HQ/Livros

Lista

10 Heróis alternativos fora do Universo Marvel e DC

Spawn, Hellboy, The Boys e mais

Fábio de Souza Gomes
05.11.2018
18h42

Marvel e DC Comics contam com alguns dos maiores heróis da história dos quadrinhos. Porém, ao longo dos anos, outras editoras criaram personagens tão interessantes que eles tornaram-se sucesso de público e de crítica.

Conheça agora 10 heróis que você precisa conhecer – que não são da Marvel, nem da DC: 

Spawn

Criado por Todd McFarlane, o herói apareceu pela primeira vez em 1992 e, desde então, tornou-se um dos personagens mais famosos dos quadrinhos. A HQ mostra a história do agente da CIA Al Simmons, que após ser morto numa armadilha de seu chefe acaba no inferno. Lá ele ganha poderes após negociar com um demônio e volta pra terra pra se vingar. O herói foi um fenômeno nos anos 90 e chegou a ganhar um filme em 1997 e, agora, vai vol

Huck

Um dos trabalhos mais fofos e divertidos de Mark Millar, o cara por trás de Guerra Civil. Na HQ, Huck é um sujeito com superforça, supervelocidade, o pacote completo. Porém, ele é mais lento que outras pessoas e tem “dificuldade de aprender”. Sua única vontade é fazer o bem na pequena cidade dos EUA em que vive, uma cidade que faz de tudo pra manter sua identidade secreta. Eventualmente ele acaba exposto na mídia, ganha uma fama que não quer e acaba em uma jornada para descobrir sua origem. O herói é uma espécie de releitura do Superman e surgiu como uma resposta ao filme do Homem de Aço, que para o autor não conseguiu captar a verdadeira essência do herói. No Brasil, a HQ saiu recentemente pela Panini. 

Hellboy

Definitivamente um dos heróis alternativos mais conhecidos dos quadrinhos. Hellboy chegou ao mundo em 1944, num experimento do monge Rasputin à serviço do regime nazista. Embora fosse filho do demônio Azzael, "parido" pelos ocultistas do quase derrotado Terceiro Reich, Hellboy acabou adotado por um acadêmico britânico e criado entre os Aliados, no Bureau de Pesquisa e Defesa Paranormal. O herói já ganhou dois filmes dirigidos por Guillermo Del Toro – que ganharam o status de cult e foram pensados para ser uma trilogia que nunca veremos. Agora, ele voltará pra telona com David Harbour no papel principal. E estou ansioso? Sim, porque o personagem é muito bom. O herói teve HQs lançadas no Brasil pela Mythos

Juiz Dredd

Um dos personagens mais bad-ass de todos os tempos. O anti-herói apareceu pela primeira vez nos quadrinhos em 1977 e trabalha como juiz, júri e executor de Mega City, cerca de 120 anos no futuro. Além de diversos clássicos dos quadrinhos, ele foi adaptado para os cinemas pela primeira vez nos anos 90 com Sylvester Stallone no papel principal – em um filme que sofreu com as críticas pois se afastou da essência do anti-herói. Mais tarde, ele ganhou uma adaptação em 2012 com Karl Urban - que foi elogiado e pode ganhar uma série em breve. 

Starlight

Mais uma HQ criada por Mark Millar. A trama acompanha um herói do espaço que salvou o universo há 35 anos. Enfrentou vilões, impediu que um planeta fosse destruído, fez tudo o que um bom herói deveria fazer. Porém ele retornou pra Terra e, então... bom, basicamente ninguém acredita no que ele fez. Ele então casou, teve filhos, envelheceu e pouco depois de sua esposa morrer recebe uma visita do espaço – onde precisará salvar o mundo mais uma vez. A HQ foi muito elogiada e há alguns anos tentam realizar uma adaptação que chegou a ter até Sylvester Stallone especulado no papel principal. A HQ foi lançada recentemente no Brasil pela Panini

Kick-Ass

Um dos quadrinhos mais divertidos e violentos de todos os tempos. A HQ mostra a história do jovem Dave Lizewski, que basicamente decide colocar uma roupa de látex e começa a lutar contra o crime. A HQ não demorou para ganhar uma adaptação cinematográfica que além de um personagem principal fantástico, conta com coadjuvantes incríveis como a Big Daddy, interpretado maravilhosamente bem por Nicolas Cage; e Hit-Girl, que colocou Chloe Grace Moretz no mapa. A continuação não é tão boa, mas a série em quadrinhos e derivados segue excelente. A HQ foi relançada recentemente pela Panini

Faith

A Valiant conta com diversos heróis marcantes, como Bloodshot, mas nenhum é tão importante quanto Faith – uma heroína plus-size cuja primeira aparição foi em 1992. Na HQ, Faith Herbert sempre quis ser uma super-heroína, como as dos seus gibis favoritos. E quando seus poderes psiônicos surgiram e ela entrou para os Renegados da Fundação Harbinger, finalmente teve sua chance. Mas, agora, está vendo se consegue fazer sua carreira solo de defensora da justiça, com identidade secreta e tudo mais. De dia, é uma pacata blogueira que escreve sobre cultura pop — mas à noite, é a principal super-heroína de Los Angeles, a adorada Zephyr! No Brasil, a HQ saiu pela Jambô.

Imperdoável

Quando o Plutoniano, o maior super-herói da Terra, enlouquece e se torna o pior vilão do planeta, apenas os seus ex-aliados de combate ao crime têm uma chance de deter a sua onda de violência. A HQ criada por Mark Waid mostra o que aconteceria se um herói nos moldes do Superman surtasse e o que precisaria ser feito para detê-lo. Com diversos questionamentos morais, a publicação subverte o gênero de herói e conta com elementos de suspense que tornam essa história uma das melhores do gênero. No Brasil, o primeiro volume foi recentemente republicado pela Devir.

Black Hammer

Abraham Slam, Menina de Ouro, Coronel Weird, Madame Libélula e Barbalien eram os maiores heróis do mundo, mas depois da grande batalha final ficaram presos em uma cidade rural. Mesmo depois de dez anos, eles ainda não descobriram como chegaram lá e, principalmente, por que não conseguem sair. Seu antigo líder tentou escapar desse misterioso purgatório, mas teve um trágico fim. O primeiro volume foi lançado no Brasil pela Intrínseca.

The Boys

The Boys estrelava um time de operativos do governo norte-americano responsável por "manter na linha" os super-heróis do país. Passada em seu próprio universo, a série parodiava cruelmente heróis da DC, tendo versões bem reconhecíveis da Liga da Justiça e dos Novos Titãs. As primeiras edições mostravam, por exemplo, o ritual de iniciação de uma nova heroína entre The Seven (paródia da Liga da Justiça), com um "Super-Homem" nada pudico. Em outra cena, os Teenage Kix (à la Novos Titãs e todas equipes jovens) comemoram o fim de uma missão em uma orgia com prostitutas. As escatologias e a crítica aos super-heróis foram demais para a DC Comics, que a lançou as primeiras HQs dentro da linha Wildstorm e cancelou após seis edições. A Dynamite Entertainment assumiu o título daí em diante e publicou a história até 2012. No Brasil, a HQ é publicada pela Devir.