Leia a crítica da 1ª Temporada de Sem Maturidade Para Isso, novo desenho animado do criador de Apenas um Show

Créditos da imagem: Divulgação/Netflix

Netflix

Crítica

Sem Maturidade Para Isso - 1ª Temporada

Nova série do criador de Apenas um Show extrapola a comédia do cotidiano com uma bem-vinda dose de nonsense

Gabriel Avila
28.09.2020
17h40

Lançada originalmente em 2009, Apenas um Show se firmou como uma das grandes animações do Cartoon Network ao lado de títulos como Hora de Aventura. As aventuras de Mordecai e Rigby caíram nas graças da audiência por seu humor besteirol com forte influência de nonsense e uma reverência à década de 1980. Após o fim da série, em 2017, seu criador J.G. Quintel voltou suas atenções para Sem Maturidade Para Isso, animação adulta que chegou ao Brasil pela Netflix extrapolando as principais qualidades de seu trabalho anterior em um retrato surreal da cultura millennial.

Para muitos, a mera menção à expressão “millennials” pode causar calafrios. Ora celebrada por nascer no meio de uma revolução tecnológica, ora eleita a culpada pelo caos que toma conta do mundo, essa geração de pessoas nascidas entre o início da década de 1980 e o final dos anos 1990 se tornou tema de inúmeras produções dedicadas a estudar (ou rir) de suas principais características. Sem Maturidade Para Isso é certamente uma dessas obras, já que ela acompanha o cotidiano de Josh e Emily, um casal jovem que cria sua filha Candice na casa que dividem com Alex e Bridgette, um casal divorciado que decidiu seguir morando junto para dividir as despesas.

Com uma sinopse que poderia descrever praticamente qualquer sitcom sobre adultos vivendo suas vidas, a animação vai além ao abraçar a autoconsciência e rir de si mesma. Mais do que apontar o dedo e dizer “olha como essas pessoas são ridículas”, os roteiros do time capitaneado por J.G. Quintel abraçam alguns dos estereótipos para dar identidade e carisma para esses personagens. Dos pais de primeira viagem na era da internet ao professor hipster natureba, a série expõe o lado ridículo de uma forma que não se esquiva das piadas - isso quando não toma o caminho contrário e se coloca no centro delas, convidando o espectador a rir junto.

Parte desse mérito está na forma como a série presta reverência aos anos 1980,período mágico que já foi tão homenageada no cinema e na TV que beira o clichê. Porém, é bom lembrar que Quintel soube fazer isso em Apenas um Show, cujo público-alvo não tinha uma ligação afetiva com o período, sem perder a história que estava contando. Considerando que Sem Maturidade é um produto feito para pessoas que viveram essa época tão querida, não é de se estranhar que a produção tenha referências a clássicos que vão de Gremlins a Falcão: O Campeão dos Campeões de formas menos óbvias. Até velhas piadas como “não ser descolado o suficiente” ou “não dê doces para a criança” funcionam bem nesse contexto.

Outro grande acerto de Sem Maturidade Para Isso está no humor absurdo apresentado ao longo de sua primeira temporada. Acompanhar os perrengues e as alegrias da vida adulta certamente tem seu charme por si só, mas a experiência se torna memorável de verdade ao exagerar alguns desses momentos, como uma montagem descolada em que o casal se vangloria por ter uma noite livre de sua filha para fazer coisas de adulto (tipo lavar as roupas e fazer contas), ou a luta para literalmente sobreviver a uma balada que mata pessoas ‘velhas demais’ (leia-se acima dos 30).

Ao final dos 8 episódios da primeira temporada de Sem Maturidade Para Isso, é fácil se pegar querendo mais. Com episódios memoráveis como “Casa Perfeita” e “Pai do Skate”, a série certamente ganha um espaço no coração dos fãs de animações. Apesar do foco em uma geração desiludida, e por vezes cínica demais, a produção tem o coração no lugar certo e convida o público a rir de si mesmo. Até porque se levar a sério demais é tããão ultrapassado.

5 ovos

Sem Maturidade Para Isso
Em andamento (2020- )
Sem Maturidade Para Isso
Em andamento (2020- )

Criado por: J.G. Quintel

Duração: 1 temporada

Nota do Crítico
Excelente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.