A Misteriosa Sociedade Benedict

Créditos da imagem: A Misteriosa Sociedade Benedict/Disney+/Reprodução

Séries e TV

Artigo

A Misteriosa Sociedade Benedict coloca crianças diante de crise global com humor

Encabeçada por Tony Hale, nova série do Disney+ encarna espírito de Desventuras em Série com menos ironia e mais empatia

Mariana Canhisares
25.06.2021
10h00

Colocar crianças diante de uma crise global que causa ansiedade e medo até nos mais corajosos dos adultos parece mais uma descrição do que foi o último ano para os pequenos cidadãos ao redor do globo do que propriamente uma obra de ficção. Esta é, porém, a premissa do novo lançamento do Disney+, A Misteriosa Sociedade Benedict, que chega ao serviço de streaming nesta sexta-feira (25). Encabeçada pelo ator Tony Hale, conhecido por estrelar comédias como Arrested Development e Veep, ambas bastante cínicas, a produção toma um rumo mais otimista e faz eco da dura realidade da pandemia do coronavírus com muitas cores e empatia.

Baseada no livro de Trenton Lee Stewart, o seriado acompanha o Sr. Benedict (Hale), um homem assustado, mas bastante inteligente, que reúne crianças com habilidades únicas para tentar encontrar a origem da chamada Emergência, a misteriosa ameaça que tornou o mundo um verdadeiro caos. Enquanto o líder dos pequenos, Reynie (Mystic Inscho), tem um olhar único para as situações de adversidade, a brincalhona Kate (Emmy DeOliveira) é a mestre do faça você mesmo e tem um mundo de possibilidades escondido no seu inseparável balde. Sticky (Seth Carr), por sua vez, é poço de conhecimento, e a jovem Constance (Marta Kessler), embora tenha pavio curto, é destemida como poucos.

"O que eu amo [na série] é que essas crianças não têm poderes mágicos. Seus poderes são seu intelecto, sua criatividade e sua empatia, e é isso que usam para fazer a diferença", explicou Hale ao Omelete. "Sinto que, depois do ano que tivemos, foram as vozes com empatia e honestidade que realmente nos deram conforto. Então definitivamente tem um paralelo. Espero que as crianças possam vê-la e sentir que também têm esses poderes".

Como seu personagem, a quem descreve como um “homem esperançoso em busca da verdade”, o ator se identifica um pouco com os jovens protagonistas. "Eu com certeza tinha a energia da Kate quando criança e um pouco do pensamento profundo do Reynie", riu.

E, de fato, ainda que seja uma série infanto-juvenil, assim como aconteceu com Desventuras em Série na Netflix, a produção é tão caprichada que há também um apelo para os pais dos espectadores. Os cenários, os figurinos e mesmo os desafios que o quarteto enfrenta no primeiro episódio têm algo de encantador, capaz de aquecer o coração de toda a família. Além disso, o elenco adulto tem outros nomes da comédia, como a atriz Kristen Schaal, o que garante cenas bastante divertidas. Na estreia, talvez o melhor exemplo seja a descoberta que o Sr. Benedict tem narcolepsia, uma doença que o faz apagar inesperadamente. A cena, embora sensível e inocente, como é perceptível nas performances de Schaal e Hale, é absolutamente hilária.

"Tendo feito muitas comédias, eu amo qualquer oportunidade em que eu possa desmaiar ou ir para o chão. Amo tanto que eu queria fazer mais, e o diretor James Bobin me pediu para dar uma maneirada", lembrou Hale.

Tony Hale como Buster

Tony Hale caracterizado como Buster, de Arrested Development

Netflix/Divulgação

Aliás, falando no currículo do ator, os fãs de Arrested Development podem esperar alguns easter eggs da série em A Misteriosa Sociedade Benedict. “Kate tem um monte de ganchos no seu balde, então talvez tenha uma homenagem ao Buster. Na realidade, eu acho que eu posso ter dito uma fala de Arrested Development. Podem ter algumas coisinhas ali…”, adiantou.

Bom, a busca pelas referências e o divertimento dos pequenos começam já nesta semana com um episódio duplo, no Disney+.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.