Por Trás dos Seus Olhos peca no ritmo, mas surpreende com revelação final

Créditos da imagem: Divulgação

Netflix

Crítica

Por Trás dos Seus Olhos peca no ritmo, mas surpreende com revelação final

Minissérie adapta o famoso livro de Sarah Pinborough, que tem no segredo a maior força de sua obra - e também seus problemas

Henrique Haddefinir
18.02.2021
12h40

Quando a literatura é transposta para a tela do cinema ou da TV, os roteiristas enfrentam um problema recorrente: como transformar em ação a divagação interiorizada tão fácil de ser acessada pela prosa de um livro? Algumas obras conseguem se manter interessantes mesmo que o personagem só esteja andando. Clarice Lispector, por exemplo, era mestra em tornar irresistíveis as descrições das sensações e sentimentos de um personagem que só estava sentado num banco olhando a paisagem. Enquanto literatura, isso funciona porque a palavra do autor se distribui através da força do próprio estilo. Porém, passar isso para a teledramaturgia pode ser bastante complicado.

A minissérie Por Trás Dos Seus Olhos é uma adaptação do livro de Sarah Pinborough, e talvez seja um dos exemplos dessa problemática entre ação e texto. Durate quatro dos seus seis episódios, a série da Netflix se debate para preencher seu tempo com movimentos que possam ser tão interessantes quanto seriam nas páginas do livro. O problema é que enquanto na literatura os pensamentos de um personagem podem ser descritos com uma sagacidade textual atraente, na TV os olhares e silêncios podem não obter a mesma eficácia. A trilha de suspense e as sequências misteriosas funcionam nas primeiras vezes, mas se não houver escopo o público desiste.

O “nó dramático” apresentado no início é bastante enxuto, aliás. A jovem secretária Louise (Simona Brown) vai a um bar e lá acaba esbarrando num médico charmoso e sedutor com quem troca um beijo rápido. Nada demais, se no dia seguinte ela não acabasse descobrindo que ele, David (Tom Bateman), é seu novo chefe e, o pior, casado. As coisas ficam um pouco mais complicadas quando Louise acaba se torna amiga de Adele (Eve Hewson), a esposa. Tudo é construído a partir daí, com Louise tentando administrar o caso com David e a amizade com Adele, enquanto os espectadores tentam descobrir quem são os mocinhos e os vilões dessa história.

É preciso estabelecer, contudo, que a minissérie tem um grande segredo na manga. Talvez um dos maiores que a dramaturgia mundial já viu. Mas, pode ser penoso esperar 5 episódios de 50 minutos para vê-lo desvendado. Por Trás Dos Seus Olhos é uma produção elegante, que segue com cautela conforme apresenta sua trama, mas depois de muito tempo esperando que algo aconteça, a sensação é de que o enredo tem um bizarro fetiche pela angústia da antecipação. Muitos olhares, muitos mistérios velados, muitas sugestões, mas um tempo longo demais tentando convencer o espectador de que aquela é só mais uma história do tipo Atração Fatal. Sarah precisa que o espectador acredite nisso, ou a bomba reservada para os últimos minutos não terá o mesmo efeito.

Por Trás Daquele Choque

Finais chocantes são parte da cultura contemporânea desde sempre. Mas quando M. Night Shyamallan lançou O Sexto Sentido, a ideia de enganar o espectador até o último instante se tornou uma espécie de obsessão. Muitas vezes, o estudo dos personagens e seus aprofundamentos são colocados em último plano, porque o que importa é o tal segredo. Na história da escritora Sarah Pinberough, o segredo é a força maior de sua obra, mas também é sua maior desgraça. Poucas vezes testemunhamos um caso tão concreto de hiper valorização do choque, quando tudo que é sugerido em cima de reações tão humanas e intrigantes, se destroi em nome daqueles últimos 10 segundos de surpresa.

Até o episódio quatro, a trama de Por Trás Dos Seus Olhos nos comunica que o conceito da série é não chapar seus personagens em uma só camada. Num triângulo amoroso, as versões de quem está ou não errando ou acertando dependem exclusivamente de julgamento subjetivo. Então, de modo calculado, os roteiros vão alternando rankings de comportamento, com David parecendo um marido abusador em alguns momentos, depois a vítima de uma esposa psicótica e algumas vezes um brinquedinho para a jovem amante. Esse lugar do suspense e do drama é o único anunciado claramente pelo texto, que planta pistas para o futuro (como é de praxe no gênero), mas sem nunca sugerir qualquer descolamento da realidade.

[Cuidado com spoilers leves a partir daqui]

Quando parte do segredo final é revelado, a virada é tão brusca, tão inesperada, que você chega a conferir se não trocou o título do player inadvertidamente. O roteiro entuba o espectador com uma licença sobrenatural que em momento nenhum se encaixa com o que foi assistido antes; e que faz pior: trai a proposta de dimensionar aqueles personagens, tornando-os todos peças de um enredo maquiavélico grotesco. É uma virada tão embasbacante que divide reações no mundo todo. Para uns não teria o mesmo impacto se não fosse feito do jeito que foi e para outros é uma descarada e egocêntrica enganação. No fim das contas, os dois pontos de vista estão certos.

É preciso se debruçar sobre a minissérie e refletir se o grande segredo faz o esvaziamento dos personagens valer a pena. Ainda é incômodo pensar que para construir essa revelação final, a autora precisou colocar mulheres, gays e a ideia de apropriação do feminino, dentro de um mesmo balaio controverso, problemático e ligeiramente ofensivo. A comunidade gay passou anos tentando refutar a imagem do homossexual predador, que vai caçar e assediar homens heterossexuais custe o que custar. E então, Por Trás Dos Seus Olhos vem e pinta esse cenário com as cores mais fortes, ilustrando o “pior pesadelo hetero” e usando de misoginia velada para isso. O impacto do final existe e é empolgante, mas os ruídos estão ali, é fato.

Com tudo isso, a minissérie encerra o material do livro, mas deixa, meio que sem querer, uma fresta para um possível futuro. Se tiver valido a pena para todos e a história fizer sucesso, não seria surpresa se houvesse muito mais “por trás” para desvendar daqueles “olhos”.

Por Trás de Seus Olhos
Encerrada (2021- )
Por Trás de Seus Olhos
Encerrada (2021- )

Criado por: Steve Lightfoot

Duração: 1 temporada

Nota do Crítico
Regular

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.