HQ/Livros

Artigo

HQ: <i>The long yesterday - Intempol</i>

HQ: <i>The long yesterday - Intempol</i>

Roberto Elísio dos Santos
07.06.2005
00h00
Atualizada em
03.11.2016
18h04
Atualizada em 03.11.2016 às 18h04
The long yesterday - Intempol

Manoel Magalhães e
Osmarco Valladão

Imagine uma trama intrincada no estilo dos film-noir norte-americanos da década de 1940 (baseados nos livros policiais de Dashiell Hammett, Raymond Chandler e James Cain), com seus detetives particulares, gângsteres, policiais corruptos e mulheres sedutoras e pouco confiáveis, ambientada em lugares decadentes, como cassinos clandestinos, bares enfumaçados, cais do porto ou hotéis baratos. Agora misture essas características narrativas ao estilo mais marcante do quadrinho europeu, a linha clara, como nas histórias do espanhol Daniel Torres. O resultado é o álbum The Long Yesterday, que recentemente chegou às livrarias e comic-shops nacionais.

Apesar de todas as influências, não se trata de material importado dos Estados Unidos ou da Europa, mas de uma caprichada produção brasileira. Primeira publicação do Universo Intempol publicado pela editora Comic Store, The Long Yesterday apresenta arte deslumbrante do ilustrador carioca Manoel Magalhães e roteiro inteligente, preciso e surpreendente do designer Osmarco Valladão, também do Rio de Janeiro, que mescla a narrativa do romance policial noir à ficção científica, sem que haja descompasso entre elas.

Essa é, de fato, a idéia do Universo Intempol, criado por Octavio Aragão. Trata-se de uma organização que policia, para atender a seus próprios interesses, o Contínuo Espaço-Temporal, como explica o autor na introdução do álbum. Misteriosa, essa corporação, conhecida como a Empresa, vale-se de agentes que voltam no fluxo temporal para manter o lucro e a posição hierárquica de algumas pessoas.

Na história The Long Yesterday - título escolhido para homenagear Raymond Chandler, escritor do romance policial noir The Long Goodbye, e o quadrinhista Moebius, autor da ficção científica noir The Long Tomorrow -, o detetive durão Timothy Lace O’Malley, de queixo quadrado e cigarro sempre aceso no canto da boca, faz o trabalho sujo para um estúdio de Hollywood. Ele acaba envolvido numa série de acontecimentos detonada a partir de uma carta misteriosa que revela seu futuro, escrita por uma ex-namorada que se tornou cientista. A situação se complica com vários paradoxos temporais que passam a ocorrer sem explicação aparente.

A narrativa se vale de diversos elementos característicos do estilo noir, como a narração em primeira pessoa, a iluminação contrastada, as cenas de violência e os ambientes urbanos decadentes, como o boteco Mickey´s. Tudo para deleite do leitor atento que identificar as referências contidas na obra.

Depois da leitura deste álbum de quadrinhos, só fica uma pergunta na cabeça do leitor: quando o próximo será publicado?

The long yesterday tem 48 páginas em cores, ao preço de R$ 32,00.

Roberto Elísio dos Santos é pesquisador sênior do Núcleo de Pesquisas de Histórias em Quadrinhos da ECA-USP, jornalista, doutor em Comunicação pela ECA-USP, professor do IMES -Universidade Municipal de São Caetano do Sul e autor do livro Para reler os quadrinhos Disney (Editora Paulinas).