Música

Artigo

Rock in Rio | Ivete Sangalo e Pabllo Vittar injetam animação no primeiro dia

Hits dos brasileiros deram o tom do aquecimento do festival

Marcelo Hessel
15.09.2017
20h38
Atualizada em
29.06.2018
02h45
Atualizada em 29.06.2018 às 02h45

Grandes festivais se movem à base de hits radiofônicos, e os principais artistas brasileiros deste primeiro dia de Rock in Rio entregaram bem essa promessa. Ivete Sangalo e Pabllo Vittar fizeram os shows de aquecimento mais empolgantes antes dos headliners internacionais - puxados pelo Maroon 5, que substitui Lady Gaga emergencialmente.

No meio da tarde desta sexta, com a Cidade do Rock parcialmente ocupada, Céu fez uma apresentação bastante consistente ao lado dos goianos do Boogarins. Musicalmente foi um dos números mais interessantes do dia, com a cantora - que já trabalhou com a banda em composições antes - à vontade, embora discreta no largo palco diurno. Coube às guitarras distorcidas de rock psicodélico do Boogarins preencher os espaços com massa sonora. A falta de hits, porém, se fez sentir, assim como no show conceitual demais de Fernanda Abreu pouco depois, que não conectou a cantora com o público.

Quem moveu os fãs - especialmente aqueles que ficaram órfãos de Gaga - foi Pabllo Vittar. Aliando hits de rádio com coreografia bem energética, exigindo dos seus joelhos, a cantora compensou o som limitado do modesto palco Itaú - que francamente subdimensionou a capacidade de Vittar de conduzir uma multidão. Quem estava no fundo só ficou com as imagens.

Já o som do palco Mundo passou no primeiro teste, o show de Ivete que abriu o espaço principal do Rock in Rio. Nesse momento os demais palcos se silenciam, e os sucessos da diva do axé chegaram à outra extensão da enorme Cidade do Rock. Grávida de gêmeos e já com uma barriga saliente, bem desenhada no body prateado brilhante da cantora, Ivete brincou com as mudanças no corpo: "Literalmente estou cheia de alegria", diz no começo quando agradeceu o convite do RiR.

O palco em forma de arquibancada, também todo brilhante, exigiu um pouco de sobe e desce de Ivete, que não se fez de desentendida e deu seus pulos, e ainda mandou um pedaço da coreografia de "Segura o Tchan". A decisão de amontoar os dançarinos ao lado da cantora compensou visualmente a falta de uma coreografia mais atlética da futura mãe, que se apresentou com energia, carregada por seus hits ("Eva" testou o coro do público), cover de Cazuza, e até um pedaço de "Bad Romance" com tambor, para lembrar Gaga.

Musicalmente, foi uma apresentação sem surpresas; tirando um arranjo um pouco diferente para "Nossa Gente" do Olodum, que privilegiou linha de baixo e metais, a familiaridade deu o tom. Se é o que se espera de grandes festivais, Ivete soube entender e se garantiu, fazendo o serviço impecável para animar o RiR neste começo de noite.