Séries e TV

Artigo

Thomas Shelby sempre foi calculista, mas frieza se perdeu com o tempo

Busca por poder e ascensão social amoleceram o temido gângster

Omelete
3 min de leitura
Pedro Henrique Ribeiro
29.06.2022, às 15H53

Quando Peaky Blinders começou a ganhar público no Brasil, lá por 2018, muita gente chamou a atenção para as várias decisões frias e milimetricamente calculadas de Tommy Shelby (Cillian Murphy), o líder dos Peaky Blinders de Birmingham. Em pouco tempo, a combinação de poker face e boinas do personagem tomou conta das redes sociais com memes e frases motivacionais. Porém, as várias pancadas que o protagonista levou em sua jornada pelo poder parecem ter perfurado sua casca e, com o passar das temporadas, conhecemos outro lado de Tommy — um mais altruísta e menos explosivo.

A armadura de Tommy começou a amolecer quando Grace entrou em sua vida. O gângster e herói de guerra, atormentado pelas memórias da França, finalmente viu uma luz em meio às cinzas de Birmingham quando a jovem chegou ao pub local. Tommy se viu tão envolvido com Grace que mesmo após descobrir a traição dela a perdoou e levou o romance entre eles para um nível mais sério. Esse momento é o primeiro vislumbre do lado romântico do personagem, que, segundo a personagem Polly Gray, era doce e gentil antes da guerra.

O lado sensível do protagonista fica ainda mais exposto após o nascimento de seu primeiro filho e o assassinato de Grace. Bons ou ruins, os sentimentos começam a comandar alguns dos passos do gângster, que mesmo no luto, não cessou sua jornada em direção ao comando do comércio ilegal da Inglaterra. Aliado a isso, vem a pressão do desejo de deixar os negócios sujos e focar o capital da empresa em investimentos limpos. No meio desse turbilhão, Tommy mostrou mais uma vez seu lado compreensivo e perdoou o gângster Alfred Solomons algumas vezes por ter criado uma relação de amizade com ele.

Com dois filhos ainda crianças, os negócios já não importam mais que a família e personagem de Murphy parece querer apenas sair de vez dos negócios obscuros. Uma atitude bem diferente da que vimos na série anteriormente, quando ele deixou o irmão ser espancado pela polícia e mandou a família toda para forca. Junto a isso, ele decide se casar com Lizzie, que em vários momentos ocupou um papel inferior na vida do gângster.

Já na reta final da série, após os dissidentes irlandeses ameaçarem seu filho e o político fascista Alfred Mosley colocar a família e os negócios dele em risco, o personagem entrou na defensiva. Tommy adotou uma postura ainda mais cautelosa em relação aos negócios e à família. Retornando para o sexto e último ano, o personagem se mostra sóbrio em vários sentidos. Após abandonar o ópio, que aliviava seus traumas de guerra, ele agora também abre mão do álcool e destoa nos ambientes que frequenta por ser o único a beber água — uma postura incomum para homens como ele. Ainda assim, com várias idas e vindas e o abandono gradual da frieza, Tommy nunca deixou de ser calculista, planejando estratégias para cada passo dos adversários.

Frio ou não, não restam dúvidas de que Thomas Shelby foi um dos grandes protagonistas do universo das séries nos últimos anos, conseguindo emplacar uma identidade única que deve repercutir e ser referenciada por muitas produções no futuro. A série chegou ao fim com a sexta temporada, mas a trama será encerrada com um filme que deve ser lançado em 2023.

O Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Acompanhe a gente também no YouTube: no Omeleteve, com os principais assuntos da cultura pop; Hyperdrive, para as notícias mais quentes do universo geek; e Bentô Omelete, nosso canal de animes, mangás e cultura otaku.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.