Better Call Saul

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Better Call Saul fecha trama com tensão extrema e abre caminho para Breaking Bad

E agora, quando chegam Walter e Jesse?

Omelete
3 min de leitura
Jorge Corrêa
13.07.2022, às 08H29

Quem acompanhou Better Call Saul até agora, sabe que surpresas são uma das marcas da série. Mas dessa vez, não foi exatamente o roteiro ou uma grande reviravolta que marcou o início da metade final da última temporada. O que surpreendeu nesse retorno foi a velocidade com a qual a principal trama da série foi concluída, deixando tudo pronto para a formação do mundo de Breaking Bad.

[Cuidado, spoilers à frente]

Com uma tensão que vai do primeiro ou último minuto, o episódio começa exatamente de onde tinha terminado o anterior: Lalo Salamanca (Tony Dalton) tinha acabado de dar um tiro na cabeça de Howard Hamlin (Patrick Fabian), deixando Jimmy/Saul (Bob Odenkirk) e Kim (Rhea Seehorn) em choque. Aquela morte foi um contra-tempo para sua real motivação de estar ali: o traficante tinha um plano para que Jimmy matasse Gus Fring (Giancarlo Esposito).

O plano: o protagonista iria até o esconderijo do dono de Los Pollos Hermanos, que o traficante acabara de descobrir, e daria um tiro quando abrissem a porta. Com medo do que Lalo puderia fazer com a esposa quando estivesse na missão, Jimmy o convence a mandá-la em seu lugar.

Lalo não fica com Jimmy no apartamento e se encaminha para a lavanderia de Fring, que serve como disfarce para o gigantesco espaço subterrâneo. Kim chega na casa de Gus e acaba rendida por Mike (Jonathan Banks) e seus capangas, que saem para tentar salvar Jimmy. Gus, que deveria ter ficado no esconderijo, vai para a lavanderia depois de conversar com Kim. Claro que deu de cara com Lalo.

Rendido por Salamanca, Gus se encaminhava para a morte dentro de seu espaço subterrâneo, mas durante um discurso contra a família que comanda o cartel mexicano, ele consegue pegar um revólver que estava escondido no local e mata Lalo, encerrando, assim, a passagem do grande antagonista de Better Call Saul, magistralmente interpretado por Tony Dalton.

Esse era o último grande arco que apareceu somente nessa série e não tinha necessariamente nenhuma conexão com Breaking Bad. Agora, por exemplo, já sabemos como Gus Fring conseguiu continuar como parceiro do cartel até que ele os traísse e matasse os cabeças anos depois, como mostrado na série original, para dominar o tráfico de metanfetamina. 

Mas a produção de Vince Gilligan e Peter Gould está longe de ter fechado todas as pontas soltas. Todo o foco agora deve ser como Jimmy McGill vai se tornar exclusivamente Saul Goodman. Teremos cinco episódios finais que vão nos levar para o mundo de Breaking Bad e quando devemos ter, finalmente, as aparições de Walter White (Bryan Cranston) e Jesse Pinkman (Aaron Paul), além de prováveis outras participações da série original, como o policial do DEA Hank Schrader (Dean Norris)

E nesse caminho, a principal questão a ser respondida é: qual será o destino de Kim Wexler? Isso porque é muito difícil que ela esteja na vida de Jimmy no tempo em que ele é Saul em Breaking Bad. Ela claramente ficou traumatizada com a morte de Howard e o acobertamento do crime, mas como ela vai sair de cena da vida do protagonista? 

Conhecendo o histórico da série, dificilmente seu final será feliz, o que faria muito sentido, afinal, nada mais marcante que isso para que Jimmy McGill abandone de vez os últimos fios de escrúpulos que ainda tem para se tornar de vez Saul Goodman.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.