HQ/Livros

Artigo

O Feitiço dos Espinhos e a importância dos livros

Falamos sobre uma das publicações mais aguardadas de 2020

A cozinha
30.01.2021
14h00

O gênero de fantasia é um dos mais sucedidos quando falamos de séries, filmes e livros. Em 2020, uma das obras mais aguardadas era O Feitiço dos Espinhos, escrito por Margaret Rogerson. Mas será que a publicação atendeu às expectativas dos fãs?

Na trama, Elizabeth é uma órfã criada em uma das grandes bibliotecas de Austemeer. Ela cresceu rodeada por grimórios, que são livros mágicos que sussurram nas prateleiras e podem até se transformar em monstros quando são provocados. Elizabeth quer se tornar guardiã da biblioteca e proteger seu reino contra feiticeiros, que praticam magia demoníaca e sempre foram acusados de serem maus.

Tudo isso muda quando Elizabeth se torna a principal suspeita de um crime que não cometeu e recebe a ajuda do feiticeiro Nathaniel Thorn e seu criado, Silas. Enquando espera por seu julgamento, Elizabeth se depara com algo maior, que jamais imaginou presenciar. 

O livro tem representatividade (Nathaniel é bi e Silas é assexual) e também traz um debate relevante sobre a importância dos livros e como a sociedade prefere que as pessoas continuem alienadas e sem consumir cultura.

O Feitiço dos Espinhos chegou ao Brasil pela Editora Literalize, que trará outro livro de Margaret Rogerson. Confira acima nosso OmeleTV completo sobre o tema.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.