HQ/Livros

Artigo

Do Inferno - a HQ

Do Inferno - a HQ

Érico Borgo
11.01.2002, às 01H00
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 13H12
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 13H12

O primeiro volume
nacional de Do Inferno

Recentemente transformada em filme (leia resenha aqui), a graphic novel Do Inferno, é uma história em quadrinhos criada em conjunto pelo aclamado escritor Alan Moore (Watchmen, Batman: A Piada Mortal, V de Vingança) e pelo ilustrador Eddie Campbell (Bacchus, Hellblazer, Snakes & Ladders). A obra traz a história de Jack, o Estripador por um ângulo até então inexplorado - o do próprio assassino. Quais as motivações do primeiro assassino serial que se tem registro&qt;& Quem era ele&qt;& Como era o mundo em que vivia&qt;& São algumas das perguntas que intrigaram Moore e o fizeram interessar-se pela história.

Tal dedicação gerou talvez o maior trunfo de Do Inferno: colocar o leitor lado a lado de Jack e de tantos outros personagens históricos importantes nos assassinatos de Whitechapel, fazendo-o de uma forma absolutamente verossímil. Entretanto, tal façanha literária não foi obtida facilmente... foram mais de dez anos até que a história de 500 páginas finalmente fosse concluída. Claro que inúmeros percalços de publicação influenciaram nesse tempo de desenvolvimento, mas o trabalho de pesquisa dos dois criadores responde por pelo menos metade disso.


Alan Moore

Tanto tempo de dedicação é justificado. Para entender e interpretar os famosos acontecimentos que ocorreram na Londres de 1888, Alan Moore realizou uma das mais extensas pesquisas já realizadas para uma obra em quadrinhos. Prova disso são as mais de 60 páginas de apêndices que o autor colocou no final da obra, explicando capítulo a capítulo as referências, justificativas e fontes de informação de cada passagem do livro.

Como não só de texto vive uma HQ, o ilustrador Eddie Campbell não ficou atrás. Cada um dos painéis ilustrados mostra com precisão fundos e detalhes como seriam de verdade na época. Para isso, teve a ajuda de fotos, ilustrações, pinturas e mapas antigos, recriando a Londres do final do século XIX com precisão histórica. Alan Moore disse que se Campbell também fosse transcrever suas referências, o apêndice teria o dobro do tamanho.


O passeio de charrete

Um dos momentos mais marcantes da obra é o passeio de charrete pelas ruas de Londres, tendo o próprio Jack como guia. Nele, o assassino explica cada detalhe histórico e arquitetônico da cidade. Confesso que a passagem me marcou tanto que tive que parar de ler por alguns minutos quando o capítulo acabou e ir dar uma volta lá fora. Ponto para os Srs. Moore e Campbell. Tenho certeza que era esse seu intento quando fizeram essa cena.

Também impressionam as mais de 30 páginas mostrando Jack cortando uma das suas vítimas (motivo da censura à revista na Austrália). Moore também cruzou diversos outros acontecimentos da época com os crimes do Estripador, tais como: o momento da concepção de Adolf Hitler, a descoberta de William Merrick - O Homem-Elefante -, o encontro com o mago Aleister Crowley ainda menino e dezenas de outros.

Enfim, Alan Moore e Eddie Campbell conseguiram alcançar em Do Inferno um nível de narrativa, acuracidade, interpretação histórica e, principalmente, entretenimento, poucas vezes obtido em uma obra em quadrinhos. Do Inferno é tão meticulosamente elaborada que, sem a menor dúvida, merece ser considerada como uma das maiores obras da arte seqüêncial de todos os tempos.

No Brasil, Do Inferno é publicado pela Via Lettera Editora.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.