Ratched/Um Estranho no Ninho

Créditos da imagem: Divulgação

Netflix

Artigo

Quem é a Enfermeira Ratched, protagonista da nova série da Netflix

Criada para o livro Um Estranho no Ninho, de 1962, personagem se tornou uma das maiores vilãs do cinema no filme de Milos Forman

Julia Sabbaga
09.09.2020
14h46

Com The People v. O. J. Simpson: American Crime Story, Ryan Murphy transformou a reputação de Marcia Clark, até então conhecida como a infame advogada que perdeu o caso contra o jogador de futebol americano. Através  da performance de Sarah Paulson, ele fez de Clark em um símbolo feminista, jogando luz nos obstáculos que ela enfrentou por seu gênero e focando na maneira como ela foi representada pela mídia da época. Agora, Murphy e Paulson parecem se unir em um projeto que pode fazer o mesmo para uma das maiores vilãs da história do cinema, uma que os cinéfilos amam odiar: a Enfermeira Ratched, de Um Estranho no Ninho.  

Criada por Ken Kesey no livro de 1962, a personagem foi levada às telas por Louise Fletcher na adaptação de 1975 comandada por Milos Forman e se tornou sinônimo  de crueldade e autoridade. No longa, Ratched é a enfermeira chefe de uma ala psiquiátrica para onde Randle McMurphy (Jack Nicholson) é levado para terminar de cumprir sentença pelo estupro de uma garota de 15 anos. O longa se tornou um clássico absoluto, e é um dos únicos filmes da história a levar os 5 maiores prêmios no Oscar: Melhor Filme, Ator (Nicholson), Atriz (Fletcher), Diretor e Roteiro.

É bem possível que para assistir Ratched, a série de Murphy que estreia na próxima semana, não seja necessário uma introdução à personagem, até porque a produção pretende servir como prelúdio de sua história. Mas assistir Um Estranho no Ninho é uma experiência sempre válida (o longa está disponível no Prime Video), que curiosamente mudou com o tempo. Em 2020, não é preciso de Murphy para questionar a reputação de Ratched. O clássico reinterpretado já é uma experiência por si só. 

Existem duas maneiras de enxergar Um Estranho no Ninho e a própria Ratched. A primeira, intencionada pelo autor e pelo diretor, é uma representação do contraste entre o tradicionalismo e a contracultura americana, que ganhava força na década de 60. No filme de Forman, McMurphy é um revolucionário, que traz felicidade para a vida dos pacientes fazendo-os questionar a autoridade de Ratched, e se colocando como um grande incômodo na vida da enfermeira. No filme, Nicholson é o herói, apesar do seus crimes, e é representado como um rebelde carismático, um símbolo de individualismo. Nesta leitura, Ratched é o sistema e a corrupção de poder. Não é à toa que Fletcher, intérprete que tornou a personagem imortal, via muito do Presidente Nixon na enfermeira. 

Foi baseada nesta interpretação que Fletcher construiu a personagem, sendo fundamental para o resultado final. Em entrevista à Vanity Fair, a atriz explicou que enquanto o livro descreve Ratched como uma mulher maléfica e muito mais psicótica, o filme buscou criar a personagem de modo mais humano, o que a torna ainda mais horripilante. “É muito mais poderoso se ela não for visivelmente má", explicou a atriz. "Ela é um instrumento do mal. Ela não sabe que é má. Na realidade, ela acha que está ajudando as pessoas". Assim, Fletcher construiu uma mulher amedrontadora, porém serena, plena, e um exemplo de disciplina. 

Um Estranho no Ninho em 2020, no entanto, permite novas maneiras de interpretação. Ratched permanece impiedosa e nunca deixa o posto de vilã - e grande vilã - mas é difícil assistir o filme novamente sem questionar o heroísmo do estuprador, e inevitavelmente simpatizar com a figura de autoridade. Hoje, Ratched de Um Estranho no Ninho soa muito como a representação do medo masculino da autoridade feminina. É bem possível que a série de Murphy brinque com as duas interpretações - diferentes, mas nada contraditórias. 

Ratched estreia na Netflix em 18 de setembro.