Música

Notícia

Avenged Sevenfold no Rock in Rio 2013

Banda supera o desafio de abrir para o Iron Maiden

A cozinha
23.09.2013
13h28
Atualizada em
29.06.2018
02h45
Atualizada em 29.06.2018 às 02h45

Ao forte som de badaladas ecoando e com totens em chamas, o Avenged Sevenfold abriu sua apresentação no último dia de Rock in Rio. A banda subiu no Palco Mundo perguntando ao público: "prontos para o Rock in Rio?". Para começar, "Shepherd of Fire", música do novo álbum Hail To The King, de 2013; seguida de "Critical Aclaimed", do disco com o mesmo nome da banda, de 2007.

avenged

None

As rodinhas punks se formavam quando iniciou ˜The Beast and The Harlot", cheia de atitude. O grupo, apesar da boa desenvoltura, teve que lidar com os insistentes gritos de 'Maiden, Maiden', vindos dos fãs do Iron, que eram maioria no local e mediam forças com os admiradores do Avenged. Mas o vocalista M. Shadows se saiu muito bem ao aproveitar a oportunidade para comentar que quando era mais jovem comprou um álbum do Iron Maiden - um de seus favoritos.

Shadows perguntou também se os fãs haviam assistido ao show do Helloween, banda que se apresentou mais cedo no palco Sunset. Ele disse também que era fã do grupo, momentos antes de anunciar a próxima canção: "agora vamos cantar uma música para um rei", se referindo à "Hail to The King". Com presença de palco, os americanos foram acompanhados em peso pelo público especialmente em "Buried to Live", onde os solos de guitarra animavam a galera enquanto o vocalista clamava por gritos.

Com "Fiction", o show teve seu momento mais lento, em uma homenagem antigo baterista da banda, falecido em 2009. "Agora vamos diminuir o ritmo em homenagem a The Rev. Esta foi a última música que ele viu e sei que ele gostaria muito de estar aqui conosco no Rock in Rio. Gostaria que ele nos visse essa noite". Neste momento, os fãs de Iron deram uma brecha nos gritos e assistiram respeitosos à apresentação. A habilidade da banda em circular entre o som mais pesado e os melódicos foi positiva. O encerramento com uma foto dos músicos abraçados no telão recebeu muitos aplausos.

Em seguida, um intenso coro de "oh, oh, oh, oh" tomou conta da Cidade do Rock durante a introdução de "Nightmare". Shadows incentivava ainda mais perguntando."Vocês ainda estão conosco, Rock in Rio? Então vamos cantar", disse, para então retomar o rock pesado, aonde o grupo caminha com segurança. O vocalista conseguiu se manter conectado ao público conversando bastante, já a banda, mesmo calada, roubava a atenção.

Para a nova "This is War", o cantor pediu ajuda da plateia. "Tudo que vocês precisam fazer é cantar 3 palavras 'This is war'". A introdução fez pular todos mais próximos do palco. Era visível a onda de pessoas se movendo na multidão. Com "Afterlife", o Avenged teve adesão imediata da plateia. As risadas do vocalista ao fim das canções faziam o público ir a loucura.
"Requiem", também de Hail to the King, trouxe de volta o clima lento, se endereçando ao fim do show.

Em "Bat County", a imagem dos letreiros dos cassinos de vegas, a slot machine e as strippers serviram de pano de fundo nos telões. Neste momento, os fãs clamando pelo Iron Maiden ganharam mais força e Shadows provocou: "gosto da competição daqui. Os coros indo e vindo". Logo depois agradeceu ao público por tê-los recebido mais uma vez no país. "Unholy Confessions" veio na sequência e, para finalizar, a banda colocou energia total na apresentação.

Apesar da competição incessante entre os fãs, o Avenged demonstrou admiração ao Iron, respeito pelo público e muita segurança no palco. A apresentação agradou não só aos fãs, mas também angariou alguns novos admiradores.

Leia mais sobre o Rock in Rio

Foto: Marco Antônio Teixeira/UOL