participações em Friends e Zack & Cody: Gêmeos em Ação.

Cybill (1995 - 1998)

Cena de Cybill/CBS/Divulgação
CBS/Divulgação

Com o sucesso de Grace Under Fire na rival ABC, Lorre tornou-se nova aposta da CBS, que comprou a série Cybill, que contaria a história de uma atriz fracassada de meia-idade tentando alcançar a fama em Hollywood. Cybill Shepard, conhecida por Taxi Driver e A Gata e o Rato, vivia a personagem principal, que vivia acompanhada de uma bêbada e bem-humorada melhor amiga, interpretada por Christine Baranski, que venceu o Emmy de melhor atriz coadjuvante por sua atuação na série.

Dharma & Greg (1997 - 2002)

Cena de Dharma and Greg/ABC/Divulgação
ABC/Divulgação

De volta à ABC, Lorre criou uma série baseada no conceito de casais improváveis chamada Dharma & Greg. O casal protagonista, vivido por Jenna Elfman e Thomas Gibson, era formado por Dharma, uma instrutora de yoga de espírito livre, e Greg, um advogado quadradão e conservador. Logo no primeiro encontro, os dois decidem se casar, decididos que as diferenças entre eles ajudam os dois a crescer como pessoas e casal. A comédia chegou a bater 20 milhões de espectadores em sua terceira temporada, mas a concorrência de Frasier, da NBC, levou a uma queda drástica de audiência e acabou cancelada após cinco anos.

Two and a Half Men (2003 – 2015)

Cena de Two and a Half Men/CBS/Divulgação
CBS/Divulgação

Primeira série de prestígio mundial de Lorre, Two and a Half Men era estrelada e parcialmente inspirada na vida de exageros do ator Charlie Sheen. Na produção, um rico compositor de jingles vê sua vida virar de cabeça para baixo após seu irmão Alan (Jon Cryer) ser expulso de casa pela ex-mulher e pedir para ficar um tempo com o irmão em sua mansão em Malibu, na Califórnia. Charlie, então, precisa aprender a lidar com uma nova situação em seu lar, já que Alan leva seu filho, o pequeno Jake (Angus T. Jones), para um ambiente que costumava ser sede de festas regadas com álcool e mulheres seminuas, com quem o protagonista se relacionava sem nenhum envolvimento real. Apesar do sucesso, Two and a Half Men entrou em decadência após o vício de drogas de Sheen começar a provocar problemas nos bastidores, com o ator brigando publicamente com Lorre e gravando uma série de vídeos ofensivos sob o efeito de psicotrópicos. O personagem de Sheen foi substituído por Walden Schmidt, vivido por Ashton Kutscher, mas a série nunca mais alcançou o mesmo nível de audiência ou qualidade do que na época do elenco original. A gota d’água veio quando Angus T. Jones, já um jovem adulto, chamou publicamente o programa de “lixo” e foi demitido por Lorre, voltando à série apenas no episódio final.

The Big Bang Theory (2007 – 2019)

Cena de The Big Bang Theory/CBS/Divulgação
CBS/Divulgação

Lançada no ápice da popularidade de Two and a Half Men, The Big Bang Theory acompanhava a vida de quatro amigos nerds e gênios da física que, apesar do QI elevado, eram incapazes de conviver socialmente sem passar vergonha. A rotina do grupo muda quando Penny (Kaley Cuoco), uma bela atriz de Nebraska, se muda para o apartamento do lado e começa a frequentar o apartamento dos rapazes. O alcance mundial da série, aliado ao grande sucesso das franquias MCU e O Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan, ajudaram a levar o entretenimento nerd e as discussões ao seu redor ao mainstream. A produção reconhecida com diversos prêmios Emmy, especialmente para o ator Jim Parsons, que interpretou o genial, porém inconveniente Sheldon Cooper. Em 2017, The Big Bang Theory ganhou um derivado chamado Young Sheldon, focado na infância do personagem de Parsons, desenvolvido por Lorre ao lado de Steven Molaro (Drake & Josh, iCarly).

Mom (No ar desde 2013)

Cena de Mom/CBS/Divulgação
CBS/Divulgação

Sucesso mais recente de Lorre, Mom conta a história de Christy (Anna Faris), mãe solteira de dois filhos e alcoólatra em recuperação que descobre que sua filha de 18 anos está grávida ao mesmo tempo em que sua mãe, Bonnie (Allison Janney) tenta, como um de seus 12 passos para a sobriedade, se reconectar com a filha. Ao longo de suas sete temporadas, a série abordou assuntos como vício, uso de drogas, relacionamentos abusivos, câncer e os diferentes tipos de família não-nucleares. Vencedora do Oscar, Janney também já venceu dois Emmys por sua atuação em Mom.

O Método Kominsky (No ar desde 2018)

Cena de O Método Kominsky/Netflix/Divulgação
Netflix/Divulgação

Estrelada por Michael Douglas e Alan Arkin, a comédia dramática O Método Kominsky segue a vida de um ator cuja fama ficou para trás e seu recém-viúvo agente, que enfrentam os desafios da idade avançada ao mesmo tempo em que encaram a própria mortalidade. Douglas vive Sandy Kominsky, ator antes renomado, mas esquecido pela indústria que agora ganha a vida como professor de atuação administrada por sua filha. Seu agente, vivido por Arkin, precisa cuidar de sua filha viciada em remédios e álcool ao mesmo tempo em que tenta superar o luto pela morte da esposa, que perdeu uma batalha contra o câncer. Primeira série de Lorre para uma plataforma de streaming, O Método Kominsky foi muito bem recebida pela crítica após sua estreia na Netflix e venceu o Globo de Ouro na categoria Melhor Série de Comédia ou Musical. Protagonista da série, Douglas também levou o Globo de Ouro e ainda foi indicado ao Emmy deste ano.