Séries e TV

Artigo

Buffy: a hora da caçadora continua

Buffy: a hora da caçadora continua

Marcus Vinícius
20.09.2000
00h00
Atualizada em
28.11.2016
17h07
Atualizada em 28.11.2016 às 17h07
Séries live-action de super-heróis são sempre uma preocupante incógnita para os fãs. As completas descaracterizações de personagens e universos que muitas delas tentam representar levam-nos a temer o pior. Por outro lado, casos recentes apontam que conceitos inéditos e em gêneros distintos captam melhor o espírito dos quadrinhos que a maioria das adaptações. Um bom exemplo é o filme The Matrix. Outro é a série Buffy: A Caça Vampiros.

Prestes a adentrar sua quinta temporada nos EUA, a série melhora progressivamente a cada ano, apresentando boas histórias, personagens bem construídos e uma complexa mitologia. Por trás de tudo está a mente fértil de Joss Whedon, veterano roteirista de cinema e televisão que, diga-se de passagem, cresceu lendo gibis de terror e super-heróis.

Inspirada num fracassado filme que o próprio Whedon escrevera em 1992, a série estreou em março de 97 com o episódio duplo chamado Welcome to the Hellmouth/The Harvest, no qual a jovem Buffy Summers (Sarah Michelle Gellar) e sua mãe chegavam ao subúrbio de Sunnydale, na Califórnia, após ter incendiado sua antiga escola. Logo ficamos sabendo que a cidade é o ponto focal de vampiros e demônios na Terra, e que Buffy é a escolhida para detê-los. A protagonista era a mesma do longa-metragem original, mas todo o resto estava diferente. Enquanto o filme caracterizara-se por um clima bobo e pouco convincente, a série já começou retratando bem o universo adolescente das High Schools americanas e encarando com seriedade a idéia de uma garota exterminando vampiros com estacas de madeira, força ampliada e bom humor. O episódio introduziu também aqueles que seriam os principais aliados da heroína: Rupert Giles (Anthony Stewart Head), bibliotecário da escola, é o Sentinela escolhido para ser seu mentor; Xander Harris (Nicholas Brendon) é o estudante zoador mas pouco popular; e Willow Rosemberg (Alyson Hannigan), a nerd tímida

 

que logo se torna sua melhor amiga. Tem também Angel (David Boreanaz), o vampiro bom que viveria com Buffy um trágico amor impossível. Entrando no âmbito dos vilões, ficamos conhecendo o Mestre, vampiro de imenso poder presente durante toda a primeira temporada.

Para compor sua realidade de vampiros e demônios, Whedon buscou inspiração nos livros de terror escritos por H. P. Lovecraft. O pano de fundo de Buffy conta que antes que antes da humanidade habitar o planeta, eram demônios que dominavam tudo por aqui, tornando tudo um verdadeiro inferno. Os vampiros, segundo foi explicado na série, são corpos humanos possuídos por demônios, que se disseminam e aguardam o momento de, novamente, tornar-se a espécie dominante. Um dos trunfos da série, contudo, é não se prender só aos seres de caninos pontiagudos. Ao longo das quatro temporadas, marcaram presença toda sorte de criaturas bizarras e esquisitices, tais como bruxas, múmias, homens-peixe e um jovem Frankenstein. Baseando-se muitas vezes em suas experiência pessoais, Whedon trabalha com metáforas das agruras da adolescência. Em Out of Mind, Out of Sight, por exemplo, a vilã é uma garota que tornou-se invisível por ser ignorada por todos e que rapta a menina mais popular do colégio, Cordelia (Charisma Carpenter). Em Living Conditions, a insuportável colega de quarto da Buffy na faculdade é, de fato, um demônio. Beer Bad brinca com a idéia de uma cerveja que transforma os jovens em homens das cavernas. Transformações são uma constante. Os personagens vivem paixões intensas, curtem a vida, sofrem e amadurecem.

