Filmes

Notícia

Quentin Tarantino fala sobre aposentadoria, a p**** do Spike Lee e Johnny Depp

Cineasta divulga Os 8 Odiados em São Paulo

Marcelo Hessel
23.11.2015
16h01
Atualizada em
29.06.2018
02h44
Atualizada em 29.06.2018 às 02h44

Em visita a São Paulo, pra divulgar seu oitavo filme, Os 8 Odiados, o cineasta Quentin Tarantino confirmou o que já vinha planejando há um tempo: vai encerrar sua carreira de diretor depois de dez longas-metragens.

None

"Eu vou parar de fazer filmes depois de dez, então por isso estou contando [quando aparece a numeração escrita nos créditos iniciais dos seus longas]. Eu não faço isso em todos, seria pretensioso demais, e eu sou só um pouco pretensioso", diz. Questionado se trabalharia com Spike Lee - com quem Tarantino tem rixa pública por conta da apropriação da cultura negra e de palavrões em seus filmes - ele diz:"Nunca. Eu só tenho mais dois filmes sobrando, não vou gastar com o p**** do Spike Lee".

Sobre atores com que gostaria de trabalhar: "Eu não consigo pensar num único ator com quem eu não tenha trabalhado antes, e com quem eu gostaria muito, muito de trabalhar. Penso em Johnny Depp, mas eu teria que escrever o papel certo para ele. E eu gostaria de trabalhar com Kate Winslet". Ao comentar essa aposentadoria, Tarantino falou da sua obra: "Eu não tenho nada que me distraia. Não tenho mulher, filhos, só tenho meus filmes. Eu não faço filmes para pagar minha hipoteca, tenho muita sorte em relação a isso, então é só o meu propósito artístico. E eu quero manter meu padrão alto, a expectativa alta. Eu ficaria muito desapontado se as pessoas achassem que nao mantive o meu nível num filme".

Você poderá conferir a entrevista completa, em que Tarantino fala de seu novo faroeste, aqui no Omelete em breve.