Capa da HQ Vingadores: A Cruzada das Crianças

Créditos da imagem: Vingadores: A Cruzada das Crianças/Marvel/Reprodução

HQ/Livros

Notícia

HQ dos Vingadores que seria recolhida da Bienal do Rio esgota em menos de 1 hora

História foi alvo de polêmicas após prefeito Marcelo Crivella solicitar que edição fosse lacrada

Camila Sousa
06.09.2019
12h04

A edição encadernada de Vingadores: A Cruzada das Crianças, que a prefeitura do Rio solicitou que fosse recolhida da Bienal, esgotou em menos de 1 hora no evento. Segundo informações da assessoria, todas as edições foram vendidas em aproximadamente 40 minutos após a abertura dos portões. A Bienal afirma ainda que os quadrinhos não foram lacrados com um plástico preto, já que a prática só acontece com edições que contém algum teor pornográfico e este não é o caso.

Ontem (5), o prefeito Marcelo Crivella publicou um vídeo em suas redes sociais, dizendo que solicitou o recolhimento das edições para que elas fossem lacradas, com um aviso de "conteúdo impróprio" para crianças. Escrita por Allan Heinberg e publicada originalmente em 2010, a HQ tem como personagens centrais o casal abertamente homossexual Wiccano Hulkling, que aparece abraçado e dividindo a mesma cama em algumas páginas.

O recolhimento foi anunciado após discurso do vereador Alexandre Isquierdo (DEM) na Câmara Municipal do Rio, na última quarta (4), em que o político ataca a publicação como uma "covardia" às crianças e chama os colegas de Câmara a assinarem uma carta de repúdio contra MarvelPanini e Salvat, todas responsáveis pela publicação da revista em diferentes momentos.

Em comunicado oficial, a Bienal do Rio reafirmou a pluralidade do evento e reforçou o direito dos consumidores de trocarem livros cujos conteúdos não agradem - leia o comunicado abaixo:

A Bienal Internacional do Livro Rio, consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+.

A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor.

A organização da Bienal ainda divulgou a programação de três painéis voltados para a literatura LGBTQA+. No Café Literário, com participação João Silvério Trevisan (Companhia das Letras), Jaqueline Gomes de Jesus (Metanoia) e Tobias Carvalho (Record), acontecerá a mesa "Diversidade, substantivo plural", às 17h do dia 7 de setembro.

Também no dia 7, às 11h, o debate "Feminismo x Machismo" acontecerá com o youtuber Spartakus SantiagoMel Duarte e Ellora, tendo Claudia Sardinha como mediadora. Às 19h, a mesa "Literatura Arco-Íris" será mediada pelo autor e cineasta Felipe Cabral e contará com Lucas RochaVitor MartinsIgor PiresThati Machado, Vinicius Grossos e Pedro HMC. A última mesa da Arena #SemFiltro da Bienal acontece às 19h do dia 8 de setembro. Felipe Cabral mediará a conversa "Literatura Trans", que contará com Laísa MarilacNana QueirozTarso BrantNatalia Travassos e Amora Moira.