Durante seu primeiro ano, apesar da qualidade excepcional, Buffy ainda foi pouco mais que diversão sem maiores conseqüências. A virada radical veio na temporada seguinte - que introduziu os vampiros Spike (James Masters) e Drusilla (Juliet Landau, filha do veteraníssimo Martin Landau) e a caça-vampiros Kendra (Bianca Lawson) - a partir do episódio Surprise. Buffy e Angel finalmente fizeram amor na noite do aniversário de 17 anos dela, e este foi o maior erro de suas vidas. Angel, ao contrário dos outros vampiros, mantinha sua alma humana por ser vítima de uma antiga maldição. Se ele vivenciasse um momento de verdadeira felicidade, entretanto, perderia sua alma e seria novamente dominado por um demônio. E foi o que aconteceu, conduzindo a série por caminhos densos onde Buffy precisou levar seu papel de Caçadora até as últimas conseqüências. No final da temporada, quando dois personagens da turma do bem já haviam perecido, ela encontrou forças para mandar seu amado direto pro inferno. Angel retornou na terceira temporada, já tendo recuperado sua alma, mas os dois admitem que jamais poderão ficar juntos novamente. Whedon tem no currículo filmes como Toy Story, Alien: A Ressurreição e Velocidade Máxima, e afirma que seu passado como aficionado por quadrinhos influenciou o desenvolvimento do seriado pois, mesmo sem perceber no início, reuniu uma equipe de super-heróis que funciona como os X-Men. Willow envolve-se com feitiços, seu namorado Oz (Seth Green) é um lobisomem, Xander encarna o fiel parceiro, Spike é o assassino selvagem que acaba se juntando aos mocinhos e Giles é o mentor adulto. Joss, inclusive, chegou a escrever um dos inúmeros roteiros para o filme dos mutantes, que foi recusado, e disse que gostaria de escrever um filme do Homem-Aranha ou do Batman.

E é claro que uma série como Buffy pareceria ridícula se não fosse interpretada por atores de primeira linha. Sarah Michelle Gellar atua desde os quatro anos de idade e já treinava tae-kwen-do anos antes de receber o convite para a série. Gellar interpretou a jovem Jacqueline Kennedy na mini-série A Woman Named Jackie e recebeu um Emmy por seu trabalho na soap opera All My Children. Mais recentemente, ela participou dos filmes Pânico 2 e Eu sei o que vocês fizeram no verão passado, além de ter estrelado Simplesmente Irresistível e deliciado a platéia masculina em Segundas Intenções. Novos filmes estão a caminho, é claro. Seu teste na série foi para o papel de Cordelia mas, ao vê-la em ação, Whedon e os demais produtores perceberam que haviam efetivamente encontrado a Caça-Vampiros. Alyson Hannigan e Seth Green também estão no ramo desde pequenos, e já interpretaram um casal de namorados lá atrás, no filme Minha Noiva é uma Extra-Terrestre. Ela se destacou recentemente em American Pie. Ele, em Mão Assassina, Mal posso esperar e Austin Powers.

A quarta temporada é, em essência, sobre mudanças nas vidas dos protagonistas e trouxe, além do novo namorado de Buffy, o agente Riley Finn (Marc Blucas) e da agência militar secreta que captura demônios, a Iniciativa, uma das maiores e mais inventivas provas da genialidade de Joss e da versatilidade da equipe de atores: o episódio Hush. Neste, um grupo de demônios vai a Sunnydale com o intuito de, literalmente, conseguir o coração de sete pessoas. Para tanto, roubam a voz de cada habitante da cidade, fazendo com que o episódio transcorra em profundo silêncio, numa atmosfera assustadora e instigante. Hush foi indicado aos prêmios Emmy de Melhor Roteiro em Série Dramática e Melhor Fotografia em Série (Uma Câmera). Destacaram-se também um lacrimogênico crossover com a própria série do Angel (que está em sua primeira temporada) e o controverso envolvimento de Willow com a também aprendiz de bruxa Tara (Amber Benson).

Atendendo a demanda dos fãs por mais histórias, não foi surpresa quando Buffy invadiu também os quadrinhos, em 1998, em revista publicada pela Dark Horse. Inicialmente escrita por Andi Watson e desenhada pelo brasileiro Joe Bennett, chegou a ser o título mais vendido da editora. Em breve, o próprio Joss Whedon escreverá uma mini-série estrelando a Caça-Vampiros de um futuro distante. Há ainda livros com histórias inéditas, action figures e os mais variados produtos de consumo com a grife Buffy. Para a próxima temporada, estão previstos ainda um confronto com Drácula no capítulo de abertura, a entrada da misteriosa irmã de Buffy e uma participação especial da teen star Britney Spears. Se continuar mesclando horror, ação, piadas bem sacadas e drama humano como fez até agora, certamente terá garantida sua posição entre as melhores séries já apresentadas na TV.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.