Issa Rae e Kumail Nanjiani em Um Crime Para Dois

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Netflix

Crítica

Um Crime Para Dois

Com premissa simples, nova comédia romântica da Netflix garante muitas risadas ao deixar Issa Rae e Kumail Nanjiani brincarem com exageros e situações absurdas

Mariana Canhisares
30.05.2020
19h01

A crise chega para todo o casal, não importa o quão apaixonados sejam. No entanto, a grande maioria pode se considerar mais sortuda do que Leilani (Issa Rae) e Jibran (Kumail Nanjiani), os protagonistas de Um Crime Para Dois. Além de terem que lidar com o que parecem ser diferenças irreconciliáveis e uma separação iminente, os dois de repente precisam mergulhar de cabeça em uma investigação amadora para provar que, embora estivessem na cena do crime e seu carro tenha sido usado como arma, eles não são os assassinos do misterioso homem apelidado de Bicicleta.

Assim como sua premissa, o roteiro de Um Crime Para Dois é bastante simples e direto ao ponto, fazendo a escolha esperta de deixar para lá toda e qualquer firula que possa complicar a investigação. A verdade é que não há a necessidade disso. A trama é apenas um pretexto para deixar que Rae e Nanjiani brilhem - e como eles brilham. Com uma química impressionante e o exagero como denominador comum, ambos os comediantes parecem arrancar risadas sem fazer muito esforço. Eles têm ao seu favor um arsenal de situações absurdas, que envolvem uma sociedade secreta e tortura com gordura de bacon, que certamente potencializam seu humor. Mas fato é que a sincronia deles é tanta que realmente até as cenas mais banais, como cantar Katy Perry em um táxi, ganham um charme adicional.

Porém, é difícil não notar as semelhanças com outra divertida comédia romântica, Uma Noite Fora de Série, protagonizada por ninguém menos que Steve Carell e Tina Fey. Um Crime Para Dois parece usar o longa de 2010 como guia para traçar a jornada do casal que supera suas questões durante uma noite de trapalhadas, que também inclui criminosos perigosos e policiais corruptos. O grande diferencial das duas produções está na fase do relacionamento dos seus protagonistas. Enquanto os personagens de Carell e Fey lidavam com um casamento morno e as demandas de filhos pequenos, Rae e Nanjiani são jovens correndo atrás dos seus objetivos profissionais. Por isso, os dilemas em pauta em Um Crime Para Dois são outros, do mesmo modo que suas referências são mais modernas.

Com um crime no centro da trama, é necessário que o longa seja igualmente emocionante para envolver o espectador e a produção sabe como construir sua tensão. Por mais que piadas estejam em toda a narrativa, quando a situação fica séria, sobretudo com a perseguição de carro, não é estranho se pegar temendo pela vida da dupla de protagonistas. Mérito da direção de Michael Showalter, que também colaborou com Nanjiani no indicado ao Oscar Doentes de Amor.

Um Crime Para Dois está longe de reinventar a roda no quesito comédia romântica. Contudo, Kumail Nanjiani e Issa Rae garantem uma ótima experiência nos quase 90 minutos de filme, tanto nos seus momentos mais bobos, quanto nos seus comentários mais afiados, tornando o filme uma ótima pedida para essa quarentena.

Nota do Crítico
Bom