Foto de Aruanas

Créditos da imagem: Aruanas/Globo/Divulgação

Séries e TV

Entrevista

Aruanas | Globoplay foca na difícil rotina de ativistas ambientais em nova série

Conversamos com o elenco sobre a produção original

Camila Sousa
03.07.2019
17h09

É quase clichê dizer que séries de TV mostram a rotina de várias profissões. No entanto, os temas costumam ser os mesmos: médicos, advogados, jornalistas, etc. Foi pensando em mostrar como é a rotina de ativistas ambientais que Marcos Nisti e Estela Renner tiveram a ideia de Aruanas, nova série original do Globoplay.

A trama acompanha Luiza (Leandra Leal), Natalie (Debora Falabella) e Verônica (Taís Araújo), fundadoras de uma ONG de defesa do meio ambiente, e a estagiária Clara (Thainá Duarte) na investigação de uma denúncia anônima, crimes e uma série de evidências que ligam uma poderosa mineradora a garimpos ilegais na Amazônia.

Um dos pontos interessantes sobre a atração é a consultoria técnica do Greenpeace. Em entrevista ao Omelete em São Paulo, Marcos Nisti revela que a ONG esteve próxima da produção em várias etapas e continua presente: “Eles ajudaram muito na parte da pesquisa. Desde que começamos a escrever nós entrevistamos mais ou menos 20 pessoas do Greenpeace, não apenas no Brasil, mas também no mundo. Eles também ajudaram em uma preparação técnica de elenco, não apenas em São Paulo, mas também em Manaus. E agora eles também estão ajudando com a distribuição internacional, então o Greenpeace está em três momentos da série: desde lá atrás, quando falamos com ativistas para entender como eles operam, até agora, com escritórios do mundo inteiro apoiando Aruanas”.

Com isso, os episódios de Aruanas se preocupam em mostrar não somente os problemas do desmatamento da Amazônia, que são muito importantes, mas também outras questões que permeiam a região, como a morte de povos indígenas e a exploração sexual infantil. "Tudo isso é a nossa causa. Realmente uma coisa está ligada à outra, então nós pegamos esses diversos problemas que existem e trouxemos isso. Há outras coisas também, como a inclusão. Temos uma personagem com paralisia cerebral e contratamos uma atriz que também tem paralisia", completa.

Tal personagem é Gabi, interpretada por Manuela Trigo. Ela é neta de Miguel (Luiz Carlos Vasconcelos), o grande vilão da temporada. O personagem é dono da KM, mineradora fictícia da trama, responsável pela operação ilegal de garimpos na cidade de Cari. No entanto, ao invés de apresentar um antagonista unilateral, Aruanas apresenta várias camadas do personagem, desde sua origem humilde, até o amor que sente pela neta. “Todos nós temos luz e sombras. Miguel veio do garimpo, de uma vida muito sofrida, ele acompanhou mortes prematuras, violência e naturalizou a violência. Para ele, ter conseguido sair desse lugar e se tornar dono de empresa, ele enxerga um bem no que ele faz. Ele sente que está fazendo algo legal e não se considera vilão. Ele tem uma neta e se desmancha na presença dela, e ali vemos a capacidade dele de amar”, completa Estela Renner.

Para Taís Araújo, que faz o papel da advogada Verônica, colocar conflitos tão distintos é uma construção importante da identidade de Aruanas: "Algumas pessoas falam que Aruanas ‘acertou’ na questão da representatividade, mas a verdade é que isso foi planejado. Isso é o tipo de coisa que você precisa querer fazer. A gente quer falar sobre Amazônia, preservação ambiental, sobre mulheres? Então vamos tentar expandir a questão da representatividade onde a gente conseguir. Vamos ter uma equipe com 50% de mulheres e 50% de homens, vamos chamar atores locais que vão contar a própria história. Acho que isso é uma preocupação. O Marcos e a Estela são ativistas. Não teria como uma série escrita por eles não ser assim".

Os 10 episódios da primeira temporada de Aruanas estão disponíveis no Globoplay.