HQ/Livros

Artigo

Usagi Yojimbo: o coelho samurai

Usagi Yojimbo: o coelho samurai

Marcelo Forlani
19.09.2000
00h00
Atualizada em
21.11.2016
08h10
Atualizada em 21.11.2016 às 08h10

Por Forlani (com colaboração de Sérgio Miranda e Jotapê)

A saga de Usagi Yojimbo (Coelho Guarda-Costas) se dá no Japão durante a virada do século XVII. As guerras civis chegaram ao fim e o Shogun, o governante militar, havia recentemente estabelecido seu poder hegemônico. Os samurais eram a classe dominante em todo o território, seguindo um código guerreiro de honra conhecido como Bushidô. Reinavam, em toda parte, a intranqüilidade social e a intriga política.

Vagando por este país conturbado, havia um samurai sem mestre, um ronin, chamado Myamoto Usagi

Embora tenha sido criado por Stan Sakai em 1982, Usagi Yojimbo só fez suas primeiras aparições em 1985 na edição especial Critters e no número 2 da revista Albedo, esta última, uma coletânea de histórias de animais antropomórficos.

Em 1987, Usagi ganhou revista própria, na conceituada editora Fantagraphics, que durou mais de 30 números. Tempos depois, levando sua obra para a Editora Mirage, a mesma dos criadores das Tartarugas Ninjas, Sakai começou a produzir aventuras coloridas por Tom Luth, seu companheiro na revista Groo. Usagi foi um sucesso por 16 edições até que a Mirage decidiu fechar seu departamento de quadrinhos. Em poucos meses, Sakai encontrou abrigo na Dark Horse, onde, a princípio, faria uma mini-série em três partes. O sucesso foi tão grande que a Dark Horse decidiu transformar o título em série regular. Hoje a revista já passou do número 40.

Stan Sakai tornou-se conhecido como o letrista de Groo, de Sérgio Aragonés, ao mesmo tempo em que também letreirava a tira diária do Homem-Aranha, escrita por Stan Lee.

Em 1997, ganhou o prêmio Eisner, como Artista Que Mais Merece Reconhecimento. Em 99, foi indicado para três categorias, Melhor Letrista (por Usagi, Groo e outros trabalhos com Aragonés), Melhor Coletânea (por Trilogy Tour II, com Charles Vess e Jeff Smith, de Bone) e Melhor Arco de Histórias (por Usagi Yojimbo, the Grasscutter, publicada pela Dark Horse).



Depois de lançar SAMURAI e RONIN, a Via Lettera traz ao Brasil BUSHIDÔ. Estas encadernações mostram as primeiras histórias do coelho samurai e foram publicados originalmente nas primeiras edições da revista Usagi Yojimbo na Fantagraphics. Os livros têm histórias fechadas, apresentando os personagens principais, e contam também como Usagi se tornou um seguidor do Bushidô, o código que regia a casta de guerreiros japoneses na virada do Século XVII.

A principal característica das histórias de Usagi são a retratação fiel do Japão Feudal, a época do Shogunato e da queda dos Daimios, os senhores feudais nipônicos. Em suas páginas, estamos sempre diante de batalhas, intrigas políticas e duelos, onde apenas a morte é a recompensa do mais fraco e do menos habilidoso. Embora todos os personagens sejam animais, o que levaria os mais desatentos a pensar que se trata de uma HQ voltada apenas para o público infantil, Usagi Yojimbo traz uma reconstituição de época muito acurada. Antes de criar qualquer aventura de Miyamoto Usagi, Stan Sakai faz várias pesquisas, seja de lendas ou fatos históricos japoneses, a fim de embasar detalhadamente seu trabalho, combinando a vivacidade dos filmes clássicos de artes marciais com o charme próprio de um épico das HQs.