HQ/Livros

Notícia

História censurada de HELLBLAZER cai na web

História censurada de HELLBLAZER cai na web

Érico Assis
21.08.2000
00h00
Atualizada em
07.11.2016
17h05
Atualizada em 07.11.2016 às 17h05
Shoot, história de Warren Ellis e Phil Jimenez originalmente produzida para a edição 141 de HELLBLAZER e posteriormente vetada para publicação pelos altos escalões da DC, finalmente será lida pela multidão de fãs de John Constantine. Suas 22 páginas podem ser vistas na página http://www.compsoc.man.ac.uk/~jp/comics/shoot/index.html.

A história trata do problema das armas de fogo nas escolas norte-americanas, em tom de denúncia. Ellis falava nela com orgulho quando assumiu os roteiros de Hellblazer, em dezembro de 1998. Em abril de 1999, com o massacre da Escola de Columbine, em Littleton, Colorado, tudo mudou: os Estados Unidos viram uma caça às más influências na TV, no cinema, nos games e nos quadrinhos que levou a um aumento considerável da censura interna das grandes empresas de entretenimento.

A DC, como sub-divisão da gigantesca Time/Warner, não ficou de lado. Várias revistas tiveram capas, páginas ou até todo seu conteúdo censurado. Tiragens já impressas foram queimadas. Um dos casos mais interessantes é a de ELSEWORLDS 80-PAGE GIANT, que teve milhares de cópias destruídas por causa da história Letitia Lerner, Supermans Babysitter

Ellis chegou a ser questionado pelos fãs: Shoot seria mesmo publicada, com o massacre de Columbine ainda tão presente&qt;& O escritor disse que tinha a confirmação dos editores de que não haveria corte. A edição tinha até sua capa já divulgada.

De qualquer forma, poucas semanas depois o mesmo Ellis publicou nota dizendo que a DC havia pedido modificações no roteiro. O escritor rejeitou as propostas da editora, sendo a história sumariamente cortada, e resolveu deixar de vez os roteiros de HELLBLAZER.

A cópia clandestina, em xerox, que chegou à Internet esta semana, começou a ser distribuída este mês entre os leitores, especialmente na Convenção da Wizard em Chicago. Não se sabe quem conseguiu as páginas, ainda em preto-e-branco mas já com letreramento. O responsável pela versão web é John McMahon, webmaster de um fã-site de John Constantine. McMahon recomenda que se leia a história logo, pois não sabe quando os advogados da DC pedirão que ela seja tirada do ar.