O Rei Leão | Veja como a animação original quase foi completamente diferente

Créditos da imagem: Disney/Divulgação

Filmes

Lista

O Rei Leão | Veja como a animação original quase foi completamente diferente

Desenho de 1994 seria uma guerra entre leões e babuínos

Julia Sabbaga e Mariana Canhisares
17.07.2019
23h33

Diante do tamanho da expectativa para a nova versão de O Rei Leão, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (18), é curioso lembrar como a animação original foi um sucesso inesperado para a Disney em 1994. De acordo com o diretor Rob Minkoff e o produtor Don Hahn, o estúdio considerava o projeto um filme menor e arriscado se comparado a outra produção em desenvolvimento na mesma época, isto é, Pocahontas. Tanto que o chefe do estúdio teria dito que ficaria de joelhos caso O Rei Leão fizesse meros US$ 50 milhões de bilheteria.

A leitura do executivo se provou errada. Enquanto o filme da princesa arrecadou US$ 346 milhões no mundo inteiro, a história de amadurecimento de Simba rendeu ao estúdio US$ 858,6 milhões, a maior bilheteria do ano. O resultado o deixou na frente de outros filmes icônicos de 1994, como Forrest Gump (US$ 677,4 milhões), O Máskara (US$ 351,6 milhões) e Debi & Loide (US$ 247,3 milhões). Além disso, O Rei Leão levou para casa ainda dois Oscars: melhor trilha sonora original para Hans Zimmer e melhor canção original para Elton John e Tim Rice por "Can You Feel the Love Tonight".

Mas, para que a animação alcançasse resultados tão impressionantes e fosse considerada um clássico, foram anos de desenvolvimento, nos quais a trama foi gradualmente moldada para chegar ao que conhecemos hoje. No making-of do desenho, Pride Of Lion King, e em diferentes entrevistas, elenco, produtores e diretores discutiram as ideias da primeira versão e revelaram mudanças fundamentais no clássico.

Confira abaixo as maiores alterações até o produto final:

O foco seria uma guerra

Disney/Divulgação

Na primeira versão do filme, intitulada "King Of The Jungle", o foco da história não seria o crescimento do Simba e seu amadurecimento para um rei, e sim uma guerra entre leões e babuínos. 

Rafiki era um guepardo

Disney/Divulgação

O adorado babuíno e amigo de Mufasa na versão final, Rafiki, não estaria na batalha. Na versão original, o personagem seria um guepardo, e portanto ficaria de fora do conflito principal. 

Scar era líder de babuínos

Disney/Divulgação

Nesta versão, Scar ainda teria o papel central como o antagonista, mas neste caso como o líder dos babuínos. A versão final modificou muitas coisas, mas o personagem continua liderando uma outra espécie, as hienas. 

Scar queria matar Mufasa e Simba

Talvez a mudança principal desde a versão original tenha sido o crescimento de Simba. Na versão original, Scar planejava matar Mufasa e Simba juntos. Após a manada ter matado o rei, Scar seguraria Simba na boca para assassiná-lo, mas seria visto por outros animais, que achariam que o irmão do rei havia salvado o príncipe. Nesta versão, Simba seria criado por Scar. 

Simba seria diferente

Disney/Divulgação

Em uma conversa com o dublador de Simba, Matthew Broderick, o produtor teatral da Disney, Tom Schumacher revelou que, sendo criado por Scar, o personagem de Simba teria uma personalidade diferente, como um brincalhão bobo inspirado em Ferris Bueller, de Curtindo A Vida Adoidado, o que inspirou a escalação do ator. 

Clima sangrento

Disney/Divulgação

Falando em uma entrevista sobre a primeira versão de O Rei Leão, o diretor Roger Allers revelou: "O clima da primeira história era muito mais sério. Tinha muito mais sangue e garras, e então eu e Rob [Minkoff] entramos no projeto. Não conseguimos ser sérios o tempo inteiro!". 

Sem Timão e Pumba

Disney/Divulgação

Com todas estas diferenças, Timão e Pumba não teriam acompanhado o crescimento de Simba. A ausência dos personagens, que servem em grande parte como alívio cômico no filme, faria sentido em uma versão mais séria do filme.